segunda-feira, 13 de abril de 2015

Sol em Oposição com Plutão no Mapa Natal, por Adrian Ross Duncan

É importante deixar uma impressão forte nos outros e você
investe muita energia nisto - mais que poderia imaginar. Você
sairá ganhando se reduzir a sua energia pessoal. Você adapta-se
a posições que exigem o uso de poder e de perspicácia
psicológica e quer estar profundamente - às vezes até
fanaticamente - envolvido. Isto pode conduzir com freqüência a
conflitos de personalidade e você geralmente sai ganhando,
sobretudo porque não pode suportar uma derrota pessoal.
Seria bom ter mais flexibilidade e isso o ajudaria a evitar jogos
de poder enfadonhos.

Poder pessoal é um recurso natural - como descobrirá depois
de várias crises pessoais importantes que o levarão a reavaliar
o seu papel. Estas crises são provocadas pela vontade de
vencer a qualquer custo ou por uma ligação fanática a um
papel que há muito deixou de ter importância para você.
Quando aprender a reduzir a sua sensibilidade quanto à autoestima
e passar a investir a sua considerável força de vontade
em projetos que realmente significam algo para você e os
outros, poderá alcançar o sucesso. Você pode ter talento para
psicologia ou para lidar com os poderes do inconsciente.

Experiências pessoais na infância o tornaram sensível à sua
identidade e ansioso com respeito a auto-estima. No entanto,
isto indica, paradoxalmente, que freqüentemente sobrecarrega
os demais com sua presença. Assim, tende a ser uma figura
dominante em relações íntimas. Precisa de um parceiro que
não seja superficial e que compartilhe sua percepção intensa
da vida. Nesse ponto, para atingir a harmonia, deve relaxar ao
invés de afirmar-se, senão as relações serão exaustivas. É
importante compreender que as lutas pelo poder estão ligadas
a temores internos sobre sua identidade. Mulheres com essa
influência serão freqüentemente atraídas por homens
dominantes, constatando afinal que ele não está à altura da
força dela, adquirida em tempos difíceis na infância. Maior
intimidade pode ser adquirida se tiver a coragem de
demonstrar vulnerabilidade.

Você não constituiu qualquer vínculo verdadeiramente
profundo com seu pai. Talvez ele tenha desaparecido quando
você era jovem e um padrasto tenha tomado o seu lugar, ou
talvez ele estivesse presente no lar mas fosse de algum modo
distante ou inatingível. Uma vez que a intimidade com ele era
impossível de alcançar, você sentirá um vácuo interior
relacionado com a sua identidade.
Você sentiu que não era reconhecido como indivíduo, daí a sua
profunda necessidade de se exprimir de modo forte, mais
tarde, no decorrer da existência . Apesar de uma parte da culpa
pertencer quase com certeza a seu pai, você tem tendência
para resolver o problema se retirando totalmente para dentro
de sua concha quando se sente ignorado ou desprezado. Era
essa a maneira como você se protegia do ponto de vista
psicológico na sua infância, mas a longo prazo essas táticas
levam a uma profunda alienação.

Os enormes esforços que você faz para conquistar a aceitação
vão acabar por lhe dar grande poder pessoal e introspecção
psicológica. Poderes psíquicos ou intuitivos podem enriquecer
a sua vida e transmitir forças às outras pessoas.