sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Saturno na 5ª Casa, por Howard Sasportas

Enquanto Marte e Júpiter correm para dentro do tanque de areia para começar logo seus castelos, Saturno na 5ª Casa entra nele muito hesitante e com um olhar preocupado no rosto. "O que vai acontecer se o meu castelo não for bom? Tenho a certeza de que ninguém vai gostar dele. Será que eu tenho de fazer um? Eu deveria; afinal, todas as outras crianças estão fazendo. Todo mundo gostou do castelo que John fez; talvez eu devesse fazer um igual ao dele." Neste ínterim Marte já acabou o dele e Júpiter está quase terminando o seu (é maior que o de Marte). Saturno ainda está ruminando. "Será que esta é a melhor pá para se usar? Quais são os princípios básicos na construção de castelos de areia? Preciso organizar tudo primeiro." Júpiter e Marte já saíram do tanque de areia e estão brincando nas balanças quando o sol se põe, enquanto Saturno fixa firmemente os alicerces de seu castelo no devido lugar...

Mais tarde na vida, os que têm Saturno na 5ª Casa têm a mesma dificuldade em expressar livremente sua individualidade e criatividade pessoal. Desesperadamente, querem ser amados por se sentirem especiais e por sua originalidade, e mesmo assim sentem que é exatamente por serem diferentes que afastam os outros. O que foi que deu errado?

Por alguma razão, eles tiveram "a criança brincalhona" dentro de si rejeitada. A psicóloga Karen Horney acredita que, da mesma maneira que a semente de uma pêra se transforma numa pêra, os seres humanos crescem naturalmente para seus potenciais intrínsecos, contanto que certas circunstâncias adversas não atrapalhem o caminho para que isso aconteça. Muitas vezes, no entanto, as crianças só se sentem amadas e aceitas quando conseguem viver aquilo que seus pais desejam que elas sejam. Antes de se arriscarem a revelar quem são, elas escondem sua própria individualidade para agir de acordo com a expectativa dos pais. Sua energia então é dirigida para a imagem daquilo que deveriam ser, em vez de desabrochar livremente. Uma espécie de alienação do self real ocorre e o fluxo espontâneo do self é bloqueado pela rigidez, pela dúvida e pela insegurança. Elas acabam observando da forma como observam a si mesmas, enquanto sua verdadeira luz permanece escondida por trás de uma nuvem. A discrepância entre seu self real e sua identidade planejada deixa-as infelizes e incertas com o que produzem. Em última instância, o desafio de Saturno nesta posição é encontrar uma forma de libertar seus espíritos criativos. A Mãe e o Pai não estão mais observando-as. Quem tem Saturno na 5ª Casa precisa dar permissão a si mesmo para deixar aparecer de vez em quando a criança brincalhona e espontânea que tem escondida dentro de si.

Muitas vezes essas pessoas não têm os hobbies ou divertimentos nas horas de folga que poderiam ter para adicionar esse algo mais à alegria da vida, e através dos quais poderiam definir melhor sua individualidade. Da mesma maneira, são inseguras no domínio do coração; romance dá gosto à vida e nos faz sentir importantes e especiais. No entanto, quem tem Saturno na 5ª Casa não tem certeza de si mesmo, nem para apreciar um bom pedaço de torta de morango. Temerosos de serem rejeitados, eles se resguardam demais e têm medo de parecer bobos para ficar à vontade nestas situações. Para Saturno na 5ª Casa, ficar alegre é uma dureza.

Eles também têm medo de que aquilo que dão à luz seja inaceitável, uma vez que esse posicionamento está associado com a relutância em ter filhos ou problemas com eles. Eles temem que seus filhos não gostem deles ou que eles próprios não vão gostar de seus filhos. Os testes e as restrições impostas ao criar filhos vão ser fortemente sentidos com este posicionamento, de forma que é aconselhável eles planejarem muito bem quando vão querer começar uma família. É bem provável que aprendam tanto de seus filhos como estes deles.

Curiosamente, elaborei mapas de alguns artistas profissionais e atores com Saturno nesta posição, como se tivessem que pôr para fora esta expressão criativa. Outros podem fazer carreira em organizações ou administração de artes ou em profissões que lidem com crianças ou jovens.