domingo, 19 de março de 2017

A Conjunção Sol e Lua

A conjunção entre o Sol e a Lua representa a união entre o masculino e o feminino, a alma (Sol) e a mente (Lua) e pode ser problemática para a maioria uma vez que leva a pessoa a exprimir aspetos duais e, em muitos casos, pouco integrados. A mente e o Ego integram-se potencialmente unindo as suas energias mas essa mistura pode ser problemática para muitos. Sendo a energia solar extremamente ativa e a energia lunar passiva, a expressão da Lua pode «desaparecer», queimada pela luz do Sol (combustão).

Assim, a primeira coisa a observar é ver se a Lua está antes ou depois do Sol na conjunção, isto é, se está uns graus antes do Sol ou uns graus depois deste, sendo que a distância mais confortável é de, pelo menos, 13º. Porque, se a conjunção ainda não se tiver formado, isso significa que, a certa altura, ao entrar no mesmo grau do Sol, a Lua perde totalmente a sua Luz, formando «uma Lua nova» e o resultado disso é que os nativos serão extremamente introvertidos, caindo facilmente na depressão e melancolia e sem energia suficiente para armar a sua personalidade externa durante a primeira parte da vida. Tornam-se apáticos em relação às experiências externas e preferem viver no interior do seu mundo subjetivo.

Esta fase em que a Lua se introverte, escondida por causa do «brilho do Sol» dura em geral até à maturidade. Entre os 28 e os 32 anos de idade, a Lua começa finalmente a emergir da sua concha subjetiva e os nativos começam na mente a ser capazes de exteriorizar os seus pensamentos procurando concretizá-los também no mundo exterior. Quando a Lua está mais fraca do que o Sol, a relação com a mãe pode ser prejudicada. A Lua ca combusta num raio de 12º graus de distância do Sol. Assim, para que a sua energia possa manifestar-se de forma clara, precisa de estar afastada do Sol (antes ou depois) pelo menos 13º.

Ler mais aqui:
http://aprendizdeastrologia.com/2016/12/conjuncao-sol-lua/