quinta-feira, 23 de março de 2017

Sobre a atribuição da regência dos signos, por Clélia Romano

"No hemisfério Norte o sol brilha mais em Julho e Agosto, pois é o Verão. Como a luminosidade é maior, deu-se aos luminares do dia e da noite, Sol e Lua, os signos de Leão e Câncer.

O calor é maior em Leão, e como o Sol é quente e seco atribui-se ao Sol sua regência e a Câncer o signo vizinho o domicílio do luminar noturno, a Lua.

Ora, na ordem caldaica dos planetas, após a Terra temos a Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno. Tendo isso em mente, com Leão e Câncer inicia-se a carreira de signos no hemisfério ao lado de cada luminar.

Virgem e Gêmeos, cujo regente Mercúrio ocupa a esfera a seguir à da Lua na ordem caldaica, ficam colados ao domicílio dos luminares.

Libra e Touro, cujo regente, Vênus, é o segundo após a Lua na ordem caldaica, ocupam os signos a seguir.

Escorpião e Aries, cujo regente, Marte, está acima do Sol na ordem caldaica dos planetas, ocupam os signos seguintes.

Sagitário e Peixes, regidos por Júpiter, o penúltimo planeta na ordem caldaica, seguem após.

Finalmente, Capricórnio e Aquário, onde ocorre o inverno e a falta de luz no hemisfério norte, regidos por Saturno, o último planeta, ocupam o lugar oposto a Câncer e Leão, o signo dos luminares."

Clélia Romano, in Fundamentos da Astrologia Tradicional, Edição do Autor, São Paulo, 2011, p. 32.