terça-feira, 6 de junho de 2017

Ο Zodíaco e os Signos, por Helena Avelar e Luís Ribeiro.

Α palavra Zodíaco vem do grego Ζώoν que quer dizer vida ou animal. Ο Zodíaco, é portanto, a faixa da vida ou dos animais, pois muitas das imagens das constelações que se encontram ao longo desta faixa retratam figuras de animais (o Carneiro, o Touro, o Leão, etc.).

Ο Zodíaco é gerado pelo movimento aparente do Sol em redor da Terra, ao longo do ano (na verdade é a Terra, no seu movimento de translação, que se movimenta no espaço ao redor do Sol, mas não é isso que é visível a um observador terrestre).

Este movimento aparente traça uma linha ao redor da Terra. É ao longo desta linha, denominada eclíptica, que a Lua e os planetas se deslocam no céu.



Como a trajetória aparente dos planetas não coincide exatamente com a eclíptica, definiu-se uma faixa com 16° de largura (8° abaixo e outros tantos acima da eclíptica) que abrange a área total onde se movimentam os planetas visíveis. É esta banda que se denomina Zodíaco.

Esta faixa e as suas divisões, os signos, são o principal ponto de referência na Astrologia.

Nela se mede o movimento dos planetas, bem como as variações nas suas qualidades e efeitos à medida que atravessam os diferentes signos.

O Zodíaco e os Signos

As variações de luz e calor, causadas pelo movimento do Sol ao longo do ano, originam as quatro estações: Primavera, Verão, Outono e Inverno.

Assim sendo, tanto as estações como o Zodíaco nascem do movimento anual do Sol, estando intimamente ligados. De fato, o Zodíaco foi originalmente concebido como um dispositivo calêndrico, concebido para "medir" as estações.

Desta forma, o Zodíaco divide-se em quatro áreas distintas, cada uma correspondendo a uma estação do ano. Os pontos de divisão são o Equinócio da Primavera, o Solstício de Verão, o Equinócio de Outono e o Solstício de Inverno, ou seja, os pontos onde o Sol está posicionado no início de cada estação.


O ponto "zero" da eclíptica (e de todos os referenciais celestes) é o Equinócio da Primavera, também conhecido por ponto vernal. Este equinócio marca o ponto em que os dias e as noites têm a mesma duração. Daí em diante, os dias começam gradualmente a aumentar, ao passo que as noites se tornam mais curtas. O tempo aquece; o calor junta-se à umidade acumulada no Inverno, dando lugar à fertilidade e ao crescimento. É uma época de agitação, de grande "fervilhar" no mundo natural.

A Primavera é uma estação Quente e Úmida, associada ao elemento Ar e ao temperamento Sanguíneo. O seu símbolo é uma semente a germinar.

A duração máxima dos dias é alcançada no Solstício de Verão. O Sol atinge o ponto de maior altitude nos céus e o tempo continua a aquecer, secando a umidade da Primavera. É um tempo de maturação dos frutos; os dias mais quentes permitem mais tempo de atividade.

O Verão é uma época Quente e Seca, associada ao elemento Fogo e ao temperamento Colérico. O seu símbolo é uma semente germinada.

No Equinócio de Outono, os dias e as noites voltam a ter igual duração. A partir deste ponto, a altura do Sol nos céus diminui gradualmente.


O tempo continua seco, mas a temperatura e a luz decrescem. É uma estação de recolhimento e de preparação para os tempos duros do Inverno.

O Outono é uma fase Fria e Seca, associada ao elemento Terra e ao temperamento Melancólico. O símbolo do Outono é uma planta totalmente desenvolvida que começa a secar.

O dia mais curto (e a noite mais longa) atinge-se no Solstício de Inverno, dando início a uma estação fria e de pouca luz, pois o Sol está no ponto de menor altitude no céu. Nesta fase, as chuvas abundam e a natureza mantém-se relativamente estática, aguardando a Primavera.

O Inverno é uma estação Fria e Úmida, associada ao elemento Água e ao temperamento Fleumático. O símbolo do Inverno representa alimentos armazenados.

Cada uma das quatro estações é dividida em três partes, correspondendo ao início, ao meio e à fase final. Ao dividir o Zodíaco em quatro estações, e cada estação em três partes, obtemos doze segmentos, que correspondem aos doze signos.

Os três primeiros signos assinalam a Primavera: Carneiro, que marca o início da estação, Touro, que corresponde ao culminar, e Gémeos, que assinala o seu fim.


A sequência repete-se nas outras estações, ao longo do ano; os signos de Verão são Caranguejo, Leão e Virgem; seguem-se os de Outono: Balança, Escorpião e Sagitário e finalmente os de Inverno: Capricórnio, Aquário e Peixes.

Embora subordinado ao temperamento comum da estação a que pertence (e que o determina em termos gerais), cada signo apresenta o seu próprio temperamento e modo de ação, como veremos adiante.


Helena Avelar e Luis Ribeiro, in Tratado das Esferas. Editora Pergaminho. Cascais, Portugal, 2007.
Pode ser adquirido em nova edição aqui: https://www.facebook.com/prismaedicoes/