segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Trânsitos, por Dane Rudhyar



De acordo com os conceitos formulados em nosso capítulo anterior, os trânsitos não diferem fundamentalmente de progressões ou direções. Eles são constituídos pelo movimento planetário ao longo do ciclo de 370 anos de completação da personalidade. Neste movimento, um dia de progressão corresponde a um dia de vida, um ano a um ano. No mais eles devem ser tratados exatamente como as progressões secundárias. Os aspectos podem ser calculados "progredido a progredido" ou "progredido a radical". Aqui "progredido" significa a posição real dos planetas como se vê na efeméride do ano de vida considerado. O ponto a ser lembrado é sempre o de que tais posições e os aspectos formados se referem ao âmbito da personalidade, isto é, àquela síntese de comportamento, sentimentos e pensamentos manifestados, que é o "homem concreto", o homem tentando tomar real e demonstrar num organismo terrestre (fisiológico e psicológico) a totalidade de seu ser.

Um exemplo elucidará este ponto completamente. Tomemos mais uma vez o mapa de Mussolini. Ele nasceu em 29 de julho de 1883. Consideremos agora as condições de "trânsitos" para a época da "marcha sobre Roma", isto é, 39 anos e 3 meses após seu nascimento: 30 de outubro de 1922. Procuramos esta data na efeméride e anotamos as posições dos planetas (por longitude). Essas posições nos dão as posições dos planetas "em trânsito'.

Se, por outro lado, desejássemos as "posições progredidas" para aquela mesma data, deveríamos ter consultado a efeméride para o dia 6 de setembro de 1833 (isto é, 39 dias e 6 horas após o nascimento). E se tivéssemos procurado as posições de "direções primárias" para esta "marcha sobre Roma", deveríamos ter considerado o estado da rotação da Terra 157 minutos (isto é, 39 vezes 4 minutos, mais 1 minuto) após o momento exato da primeira respiração de Mussolini. O mesmo processo é usado nos três casos, exceto que, nas "direções primárias", os fatores considerados são de natureza um tanto diferente, e assim sua consideração requer cálculos mais complicados.

Voltando agora às posições "em trânsito' para a "marcha sobre Roma", descobrimos que, tal como na interpretação de progressões secundárias, há dois métodos possíveis. O primeiro consiste em estudar os aspectos "trânsito . a trânsito"; o segundo, consiste em analisar os aspectos formados entre posições em trânsito e as posições radicais. O primeiro método se refere, obviamente, aos fatores mais transitórios da situação, ao simples fluxo de circunstâncias, sem ter nenhuma relação específica com Mussolini como indivíduo, mas caracterizando as condições dos sentimentos e disposições gerais de tudo na superfície da Terra naquele dia.

Vemos agora que no dia 30 de outubro de 1922 a Lua estava em conjunção com Urano, pouco antes do meio-dia, no décimo grau de Peixes; que Netuno em Leão estava em sextil com Mercúrio e Saturno em Libra; Júpiter numa conjunção distante com o Sol em Escorpião; Marte em trígono com o Nodo Norte e aproximando-se de uma quadratura com Júpiter. Como um todo, a configuração era muito favorável para regeneração pública e demonstração de poder. O símbolo do Sol naquele dia era "Mergulhadores de águas profundas", indicando um atirar-se destemidamente na experiência ou, corno Marc Jones o interpreta, "aventurar-se propositadamente". A conjunção Lua-Urano ocorreu no grau simbolizado por "Um aviador em voo de altitude elevada, mestre dos céus", interpretado como indicação de "transcendência dos problemas normais a ponto de obter responsabilidades celestiais" e a "coroação" de empreitadas humanas. Na verdade, tudo isto é realmente muito significativo!

Mas isso não se refere a Mussolini como indivíduo, mas apenas à qualidade dos eventos naquele dia. Para ver como essas "posições planetárias" se referem a Mussolini como indivíduo, precisamos compará-las com sua carta de nascimento radical, a forma-seminal de seu destino. Um traço aparece imediatamente, vividamente: o "Sol em trânsito' estava em conjunção exata com o Nodo Norte de Mussolini no final do dia. No final do dia, ele chegou a Roma, intimado pelo rei a assumir poder total. Em outras palavras, como o Nodo Norte é um ponto de destino futuro e influxo de poder, 30 de outubro era o dia do ano em que o "Sol em trânsito" o vitalizaria e o faria operar com o máximo de poder — com referência à personalidade de Mussolini. Obviamente, num evento como este o que estava em jogo mais que qualquer outra coisa era o poder da personalidade.

Ao mesmo tempo a conjunção em trânsito Lua-Urano ocorreu na "casa quatro" de Mussolini — urna mudança de domicilio e identidade concreta — em oposição à sua Parte da Fortuna radical uma consciência (oposição) de responsabilidade pública (décima casa), num certo sentido se opondo à sua felicidade pessoal (Parte da Fortuna). Esta conjunção estava em quadratura com sua conjunção radical Saturno-Lua-Marte, atingindo a Lua por quadratura e indicando a incorporação (quadratura) de um destino público (Lua). Netuno em transito estava muito próximo do Meio-do-Céu em Leão, mostrando que o poder da coletividade racial estava sendo focalizado sobre o ponto de atividade pública e poder espiritual de Mussolini. Finalmente, o Nodo Norte em trânsito estava sobre a cúspide da "décima primeira" casa, prestes a entrar na casa da atividade pública por retrogradação natural — indicando o poder de amigos e associados numa causa comum. Poderíamos ainda acrescentar que Mercúrio e Saturno em trânsito estavam em sua "terceira casa", perto de uma oposição a seu Júpiter e seu Vênus radicais. Esta foi uma influência limitadora muito valiosa, trazendo bom senso, moderação e atenção a objetivos próximos (terceira casa) — como equilibradores para planos distantes e grandiosos (nona casa). A conjunção Júpiter-Vênus na "nona casa" de Mussolini é um perigo para ele, e isto pode ficar particularmente evidente num futuro próximo, quando seu "Marte progredido" estiver adicionando combustível a uma configuração superexpansiva e imperialista.

Esta referência a um planeta progredido nos leva a indicar que, no momento de sua marcha sobre Roma, a "Lua progredida" de Mussolini estava aproximadamente cruzando seu ascendente radical — a mais forte das indicações para uma mudança significativa de arredores e uma repolarização igualmente importante da vida pessoal externa. O aspecto mais importante por "direção primária" é a conjunção de Marte com Júpiter, que mostra expansão — desta vez relacionada com o fator individual. Assim, um aumento de segurança individual e autoridade, uma mobilização de energias da alma para ação expansiva.

Estudar detalhadamente toda a complexa configuração de progressões, direções e trânsitos para este evento extremamente importante da vida de Mussolini está muito além do escopo deste livro, mas acreditamos que o que foi dito seja suficiente para indicar o procedimento geral e mostrar como esses três métodos básicos podem ser operados em relação mútua.
Trânsitos podem ser trabalhados de diversas maneiras, mas alguns pontos sempre precisam ser considerados quando se relacionam planetas em trânsito com a carta de nascimento.

Primeiramente, planetas rápidos, como Mercúrio, Marte e Vênus, fazem tantos aspectos com planetas radicais e com tamanha freqüência, que a importância desses aspectos é muito pequena. Nestes casos a passagem do planeta em trânsito por uma casa geralmente é o fator mais valioso de determinação, especialmente quando qualquer planeta em trânsito cruza os "ângulos" do mapa radical, aumentando temporariamente na vida da personalidade a função simbolizada por cada um dos ângulos, em termos do tipo de atividade representada pelo planeta.

Os padrões formados pelos planetas lentos (Urano, Netuno e Plutão), no entanto, são de grande importância, pois pelos aspectos que estes planetas formam com os planetas radicais (e por sua passagem pelas casas radicais) é que se pode mapear precisamente a influência de grupos humanos e da sociedade humana em geral sobre o desenvolvimento da personalidade. Trânsitos de Urano liberam o caráter (ou a "loucura") do indivíduo e o tornam socialmente efetivo.

Trânsitos de Netuno, ao contrário, referem-se à pressão de fatores coletivos ou grupais sobre o indivíduo, lutando por seu direito de ser um indivíduo. Trânsitos de Plutão (quando efetivos) fazem surgir o chamado de uma nova ordem para a personalidade. Eles forçam a personalidade a alinhar-se com novos ideais e novas formas sociais. Eles podem causar mortes que afetam o destino na esfera da personalidade, e também associações que afetam o destino.

Os trânsitos de Júpiter e Saturno se referem mais especialmente ao modo como o ego do homem funciona exteriormente; a fases inibitivas e formatórias de desenvolvimento, no caso de Saturno; a tipos expansivos e compensatórios de liberação de alma, no caso de Júpiter. O ciclo de 29 anos de Saturno e o ciclo de 12 anos de Júpiter são fatores importantes no processo de vida, especialmente e relação ao que poderia ser chamado de fator alma.

A influência de planetas em trânsito é muito enfatizada quando uma conjunção ou oposição entre eles atinge um ponto importante do mapa radical. Assim, cada lunação (conjunção — e oposição — de Sol e Lua) tem significado para a personalidade se ocorre num aspecto forte, com um planeta radical forte (ou ângulo). Este significado é muito ampliado no caso de eclipses. Por exemplo: o eclipse de 29 de julho de 1935 sobre o Sol de Mussolini poderá demonstrar um significado assustador. Um aglomerado de planetas transitando por um ponto radical, naturalmente, é de importância ainda maior.

Um outro modo muito valioso de usar trânsitos é encontrado no cálculo de mapas de aniversário. Este mapa é calculado para cada dia de aniversário e mostra, de um modo geralmente muito preciso, que tipo de eventos de personalidade devem ser esperados naquele ano da vida do nativo em particular (ou seja, de aniversário a aniversário). Mas aqui novamente temos pelo menos dois métodos básicos de levantar este mapa:

1) o mapa de aniversário é calculado pela hora original de nascimento no local de residência (não no local de nascimento);

2) o mapa de aniversário é calculado para o momento em que o "Sol em trânsito" retorna à posição zodiacal exata que ocupava por ocasião do nascimento. Este momento pode não cair no mesmo dia do nascimento. Por isto, em vez de ser chamado mapa de aniversário este mapa é chamado mapa da revolução solar. Pode ser calculado tanto para a latitude do lugar de nascimento quanto para a do lugar de residência. O primeiro é preferível, pois este tipo de mapa é definidamente correlato à carta de nascimento pela identidade de fatores solares — portanto também à latitude de nascimento.

Nos dois casos, o padrão de casas geralmente é diferente da carta natal, exceto, no primeiro caso, se o nativo mora no local em que nasceu. Se desejarmos manter o padrão de casas do nascimento, então o mapa de aniversário precisa ser calculado para o lugar de nascimento; em outras palavras, as posições de trânsito dos planetas são marcas na estrutura radical de casas. Este é o modo comum de cálculo de trânsitos.

Vimos assim rapidamente como os vários tipos de progressões, direções e trânsitos operam. Se formos cuidadosos e mantivermos sempre a visão do quadro todo que estes sistemas formam, e se tivermos entendido perfeitamente a divisão psicológica do ser humano como um todo em fatores individuais, coletivos e de personalidade, não deveríamos ter nenhuma dificuldade em dominar uma situação complexa. O ponto principal que queremos enfatizar — e que acreditamos nunca ter sido enfatizado deste modo antes — é que não existe nenhuma diferença básica entre progressões, direções e trânsitos. Nestes três sistemas, estabelecemos uma correspondência entre unidades de três ciclos: o ciclo-dia (fator individual), o ciclo-ano (fator coletivo) e o ciclo-370 anos (fator personalidade), e lemos o estado real dos céus após o nascimento em termos dessas unidades cíclicas, equacionando-as de qualquer modo que desejarmos.

Estas leituras de posições pós-natais, na maioria dos casos devem ter como referência a carta de nascimento, pois ela representa a forma-seminal de ser e porque o "vir-a-ser" não pode ter significado exceto em termos de "ser". Valores puros do "vir-a-ser" podem ser determinados de modo útil em muitos casos, como nos aspectos planetários "progredido a progredido" e "em trânsito a trânsito'. Mas com isso se obtém, no caso das progressões, apenas informações relacionadas com o fluxo do "devir da personalidade" e,. no caso dos trânsitos, apenas informações sobre as condições do meio ambiente em geral. Como nossa preocupação principal é com o processo segundo o qual o indivíduo, após sucessiva assimilação de valores coletivos, alcança sua completação como personalidade criativa, é evidente que só podemos atribuir significado a este processo remetendo todos os fatores do "vir-a-ser" à forma-seminal do "ser" individual.

A grande dificuldade para se trabalhar com diversos sistemas de computação de tempo é que o tempo de maturação de um mesmo aspecto é diferente em cada sistema. Portanto se tentarmos prognosticar eventos, na verdade é muito difícil saber qual indicação de tempo escolher para o evento. As vezes, analisando a importância básica do evento considerado, pode-se saber se tende mais a cair nas indicações dadas pelo sistema de fatores individuais do que nas dos sistemas de fatores coletivos etc. Mas, esta é sempre uma questão incerta.

O que importa é que nenhum evento pode ser previsto com precisão pela astrologia natal. Previsões de futuro do tipo psíquico e, numa medida bastante considerável, a "astrologia horária" de um certo modo podem produzir evidências melhores de rigor de previsibilidade. Talvez elas localizem melhor os eventos, mas não podem atribuir significado ao processo vital do qual esses eventos são meros indicadores externos. Encontramos aqui novamente um tipo psicológico de "principio de indeterminância" em funcionamento. Normalmente, ninguém pode precisar o local de um evento e o seu significado ao mesmo tempo. Cada fator requer um tipo especial de polarização mental ou espiritual, que, ao menos até certo ponto, exclui a outra.

Além do mais, por que eventos deveriam ser previstos com precisão? O coeficiente de imprecisão é o coeficiente de liberdade. De um ponto de vista estritamente astrológico, este último é encarado como sendo o próprio fato, de existirem vários modos possíveis de progredir, direcionar ou "transitar" um mapa. Este fato refere-se à constituição tríplice básica do homem: o principio mental (individual), o principio de sentimentos (coletivo) e o princípio de comportamento (personalidade). Pensamentos, sentimentos e ações têm cada qual uma existência quase independente no homem — como a filosofia oculta demonstrou desde (ou antes de) Platão. A liberdade reside na inter-relação criativa destes três fatores.

Portanto o fator criativo em progressões e similares é o próprio elemento de imprecisão — o desespero dos astrólogos! Liberdade, como já vimos em relação à nossa análise de "cúspides" , o elemento "neutro" na vida. Entre o plano arquetípico e o campo do comportamento real existe um mundo ilusório misterioso, que é o mundo da psique humana (o tão mal entendido domínio kama-manasico dos teosofistas, o domínio Sukshma do filósofo hindu). É o mundo de liberdade e de ilusão, o mundo de criatividade e de engano, o mundo em que as realidades arquetípicas não são vistas como são, mas embaçadas pelo movimento do evoluir tal como uma paisagem é vista embaçada através das janelas fechadas de um trem em movimento, especialmente se o movimento causar enjôos ao viajante! E o mundo da personalidade; o mundo da relatividade — do qual o filósofo hindu tanto deseja ver-se desvencilhado. Mas o que é desvencilhamento?

Para nós, mera ilusão, a não ser que signifique antes de tudo completação. Liberdade só se conquista através da completação. E ser livre sempre significa um pouco de não conhecer, é o coeficiente de imprecisão. Ele se baseia na coragem de prosseguir desconhecendo o futuro.
É por isto que professores espirituais ou "mestres" — sejam o que forem — nunca obrigam, nunca mostram o futuro exato de qualquer ação empreendida. Pois fazer isto seria roubar a liberdade criativa do homem e sua iniciativa para criar. O que o homem pode fazer é compreender de tal modo seu passado, captar de tal maneira o significado completo da forma-seminal de seu ser e destino (carta de nascimento), que ele esteja totalmente preparado para ir de encontro a qualquer futuro — para encontrar-se com ele de modo significativo, com coragem, com compreensão, e a partir de uma concepção tão "bem estruturada", que todos os eventos sejam vistos como belos. Esta é a vida criativa e radiante de completação.

_______________________________________________________________
Extraído do livro Astrologia da Personalidade, de Dane Rudhyar.