sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Júpiter na 4ª Casa (Sagitário no Fundo-do-Céu), por Howard Sasportas

Em primeiro lugar a escondida e insular 4ª Casa parece um domínio doentio para o deus dos céus, Júpiter. No entanto, fiel à sua natureza, ele consegue fazer uma vida até bastante confortável para si mesmo nesta esfera — contanto que sua vida caseira não o restrinja em demasia.

Já vi muitos mapas com Júpiter na 4ª nos quais as pessoas nasceram em famílias aristocráticas ou tinham alguns poucos antecessores conhecidos. Através da linha familiar paterna, há, às vezes, a influência de uma cultura estrangeira no sangue. Mas mesmo que não se possam proclamar descendentes de Luís XVI, do último Czar da Rússia ou do rei dos ciganos, eles herdam uma natureza religiosa, filosófica ou ambulante pelo seu ambiente ou pelas condições de sua primeira infância. Como o gênio da garrafa, residindo profundamente dentro daqueles que têm Júpiter na 4ª está um poderoso e expansivo espírito esperando para ser libertado.

Eles conseguem investir grande quantidade de energia em estabelecer o lar de seus sonhos, mas fariam melhor em verificar se há bastante lugar para satisfazer sua necessidade de espaço. Muitas vezes beneficiam-se em não viver dentro de cidades muito populosas e em espaços mais naturais e abertos do interior, onde a vista não é obstruída. (Eu sempre os imagino morando num rancho campestre.) Alguns podem viajar de país para país procurando seu lar espiritual. Em vez de ansiarem por reconhecimento público ou profissional, podem se devotar ao trabalho da alma e ao crescimento interior. Uma mulher que conheço com Júpiter em Sagitário na 4ª Casa é um bom exemplo para este posicionamento. Nascida num lar aristocrático e lady por nascimento, ela hoje vive numa comunidade espiritualista no Canadá. Primeiro, presa entre os valores de sua família e aqueles pregados por seu guru, ela dividia-se entre chás em festas da aristocracia e a lavagem de panelas na comunidade do guru. Porém, mais tarde ela percebeu que o melhor destes dois mundos separados tinha algo a oferecer um ao outro. Trouxe para sua família um novo sentido espiritual e para seus colegas discípulos uma ajuda que lhes permite formar uma idéia mais sólida dos valores terrenos da tradição inglesa.

Júpiter na 4ª Casa pode colorir o relacionamento paternal. Em alguns casos, o pai é confundido com a imagem de Deus: ele é visto como nobre, majestoso e maior que a vida. Refletindo algumas outras qualidades de Zeus, o pai pode ser vivenciado como uma figura promissora repleta de potencial e inspiração, mas com um incorrigível olho errante e um saco cheio de raposas selvagens. Algumas vezes, o pai irá surpreender o lado jupiteriano de sua natureza para poder prover o tipo de estrutura e segurança que é esperada dele; neste caso, a criança com este posicionamento pode crescer com uma irresistível necessidade de realizar aquilo que o pai não realizou.

Se Júpiter na 4ª Casa está bem aspectado, há um otimismo e uma fé inatos na vida que aparecerão mais à medida que a pessoa for amadurecendo. Geralmente promete uma idade avançada repleta de muitos interesses e ocupações. Seus contemporâneos poderão já ter pendurado as chuteiras enquanto Júpiter na 4ª Casa ainda continua bem vivo e de olho no progresso.

Com Sagitário no Fundo-do-Céu há normalmente a tentativa de construir a vida dentro de um claro quadro moral e filosófico. Às vezes, eles viajam na infância ou crescem numa família religiosa. Se a vida chega a um ponto morto, eles conseguem se renovar através de grandes atos de fé ou vislumbrando novas metas rumo às quais se lançam.