sexta-feira, 17 de março de 2017

Plutão em Escorpião no Mapa Natal, por Adrian Ross Duncan

Plutão descreve uma órbita irregular em volta do Sol, que dura
cerca de 248 anos. Quando está mais próximo do Sol, demora
apenas 12 anos para atravessar um signo. Quando está mais
afastado, esse trânsito demora perto de 30 anos.
Coletivamente, sua influência é sentida a um nível muito
profundo na sociedade, gerando trauma, transformação e
renovação em relação ao signo em que se encontra. Os
indivíduos com seu Ascendente em Escorpião podem
expressar essa influência de modo pessoal. De contrário, seu
efeito se expressará como uma influência subjacente sobre
uma geração inteira.

Plutão estava em Escorpião, signo do qual é suposto ser o
regente, entre 1738 e 1749 e, novamente, de 1984 a 1995.
Nesse ponto, Plutão está tecnicamente mais perto do Sol do
que Netuno, por causa da irregularidade de sua órbita. Nesses
tempos, ocorrem profundas mudanças na condição humana,
em especial nas áreas da sexualidade e da segurança. A nível
financeiro, enormes transtornos levaram à reorganização dos
sistemas bancários. Nos corredores do poder, são derrubados
os ditadores mesquinhos e os figurões da Máfia. Em todos os
lugares em que havia concentração de poder nas mãos de
organizações elitistas ou secretas, ocorreram transformações
exaustivas.

Se puder canalizar essa influência para sua vida pessoal, terá
extrema consciência do poder que tem nas mãos e, também,
de qualquer forma de má utilização de tal poder. A natureza de
sua própria sexualidade vai absorvê-lo e você pode ficar
tentado a fazer mau uso do seu magnetismo pessoal para
gratificação dos sentidos. Uma concentração profunda, ou até
mesmo obsessão, sobre o controle emocional nos
relacionamentos, somada a experiências de eventual perda
desse controle, vão levá-lo a uma profunda transformação
psicológica, na qual você vai rejeitar a utilização errada do
poder e mobilizar os seus recursos emocionais para obter
mudanças positivas nos outros.