domingo, 19 de fevereiro de 2017

Plutão na 11ª Casa, por Howard Sasportas

O filósofo e historiador Will Durant escreveu que "o significado da vida reside na possibilidade que ela nos dá de produzir ou de contribuir para algo maior que nós mesmos". Para muitas pessoas, a família serve a este propósito; mas para outras poderia ser um grupo que traz à tona o potencial de nobreza da pessoa e lhe dá "uma causa pela qual trabalhar que não será abalada pela sua morte".5 Por um lado, essas idéias englobam os mais altos propósitos de um Plutão de 11ª Casa: ser capaz de se dedicar a algo maior do que eles próprios e que vai continuar para sempre.

Espera-se que os grupos derrubem fronteiras e mudem quem tem Plutão na 11ª Casa. Por esta razão, algumas pessoas com esse posicionamento têm muitos problemas e se sentem pouco à vontade em grupos. A energia destruidora de Plutão pode ser projetada no grupo e elas sentem que o grupo está tentando destruí-las. Profundos complexos emocionais são trazidos à tona através de situações grupais; eis o motivo pelo qual esta é a área da vida através da qual importantes transformações psicológicas podem ocorrer. Embora seja possível parecer uma experiência atemorizante para essas pessoas, elas podem beneficiar-se muito do tipo de terapia de grupo, onde as tendências ocultas ativadas pelo grupo tendem a ser discutidas abertamente. Às vezes, elas acabam sendo o bode expiatório ou "a sombra do grupo", botando para fora aquilo que os outros reprimem ou negam.

Quem tem Plutão na 11ª Casa poderia ser levado a grupos interessados na reforma radical de estruturas e instituições existentes na sociedade. Outros poderiam estar mais interessados em grupos ligados ao crescimento psicológico, como Jerry Rubin, o político americano ativista dos anos 60, que nasceu com Plutão em Câncer na 11ª Casa. Mais tarde, como muitas vezes acontece com Plutão nessa casa, a casa das metas e dos objetivos, ele mudou e se ligou a grupos de orientação mais filosófica e psicológica. Jean Houston, uma conhecida psicóloga humanista, orienta grupos sobre como ser um ser humano mais completamente realizado e maior. Ela também tem Plutão na 11ª Casa. Notei que grande número de músicos e regentes têm este posicionamento de Plutão — a banda ou a orquestra é o grupo, essencial para seu trabalho e expressão. Em certos casos, é possível que alguém com Plutão ali se junte ao grupo como 5ª coluna, com o propósito de miná-lo e infiltrá-lo. Os motivos nem sempre são tão explícitos quando se trata de Plutão.

Zelar por uma boa causa é sempre algo positivo, mas um aspecto difícil de Plutão na 11ª Casa poderia trazer o que alguns psicólogos chamam de "cruzadeirismo". Essas pessoas são manifestantes em busca de uma saída, abraçando compulsivamente uma causa após outra. Os motivos de tão resistente atavismo podem ser examinados para ver se elas não estão mascarando algum medo profundo sobre a falta de propósito de suas vidas.

Plutão na 11ª Casa também se revela através das amizades. Numa nota positiva, isso poderia significar uma profunda amizade, capaz de durar muitos anos e atravessar períodos de crise e de mudança: porém, invariavelmente, existem grandes complicações para a amizade com Plutão aqui. A traição tende a ser um problema. Eles podem ter sido decepcionados ou abandonados por alguém em quem confiavam e descobrir que eles próprios são capazes de ser rudes e de agredir alguém. O famoso gangster John Dillinger, traído pela "dama de vermelho", nasceu com Plutão nesta casa regente de Escorpião na 5ª Casa, a casa do romance. Os grupos a que ele pertencia eram plutonianos, isto é, do submundo ou mundo inferior.

Rivalidade sexual ou tendências sexuais entre amigos ocorrem com Plutão nesta casa. Uma amizade pode começar com um relacionamento sexual e transformar-se em outra coisa, ou vice-versa. A perda ou a morte de um amigo pode despertar uma série de problemas psicológicos e filosóficos. Conflitos de poder entre amigos também são possíveis com este posicionamento. Eles podem temer que, embora controlem o relacionamento, o amigo venha a fazer algo capaz de feri-los.

Com Plutão na 11ª Casa, a razão de fazer amigos deveria ser examinada. Existem motivos secretos ou profundos para ser amigo particular de uma pessoa? Eles também podem achar que, ao contrário, um amigo trapaceia a esse respeito.

A 11ª Casa também está relacionada com as metas e os objetivos de uma pessoa na vida e com os ideais que se deseja realizar no futuro. Com Plutão ali, toda a maneira pela qual eles se colocam a respeito de realizar suas metas e objetivos pode precisar ser examinada e revista periodicamente. Alguns mostram uma inabalável e aguda concentração, enquanto outros se inclinam para uma obsessão que justifica qualquer tipo de rudeza e falsidade a fim de assegurar seus desígnios. Em dado momento, pode haver uma significativa reorientação de seu sentido de propósito, direção ou do papel que vão desempenhar num mais amplo esquema de coisas.

Se Plutão tem muitos maus aspectos, eles podem ficar confusos sobre onde se encaixam no coletivo em geral. Alguns tendem a se sentir isolados ou sozinhos, como se o fluxo da história estivesse indo numa direção diferente daquela que eles estão querendo tomar. Liz Greene refere-se a esta posição como aos "profetas de mau agouro", que olham para o futuro e só vêem destruição. Em vez de ver o que está ocorrendo de bom, eles primeiro olham o que está indo mal, ou percebem as ocultas sementes da destruição naquilo que parece o melhor e o mais claro dos planos. Como Cassandra na mitologia grega, podem achar que os outros não querem ouvir a respeito do que vêem.