sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Saturno na 12ª Casa, por Howard Sasportas

Como aqueles que têm Saturno na 8ª Casa, pessoas com Saturno na 12ª Casa têm medo daquilo que jaz abaixo da superfície do nível de consciência. Se relaxarem os controles sobre si mesmas, receiam ser engolfadas por emoções dominantes.

Os neo-freudianos acreditam que em nome da segurança e da adaptabilidade social reprimimos certos desejos, impulsos e apetites que outros (ou nossos próprios egos) achariam inaceitáveis. Mas algumas pessoas com Saturno na 12ª Casa dão um passo à frente. Divorciando-se daquilo que está no inconsciente, também inibem um desejo muito premente e positivo que existe dentro de todos nós; a ânsia de nos integrarmos à vida como um todo. Em vez de sentir alegria na descoberta do aparecimento de algo maior do que o self, recuam horrorizadas ao simples pensamento da dissolução de suas individualidades. Robert Desoille, um psicoterapeuta francês, inventou um termo para isso: "a repressão do sublime".

Em certos casos, sofrem um tipo de culpa ou desespero — algo dentro deles diz-lhes que eles não são tudo o que poderiam ser. Ou então sofrem bloqueios decorrentes de paranóia, um sentimento de que alguém ou algo vai destruí-los. Os livros de astrologia tradicional interpretam Saturno na 12ª Casa como "desfazendo os inimigos secretos"; mas, mais freqüentemente, o inimigo é um aspecto de seu próprio self inconsciente, irritado com eles por ter sido posto de lado. Quando fazem amigos com os que rejeitaram, um sentimento de paz paira sobre a psique e eles dormem mais sossegados à noite. Se não se reconciliam com as partes de si mesmos que renegaram, então protegem-se contra invasões trancando duas vezes suas portas, olhando só para si mesmos e lembrando-se de esquecer seus próprios sonhos.

Profundos temores psicológicos difíceis de traçar podem contribuir para um constante sentimento de dúvida e de falta de confiança. Algumas vezes seus problemas se originam em dificuldades pré-natais. O útero é onde deveríamos flutuar no sentido da totalidade da vida. Se, por alguma razão, essas águas são perturbadas, futuramente vamos resistir a qualquer tipo de experiência que se assemelhe a isso. Valeria a pena, para quem tem Saturno na 12ã Casa, investigar como foi seu período de gestação. Talvez a mãe não tivesse a certeza de querer o filho na época, ou tinha preocupações com dinheiro ou sobre a disposição do pai. Por alguma razão, o embrião em desenvolvimento, através da conexão umbilical, registrou que a vida não ia bem. A criança cresce vagamente ansiosa com relação a tudo, culpada por estar viva e com pouca relação com o resto da vida.

Talvez devido a esse sentimento de culpa ou parcialmente motivado por um sentimento inato de ser responsável pelos problemas de outras pessoas, eles podem achar que têm um débito para com a sociedade, débito que pode ser pago através da prestação de serviços. Às vezes, trabalham em hospitais, em prisões, instituições de caridade ou governamentais que lidam de muitas maneiras com quem tem problemas ou carências. Outros com Saturno na 12ª Casa podem viver seu dominante sentimento de inaceitabilidade atrás das grades ou escondidos numa enfermaria de hospital.
Alguns com Saturno nesta casa sentem terror diante de qualquer sinal de intimidade. Isso pode advir do medo de serem engolfados ou do pavor de perderem suas identidades como indivíduos separados. E possível que acreditem que só conseguem manter a autonomia afastando-se das pessoas. Ou temem que, não importa o que façam, tudo vai dar errado. Assim, evitam ligações ou compromissos com pessoas ou coisas. Esse subjacente sentimento de futilidade precisa ser trazido à superfície e explorado. Enquanto não fizerem isso, terão medo de todos os sentimentos e emoções (12ª Casa) e encontrarão refúgio vivendo basicamente "em suas cabeças".

Qualquer princípio na 12ª Casa pode nos sustentar ou nos desfazer. As qualidades positivas de Saturno, tais como reconhecer seus limites naturais, a aceitação de deveres e responsabilidades e um senso comum normal podem ajudar a superar situações difíceis. Alguns exibem uma profunda sabedoria interior, capaz de guiá-los através de tempos muito difíceis. No entanto, um sentido amplo demais de separatismo em relação ao resto da vida, um enfoque por demais materialista ou a recusa em examinar problemas psicológicos pode ser causa de dor e sofrimento. Às vezes, há um voluntário desvio de atividade ou uma compulsiva necessidade de privacidade e reclusão para juntar os pedaços do self que foram abalados por um estressante encontro com a vida. Por vezes, eles podem ser levados a procurar o apoio ou a ajuda de instituições de caridade ou ligar para "qualquer coisa" a fim de pedir socorro. Por mais duro que possa ser, uma crise que precipite o pedido de ajuda aos outros pode capacitá-los a descobrir que não estão tão sozinhos no mundo como pensavam. O poeta alemão, Goethe, nascido com Saturno em Escorpião na 12ª Casa, expressou liricamente um sentimento semelhante ao escrever: "Quem nunca comeu pão com lágrimas, quem nunca passou uma noite cheia de preocupações, soluçando em sua cama, não conhece... os poderes celestiais."

Concluindo, Saturno na 12ª Casa exige que todo o domínio do inconsciente seja olhado com seriedade. Quem tem esse posicionamento pode ter medo de explorar estas águas, mas é justamente isso o que deve ser feito. Se conseguirem ultrapassar seus medos e embarcar no barco da auto-investigação psicológica, seus esforços serão amplamente recompensados. Eles não serão apenas religados a partes decepadas de si mesmos, mas ganharão de novo um sentido de reatamento com o resto da vida nesse processo.