domingo, 26 de fevereiro de 2017

As Casas Astrológicas em que Caem os Eclipses, por Maria Eunice Sousa

Casa 1 – Casa angular e super importante onde o eclipse se faz notar de
forma inquestionável, especialmente se conjunto ao Ascendente. Período
de grande ênfase e destaque pessoal. A energia e o entusiasmo ficam
acentuados e você se sente fazendo maior impacto no ambiente e no
mundo em geral. Pode ser um bom período para fazer mudanças na
aparência física. É um ciclo para se destacar e aparecer – se esse
destaque é positivo ou negativo vai depender das ações e atividades
desenvolvidas até aqui, assim como dos aspectos que o eclipse possa
fazer a planetas natais.

Casa 2 – A ênfase aqui recai sobre os valores, sejam eles materiais ou
imateriais. Finanças, posses, patrimônio material vêm para a linha de
frente e “eventos” podem se precipitar ligados a ações passadas. Pode ser
um bom período para reavaliar investimentos e a gestão dos recursos;
para aprender uma nova habilidade que se transforme também em recurso
e valor; especialmente para refletir sobre nossos valores mais essenciais e
como eles influenciam nossas decisões e escolhas.

Casa 3 – O foco recai sobre estudos e aprendizados, que serão, ou não,
estimulados e favorecidos, dependendo dos aspectos do eclipse.
Comunicação, veículos, viagens curtas, viagens diárias para o trabalho e
deslocamentos em geral também são influenciadas por estas energias.
Irmãos e parentes próximos podem também se tornar foco da nossa
atenção por diferentes motivos.

Casa 4 – Outra casa angular onde o eclipse tem maior ênfase. Assuntos
ligados à família de origem, assim como à família formada pelo indivíduo.
Mudança na relação com a figura paterna, que pode ter seu poder e
autoridade ofuscados de alguma forma. A atenção é para os assuntos
domésticos, do lar e da casa física em que se mora, assim como para a
faceta mais íntima da vida privada. Reformas e mudanças na residência
são possíveis.

Casa 5 – A criatividade e expressão pessoal recebem grande injeção de
ânimo, assim como os romances e atividades de lazer e relaxamento.
Filhos, como expressão mais óbvia de nossa criatividade também se
tornam o centro das atenções, especialmente o filho mais velho; novas
atividades criativas ficam favorecidas, como artes, danças, música, etc.
Aconselhável ter cuidado com especulações e jogos de azar. E claro, se as
manifestações são benéficas ou estressantes, depende das variáveis do
eclipse.

Casa 6 – Trabalho diário, emprego, colegas de trabalho, relação com
empregados e servidores, saúde, corpo, cotidiano, bichos de estimação…
Todos estes assuntos ficam realçados com um eclipse solar nesta casa. É
um momento de avaliar com seriedade a forma como cuidamos da saúde
e especialmente avaliar o impacto de maus hábitos sobre ela, como fumar,
por exemplo. Reorganização do local de trabalho assim como programas
de reeducação alimentar ficam beneficiados.

Casa 7 – Outra casa angular. Todas as relações próximas ficam sob os
holofotes, sejam parcerias afetivas ou de negócios, assim como amigos
mais chegados e também os tais “inimigos declarados”. Propostas de
casamento ou de sociedades são possíveis, assim como rupturas,
dependendo de como o eclipse “conversa” com o resto do mapa e dos
demais movimentos que estejam acontecendo neste mapa.

Casa 8 – Casa dos valores dos outros, da morte (não necessariamente
literal) e renascimento, de crises, de impostos, seguros e heranças. E
também do sexo como expressão da parceria íntima. Então todos estes
assuntos podem demandar nossos cuidados e nosso tempo, trazendo
benefícios ou preocupações. O período pode ser particularmente “quente”
sob os lençóis e novos amantes podem aparecer à nossa porta.

Casa 9 – As viagens de longa distancia, assim como as buscas espirituais
e a mudança de crenças ocupam nossa atenção quando um eclipse cai
nesta casa. Cursos superiores e vida acadêmica, assim como publicações
também estão enfatizados. Os parentes do cônjuge também são vistos
aqui e podem representar problemas ou alegrias. Novos conhecimentos
que expandem a consciência podem ser iniciados a partir de novos
contatos ou até mesmo por um livro que começamos a ler.

Casa 10 – A ultima casa angular, de suma importância. A casa da nossa
imagem pública, da carreira, da vocação e também da mãe ou da figura
materna arquetípica. Podemos ser promovidos ou demitidos
sumariamente; podemos ficar literalmente sob os holofotes em situações
públicas e que agregam valor à nossa persona pública e status
profissional. Publicidade gratuita pode nos favorecer. Eventos ligados à
mãe também podem nos afetar.

Casa 11 – Um eclipse nesta casa pode indicar um período bom para se
iniciar novas amizades, participar de grupos e associações que sempre
quisemos mas nunca tomamos a atitude. Aqui vemos os amigos e as
relações sociais, que obviamente ganham ênfase especial. As esperanças
de futuro e projetos de longo prazo também ficam favorecidos, ou sua
realização, reavaliação ou desilusão.

Casa 12 – Possivelmente a casa mais difícil de expressão de um eclipse. A
casa da introspecção e do inconsciente. Esqueletos tendem a sair do
armário e demandar que lidemos com eles; tabus familiares ou raciais
tendem a cair no nosso colo de graça, e não podemos mais fingir que não
os vimos; é uma casa de serviço, então somos convidados a prestar
serviços que implicam sacrifício ou oferenda de nosso tempo e energia em
favor de outros. Podemos nos sentir particularmente introspectivos e sentir
o desejo de isolamento e reclusão.


Observação: o texto acima é apenas parte do artigo da autora. O artigo
completo pode ser lido aqui:
http://mariaeunicesousa.com/2015/09/13/da-natureza-ciclos-e-efeitos-dos-eclipses/