domingo, 26 de fevereiro de 2017

Eclipses nas Casas Astrológicas, por Anna Maria Costa Ribeiro

Os eclipses nas casas caracterizam mais pessoalmente a ação do fenômeno astronômico e do simbolismo astrológico. Como os eclipses são importantes nas características mundiais, relacionamos também esse enfoque.

Qualquer eclipse focaliza o assunto de uma casa, tornando-o proeminente, fazendo com que a pessoa ou país procure preenchê-lo de uma maneira ou de outra. No eclipse lunar entra em foco também a casa oposta.

Casa 1: busca projeção para ter mais auto-estima e desenvolver-se, algumas vezes provoca crise de identidade. Mundialmente, o país começa a manifestar-se mais abertamente impondo-se e mostrando seu comportamento psicológico.

Casa 2: focaliza situação econômica, perspectivas financeiras a curto prazo e segurança pessoal. Mundialmente, o país desenvolve seus recursos internos, preocupa-se com os valores materiais, busca manter seus ganhos e controlar as perdas. Focaliza na produtividade e nas reservas econômicas.

Casa 3: busca novas idéias, preenchimento intelectual, oportunidades de comunicação, aprendizado. Mundialmente, o país focaliza na imprensa, nos estudos imprescindíveis à população (1º e 2° graus), nos transportes e diversos meios de comunicação.

Casa 4: estimula vida familiar, segurança dos membros da família, ajustamento com parentes, preocupação com imóveis e propriedades. Mundialmente, reflete-se no povo, na agricultura, nos minérios, edifícios públicos e no partido de oposição, bem como na construção civil.

Casa 5: desejo de afirmar a criatividade, o amor, busca de divertimentos, preocupação com os filhos e com a vida sexual. Mundialmente, mostra a criatividade e natividade da nação, atua nas diversões do povo.

Casa 6: alterações no trabalho, aperfeiçoamento da saúde, condições dos empregados, novas técnicas de sobrevivência. Mundialmente, atua nos serviços públicos, nas condições de saúde, saneamento básico, leis trabalhistas do país.

Casa 7: preocupação com os relacionamentos e associações, interações humanas em geral, buscando uma complementação nos outros, formando alianças. Mundialmente, o país envolve-se com contatos com outros países, diplomacia, ou enfrenta inimigos declarados.

Casa 8: estimula a emoção, o aprofundamento das relações, os investimentos financeiros, os bens em comum, bem como as relações sexuais ou o interesse no esoterismo. Mundialmente, o país em crise de transformação, revê a previdência social, as taxas, impostos, a mortalidade da nação.

Casa 9: desenvolve o pensamento abstrato, a religião, os padrões éticos, focaliza na educação superior (universidades) e nas viagens. Mundialmente, estudam-se as leis, poder judiciário, os negócios de importação e exportação, focaliza-se nos países mais distantes.

Casa 10: importância da profissão, da posição social e do reconhecimento público, deseja projetar-se socialmente dentro dos padrões culturais aos quais pertence. Mundialmente, o país focaliza-se no próprio poder executivo, no governo.

Casa 11: busca participação em grupos, percebe-se como membro da coletividade, desenvolve senso humanitário, faz amizades. Mundialmente, volta a atenção ao parlamento, congresso, poder legislativo, aos projetos do país e associações em geral.

Casa 12: desenvolvimento espiritual e psicológico, maior vida interior, ou condições de saúde, internações em geral, além de focalizar nos enganos, fraudes, traições, inimizades ocultas. Mundialmente, o país sente uma obstrução ao seu avanço, ficando mais na retaguarda ou atuando atrás das grandes cenas, participa de obrigações sociais, ou encontra traições aos seus objetivos.