quinta-feira, 20 de abril de 2017

As Qualidades Elementares, por André Barbault

Quente

O calor é foco de energia, princípio dinâmico que imprime movimento à matéria; como força motriz, ele anima, desenvolve, transforma e faz evoluir as coisas às quais dá intensidade, ardor, amplificação, exaltação. O impulso que imprime aos fenômenos pode se traduzir por um impulso para fora (força centrífuga, exteriorização, desabrochamento, expansão), para cima (irrompimento, libertação da gravidade, desprendimento, elevação) e para a frente (impulso em direção ao futuro, força de crescimento, rapidez, conquista).

Frio

O frio é o princípio negativo oposto, análogo à força de inércia da matéria pesada e inerte, princípio estático que leva à imobilização, à contração, à retenção, à reserva, à paralisia das substâncias e dos corpos. Ao mesmo tempo em que é contrário à expansão da vida e à sua evolução, ele também é um fixador, um condensador e um conservador da matéria em sua estrutura firmada. Esta propriedade passiva, diminuidora, tende a manifestar-se por concentração (encolhimento, fechamento para dentro de si, restringimento, redução, absorção, interiorização, recalque), por depressão (atonia, prostração, peso, submissão, entrega ao estado vegetativo) ou por retraimento (inibição, freio, regressão, inapetência, renúncia).

Úmido

A umidade é um princípio de extensão ou alargamento, de receptividade, de difusão e, conseqüentemente, de relaxamento, de flexibilidade, de apaziguamento interior, de diluição, de efusão, de liquidez. É também um princípio de plasticidade, de penetrabilidade ou absorção, de envolvimento, de ligação, de mistura, de continuidade, de homogeneidade. Ela infla as substâncias, unindo-as, dissolvendo-as numa tendência à simplificação e à unidade através da fusão das partes numa totalidade. Constitui um fator favorável à fecundidade, ao desenvolvimento, à expansão da vida, bem como à adaptação do ser ao seu meio, com o qual tende, dilatando-se e dissolvendo-se, a integrar-se, confundir-se. A umidade suaviza e modera.

Seco

A secura, negação da umidade, é um princípio de retração da substância, de restringimento, de isolamento, de redução, de resistência, levando a uma tensão, a um enrijecimento, a um endurecimento, a um constrangimento. Conduz ao retraimento das partes para dentro de si em detrimento de sua coesão; limita o ser em relação ao seu meio, num processo de fechamento, de autodefesa, de recusa e, com isso, constitui um fator de inadaptação. Mas ela afirma a consciência do Eu acusando uma individualização por separatismo; trata-se de um fator de autonomia, de minoração, de seletividade, de refinamento e, em sua manifestação extrema, de desmaterialização, de esterilidade. Intensiva, age de modo brusco, com fraturas, rompimentos, separações e divisões; desagregadora, ela é a própria complexidade. Leva aos excessos, aos extremos.

Fonte: https://espacoastrologico.org/contribuicoes-de-andre-barbault-a-astrologia/