quinta-feira, 20 de abril de 2017

Os Elementos, por André Barbault

Água

Úmida (ligação) e fria (retenção), a Água representa o estado líquido de plasticidade, de afrouxamento da matéria, toda feita de receptividade e passividade, movendo-se conforme as impressões recebidas. É o elemento de base, o meio vital de origem (mar-mãe), a massa primordial fecundada pelas riquezas que ela assimila, criadora, animada pela ação do calor. Ela amolece, mistura, absorve, enche, dissolve, interioriza, indiscrimina numa única massa. Maleável, instável, em contínua mobilidade e estremecimento, ela é toda sujeição e impressionabilidade.

Fisiologicamente, corresponde ao temperamento linfático caracterizado pela predominância do aparelho digestivo e da função de nutrição assegurada pela linfa ou pelo plasma do sangue. O processo dominante é o do estado vegetativo, da cinestesia, do descanso, da inércia, do sono. Morfologia dilatada e atônica. Psicologicamente, domina o instinto conservador, onde prevalecem a memória, as lembranças, os hábitos, as impressões recebidas, a experiência. Pela renúncia à ação é também a entrega à vida interior, ao inconsciente, à fantasia, à imaginação, ao sonho, à contemplação, ao domínio da sensibilidade psíquica.


Ar

Úmido (ligação) e quente (exaltação), o Ar representa o estado gasoso, fluente, impalpável, leve, volátil, compressível, tendendo à difusão, à expansão ilimitada em um espaço cada vez maior. Móvel, difuso, envolvente, ele é o agente de ligação, o envoltório de nosso espaço livre, do meio ambiente em que evoluímos. Em perpétuo estado de liberdade e disponibilidade, fica exposto a todos os contatos, a transferências, a misturas, a influências e a condições; uma vez comprimido, é uma poderosa força motriz explosiva. Dentro da dinâmica dos temperamentos, o

Sanguíneo é um Linfático aquecido cuja riqueza entra em atividade. A associação do Quente (energia) e do Úmido (extensão) constitui o triunfo da vida natural que se estende sobre a Terra: fertilidade, proliferação, exuberância, viço.

Fisiologicamente, corresponde ao temperamento sanguíneo marcado pela predominância do aparelho respiratório e das funções sanguínea e sexual. O processo dominante é o de uma natureza rica que se abre espontaneamente em seu meio físico e cujo grande apetite de viver é acompanhado de reivindicações instintivas imperiosas e de fortes desejos sensoriais. É um grande consumidor, de morfologia dilatada e tônica.

Psicologicamente, é um expansivo que vive de mobilidade, intercâmbios, contatos com seu meio ao qual se adapta e se assimila espontaneamente; é um eufórico dado aos arrebatamentos, de uma alegre vitalidade, de espírito jovem, amante dos prazeres, gozador, indisciplinado, ávido de vida concreta.


Fogo

Seco (isolamento) e quente (exaltação), o Fogo representa o estado ígneo de incandescência, de consumo da matéria que se vê criada, animada, transformada ou destruída. Ele exalta, intensifica, superexcita, acelera, exacerba, leva ao paroxismo ou transmuta o que processa; às vezes violento, agressivo, destruidor, outras vezes libertador, decantador, purificador. Ele é ação dominadora, força conquistadora, fator de luta, de progresso, de superação, de hierarquização, de afirmação personalizada. Dentro da dinâmica dos temperamentos, o Bilioso é um Sanguíneo retraído (seco) cuja força passa da extensividade à intensividade. A associação do Quente (energia) e do Seco (retração) eleva a tensão interna das coisas à sua máxima potência e torna o deserto estéril como o acesso à maturidade do fruto.

Fisiologicamente, corresponde ao temperamento bilioso, onde predominam a musculatura e as funções de reativação e domínio. O processo dominante é o de dinamismo da personalidade empenhado na conquista do mundo ou na conquista de si. Morfologia retraída e tônica.

Psicologicamente, é o domínio onde se realiza a paixão tumultuosa ou a vontade disciplinada: ambição devorante satisfazendo uma necessidade imperiosa de impulso, de afirmação, de ostentação, de superioridade, através de lutas, de criações e de vitórias; vontade de poder empenhada na luta, na dominação, na conquista material ou orientada para a consciência lúcida, para a grandeza de uma realização moral ou de uma elevação espiritual.


Terra

Seca (isolamento) e fria (retenção), a Terra representa o estado sólido, consistente, denso e fixo da matéria ao término de uma evolução após a obra de combustão do Fogo. É o estado no mais alto grau de concentração, e condensação, de redução, de despojamento e, em última análise, de desmaterialização; o da petrificação, da mineralização, da fossilização, levando a uma estrutura mais ou menos geométrica das coisas, à conservação de seus valores duradouros num corpo autônomo, resistente, delimitável, isolado e fechado. Dentro de uma dinâmica dos temperamentos, o Nervoso é um Bilioso apagado. A associação do Seco e do Frio é, ao oposto do Ar, contrária à vida da matéria viva, do instinto, mas propícia à vida do espírito.

Fisiologicamente, corresponde ao temperamento nervoso, onde predominam o sistema nervoso e as funções psíquicas. O processo dominante é o de uma natureza apurada, delicada ou debilitada, que vive retraída do meio ambiente e da vida concreta, afirmando sua vida mental. Morfologia retraída e atônica.

Psicologicamente, ele é – ao contrário do prolixo e epidérmico Sanguíneo – um seletivo, com um mundo fechado e profundo ou complexo. Diante da vida instintiva e natural que se afasta, o ser se organiza interiormente, utilizando os recursos de sua inteligência ou escolhendo o caminho do despojamento, do desapego, da abstração, da personalização. Sua vida psíquica é rica, profunda e complexa.


Os tipos mistos relacionam-se mais com as propriedades das qualidades elementares ou são a expressão de uma antinomia entre duas dessas qualidades.

Os Sanguíneos-biliosos e os Bílio-sanguíneos caracterizam-se, principalmente, pelas propriedades do Quente. Os Linfáticos-nervosos e os Nervo-linfáticos possuem as propriedades do Frio. Os Linfáticos-sanguíneos e os Sanguíneo-linfáticos são essencialmente de qualidade Úmida, e os Bílio-nervosos e Nervo-biliosos, de qualidade Seca. Quanto aos Linfáticos-biliosos e aos Bílio-linfáticos, ele apresentam o conflito da Água e do Fogo; do mesmo modo que os Sanguíneos-nervosos e os Nervo-sanguíneos são a expressão de uma dualidade Ar-Terra.

Esta classificação temperamental dos Elementos – a mais antiga das tipologias – tem a seu favor a vantagem de apresentar quatro tipos humanos bem diferenciados e, ao mesmo tempo, quatro personagens vivos, fáceis de identificar (exceto no caso de uma dominante pouco pronunciada).

Fonte: https://espacoastrologico.org/contribuicoes-de-andre-barbault-a-astrologia/