quinta-feira, 20 de abril de 2017

Sobre Stellium, por Guy Taillade

Eu conheço uma teoria moderna do stellium que tem sua coerência dentro duma visão global que é a dos astrólogos que a conceberam ou a seguiram edesenvolveram.

E conheço a visão do Morin no quadro de sua concepção de vários planetas numa casa.

E tem a idéia da doriforia que apresenta algumas dúvidas se confrontamos as posições de astrólogos bastante separados no tempo, como é o caso dos Gregos e de Morin, de novo.

Num stellium segundo Morin dentro duma mesma casa, pode se deduzir dos princípios que ele expõe da hierarquia de influência de cada planeta sobre os assuntos desta casa, que o planeta regente da casa se ele estiver na casa tem prioridade. Senão há de ver ou o planeta que tem analogia com de significado com a casa ou o planeta que está mais perto da cúspide da casa.

Senão no caso de doriforia, se doriforia for uma determinada configuração relativamente aos luminares, se se trata de ver se os planetas fazem papel de escolta do luminar condicional (o sol de dia e a Lua de noite), é claro que o Sol ou a Lua é o astro mais importante.

Mas tenho a idéia que no espírito clássico ou tradicional, não se pergunta sobre dominante numa figura particular do mapa, somente sobre a dominante do mapa todo, ou sobre a dominante duma casa.

Nos modernos, encontra-se em Rudhyar e Ruperti ( e outros com certeza) uma concepção que tem sua origem nas teorias desenvolvidas pelos astrólogos da escola dita de Hamburgo.

Assim se arriscasse um trocadilho, poderíamos chamá-la de concepção de stellium "hamburger" porque trata-se de estudar a natureza dos ingredientes do sanduíche.

Calcula-se o ponto de gravidade do stellium e se houver um planeta ali ou pertinho é sobre ele que converge e se focaliza toda a força do grupo. Porque muitos modernos raciocinam em termos de força (é normal: são marcados pelo pensamento científico e técnico moderno, enquanto os antigos raciocinam em termos de princípios inteligíveis).

Mas esta concepção prevê também uma eventual exteriorização desta força se houver um planeta na oposição deste centro de gravidade e o enquadramento do stellium, o primeiro planeta no sentido do Zodíaco dando uma qualidade particular, segundo sua natureza, à ação do grupo e o último caracterizando o gênero de circunstâncias interiores ou exteriores no qual o grupo atua.

Fonte: https://orkut.google.com/c4942641-t387b5f5f82f62514.html