quinta-feira, 20 de abril de 2017

As Sementes da Astrologia, por Yuzuru Izawa

'As sementes da astrologia vieram de lugares tao distantes quanto babilônia, egito, pérsia e índia para a grécia e roma. Quem se lembra das aulas de história sabe que, depois da queda de Roma, muito do conhecimento helenístico só foi preservado graças aos árabes, que depois repassaram esses conhecimentos aos europeus, mas obviamente junto com suas próprias criaçoes, criando uma cultura nova da astrologia medieval européia.

Esses conhecimentos foram alterados na renascença por dois motivos principais: o preconceito contra os árabes e a tentativa de expurgar as “tolices dos mouros”, baseando-se nos escritos de ptolomeu; e segundo pela novo espirito científico de basear-se no empírico e desprezar o antigo, criando uma cultura de perpétuo revisionismo.

A decadência astrológica se acentua ainda mais após a renascença, chegando ao quase desaparecimento no século 19, até ser retrazida à moda de uma forma muito diferente, que chamamos de astrologia moderna ou contemporânea. Alguns dos fatores que contribuiram para a criaçao dessa nova astrologia, focada apenas no “ser psicológico” foram a destruiçao dos conhecimentos antigos e suas técnicas de prediçao; a proibiçao em muitos países anglosaxoes dos videntes e de qualquer prática que prometesse prever o futuro; da possibilidade de se criar consultas padronizadas para milhares de clientes com revistas, manuais e, depois, com computadores. Esses e outros fatores fizeram com que a astrologia se distanciasse cada vez mais da previsao do futuro e fosse para as estantes de auto ajuda e “crescimento espiritual”.'

Fonte: https://yuzuru.wordpress.com/2006/12/27/quantas-astrologias-existem/