sexta-feira, 2 de junho de 2017

Debilidades: Detrimento, por Marcos Monteiro

O planeta está no próprio detrimento (também chamado de exílio por alguns autores) quando está no signo oposto ao do seu domicílio.

Ou seja, o Sol está em detrimento em Aquário; a Lua em Capricórnio; Mercúrio em Sagitário e Peixes; Vênus em Áries e Escorpião; Marte em Touro e Libra; Júpiter em Gêmeos e Virgem; Saturno em Câncer e Leão.

A significação é exatamente a inversa do domicílio. No próprio detrimento, o planeta está num signo totalmente incompatível com suas qualidades mais nobres.

Podemos pensar, por exemplo, em Marte, o guerreiro, completamente deslocado no repouso e na fruição de Touro, ou na conversa alegre e diplomática de Libra. Ou Saturno, o Senhor do Frio e da Morte, o ancião do céu, na intimidade familiar de Câncer ou no reino do orgulho, na casa do Rei.

Marte significa ação, não repouso nem ponderação. Saturno são limites, que são lavados pela água cardinal de Câncer e ignorados pelo fogo que se alastra em Leão.

O Sol, por sua vez, não pode reger nem fazer com que sua vontade seja obedecida no signo da orquestração; a Lua se ressente da frieza e impessoalidade de Capricórnio.

Júpiter, o planeta das coisas grandiosas, não consegue agir como quer no perene recomeço e nas conversas descompromissadas de Gêmeos, nem na classificação incessante e no cálculo de Mercúrio.

Vênus, por outro lado, se assusta com a rapidez de Áries e com a intensidade de Escorpião; Mercúrio se perde nas intuições irrefletidas de Peixes e na devoção de Sagitário.


Marcos Monteiro, Introdução à Astrologia Ocidental, Edição do Autor, 2013.
Versão kindle gratuita na https://www.amazon.com.br/