sexta-feira, 3 de junho de 2011

Saturno através das casas, por Stephen Arroyo (2)

... continuação de Saturno através das casas, por Stephen Arroyo (1)

CASA I - Quando Saturno atravessa esta casa está a criar-se uma nova ordem, após a velha ter sido dissolvida, enquanto Saturno se encontrava na casa XII. À medida que Saturno se aproxima e entra em conjunção com o Ascendente, sente-se, muitas vezes, algo que nos devolve à Terra, que nos leva a compreender os resultados das nossas ações e dos modelos de comportamento passado e que, por isso, nos pode impelir a assumir maior responsabilidade por nós próprios e pelas nossas ações do que anteriormente. Regra geral, algumas circunstâncias externas compelem-nos a enfrentar factos ou situações imediatas importantes que talvez tenham sido desprezados ou tidos como certos no passado. Este tipo de experiência é o início de uma longa fase de compreensão de certas verdades práticas acerca de nós próprios. Como, nessa altura, muitas pessoas se tornam mais conscientes das suas faltas e necessidades de desenvolvimento no futuro, este período é, muitas vezes, assinalado por uma busca ativa de recolha de informação fora de nós, a fim de se obter um quadro mais claro daquilo que realmente somos, de quem realmente somos. Pode procurar-se esta informação nos amigos, mas recorre-se com frequência a um conselheiro, a um psiquiatra, a um astrólogo ou a outro tipo de terapeuta. Em resumo, trata-se de um período em que as pessoas se tornam mais realistas acerca de si próprias, em que tentam obter uma perspectiva sobre o gênero de pessoa que querem ser e em que começam a construir esse novo Eu através de um esforço concentrado e de uma honesta auto-apreciação. É um período em que prestamos atenção a nós próprios com considerável seriedade, um tempo em que começamos a conhecer-nos mais profundamente do que antes, um tempo para aprender mais acerca das nossas capacidades. O trânsito de Saturno pelas casas XII e I é também, muitas vezes, um período de crise pessoal, um processo de renascimento que pode levar mais de cinco anos. Durante todo este período, a estrutura da velha personalidade é inapelavelmente deixada para trás, mas o tipo de nova estrutura e de novo rumo que daremos à vida e pelo qual nos exprimiremos depende, em grande parte, do nível de honestidade com que sejamos capazes de nos confrontarmos a nós próprios. Creio que este período em que Saturno está na XII e na I casas deve ser considerado como abrangendo uma das principais fases de transição da vida e, por isso, é aconselhável relacionar o significado de Saturno na I casa com o trânsito de Saturno pela XII, mais do que ver cada uma das fases como um período de tempo isolado.

O termo «recomposição» descreve bem Saturno na I Casa porque — quando Saturno abandona a XII — o indivíduo se sente muitas vezes como um recém-nascido, aberto a tudo com uma curiosidade insaciável, mas também sem muita disciplina ou estrutura definida de personalidade. As novas potencialidades que aparecem durante a fase da XII casa ainda não estão integradas num todo coerente e funcional. Quando Saturno entra na I casa, sente-se com frequência a necessidade de nos tornarmos outra coisa, de trabalhar ativamente no nosso próprio desenvolvimento, mais do que permanecer num estado de abertura — passiva, no entanto —, simbolizada pela XII casa. Então, muitas vezes, a pessoa aplica um considerável esforço na moldagem de um novo sentido de identidade, de um novo e mais profundo nível de confiança; e quando Saturno se aproxima do extremo da I casa, teremos uma experiência ou conheceremos alguém que nos levará à experiência da compreensão da nossa própria totalidade com uma clareza maior. Este novo sentimento de integração e de fortaleza interior baseia-se num mais profundo sentido dos valores perenes e num maior sentido das responsabilidades pessoais e da individualidade essencial.

Enquanto Saturno se cruza com o Ascendente e permanece na I casa, verificam-se também frequentemente assinaláveis mudanças físicas. É comum uma perda de peso sem esforço, por vezes mesmo exagerada. A energia física é muito baixa, manifestando-se em cansaço, má digestão e em períodos depressivos. Contudo, devemos compreender que é este o período que encerra as maiores oportunidades para a construção de um novo corpo, bem como de uma nova personalidade; essa construção exige, todavia, disciplina, perseverança e muito trabalho. Tenho visto pessoas robustas e saudáveis a desbaratarem as suas energias para nada durante este trânsito, por não se decidirem a melhorar os seus hábitos de saúde e a disciplinar os seus regimes de vida e de alimentação. Por outro lado, também tenho visto pessoas fracas e doentes iniciarem um regime de vida ao longo deste período que as leva a alcançar um estado de excelente saúde e de abundante energia, mesmo antes de Saturno abandonar a I casa.

Por outras palavras, o trânsito de Saturno pela I casa pode ser considerado como a fase-chave do ciclo saturnino, visto que é durante este período de vida que começamos, de facto, a criar o tipo de pessoa que queremos ser e a compreender que tipo de pessoa o nosso karma quer que sejamos. Por isso, todas as atividades e envolvimentos de uma pessoa no mundo exterior durante o resto do ciclo de vinte e nove anos se desenvolverão diretamente a partir dos valores a que o indivíduo adere e do tipo de carácter que durante este período se constrói. O trânsito de Saturno pela I casa pode, de facto, ser considerado um «período de obscuridade» no sentido em que o indivíduo presta atenção, em primeiro lugar, a si próprio, desprezando o envolvimento ativo em atividades e em ambições que prontamente seriam detectadas pelo público (embora existam algumas excepções a este comportamento). Mas claro que é quase sempre necessário uma pessoa voltar-se para si própria e retirar-se, em certa medida, dos envolvimentos do mundo externo durante qualquer período de acentuada transformação pessoal e desenvolvimento acelerado. Deve também salientar-se que é bastante comum o indivíduo começar a interessar-se, neste período, por qualquer objectivo de longo prazo que eventualmente se transformará numa vocação ou ambição fundamentais, visto que o planeta da ambição e da carreira (Saturno) está na casa dos novos avanços (I). Aquilo que antes eram as principais ambições e os principais objetivos a longo prazo desmoronam-se, regra geral, ou são vistos como sem sentido quando Saturno está na XII casa, ao passo que novos objetivos e interesses vocacionais começam a tomar forma quando Saturno atravessa a I. A pessoa não compreende, muitas vezes, que estes novos interesses desempenharão papel importante nas atividades fundamentais dos anos futuros; no entanto, o indivíduo parece com frequência guiado em direção a tipos específicos de trabalho, mesmo que sinta uma certa resistência ao prosseguimento de tais atividades. No fim de contas, Saturno é geralmente sentido como «a mão do destino» que toca as nossas vidas, e tal sensação é mais uma prova de que «a mão do destino» nos ajuda a definir a nossa orientação futura.

CASA II - Quando Saturno entra na II casa, termina o período caracterizado pela preocupação com a identidade. E verifica-se, muitas vezes, uma acentuada sensação de alívio, bem como um sentimento mais forte de que agora há que deitar mãos ao trabalho para se produzir. Muitas pessoas exprimem esta alteração dizendo algo como isto: «Estou cansado de pensar em mim próprio e nos meus problemas; sinto que já sei quem sou e insistir mais nesta questão não passaria de comodismo. O que pretendo agora é fazer qualquer coisa no mundo real, executar algo definido e ganhar algum dinheiro.» Por isso, a pessoa que tem Saturno em trânsito pela II casa sente, regra geral, um forte impulso para estruturar a sua situação financeira, para se aplicar no aumento ou racionalização de rendimentos, poupanças, investimentos ou meios de vida. Trata-se, habitualmente, de um período em que a pessoa começará a pôr em prática planos para um novo negócio, a dedicar-se a qualquer tipo de aprendizagem (formal ou informalmente) ou a adquirir treino prático que possa vir a torná-lo capaz de ganhar mais dinheiro. É, por outras palavras, um período de lançamento dos alicerces da segurança e da estabilidade no mundo material; e embora o rendimento do indivíduo possa não ser muito grande enquanto se dedica a esses esforços preparatórios e possa haver forte ansiedade quanto a dinheiro ou outros factores de segurança, o que, regra geral, se diz acerca desta posição de Saturno, com respeito a dívidas, pobreza e grandes atribulações é — sei-o pela minha experiência — consideravelmente exagerado. A maior parte das pessoas sentem, de facto, a pressão de Saturno nesta área das suas vidas, mas a maior parte dos meus clientes têm enfrentado essa pressão de um modo muito prático e não têm sido vítimas de desastres financeiros particularmente graves. Uma das minhas clientes até ganhou quinze mil dólares num concurso, quando Saturno estava na sua II casa; e muitos outros clientes meus abriram negócio ou encetaram novas atividades durante este período e vieram a tornar-se notavelmente prósperos.

O que muitas vezes acontece nesta fase é que as necessidades financeiras se tornam mais reais e algumas lições práticas acerca da sobrevivência são assimiladas pela pressão da necessidade. O nível de capacidade para satisfazer as necessidades materiais no princípio desta fase terá grande impacte no tipo de coisas que se sentirão neste período. A primeira coisa a ter presente é que Saturno é lento, mas seguro. E os benefícios materiais podem eventualmente resultar de uma perspectiva exata e paciente das questões práticas. Os lucros podem não ser imediatamente aparentes; mas se uma pessoa enfrentar a necessidade de estabelecer urna estrutura financeira e de segurança sem ignorar os custos pessoais, aquilo que edificar pode servir muito bem durante muitos anos. O trânsito de Saturno pela II casa não se limita, no seu significado, às coisas materiais; como é, todavia, nesta área de vida que a maior parte das pessoas o sentem imediatamente, dediquei um pouco mais de espaço a esta dimensão. Pode dizer-se, contudo, que se trata de um período de lenta mas segura acumulação de todos os tipos de recursos, quer materiais, quer psicológicos, que podem contribuir para a autoconfiança, baseada no conhecimento do apoio e força que se procuraram e da compreensão e recursos profundos a que se possa recorrer ao longo da vida. É também um período para avaliar de que modo usamos as nossas ideias e talentos específicos no passado (a II casa e a XII a contar da III), se nos foram úteis e nos permitiram produzir algo ou se apenas se demonstraram inúteis ou impraticáveis. Se foram válidos e uma pessoa se dedicar às tarefas que tem entre mãos, experimentará, muitas vezes, uma consolidação da sua situação financeira, quando Saturno começa a abandonar esta casa.

CASA III - Quando Saturno começa a atravessar a III casa, a sensação de que muitas das questões práticas que nos tinham ocupado a atenção estão agora resolvidas permite-nos começar a dirigir a energia para um nova aprendizagem que nos abrirá a profundidade da preparação profissional e nos permitirá conhecer o valor das nossas ideias. Este período é, regra geral, sentido como menos pesado do que o trânsito de Saturno pela casa da Terra anterior, embora a importância relativa da fase da III casa dependa de a pessoa ser intelectualmente orientada ou dedicada a um trabalho que envolva comunicação ou viagens. Existe, muitas vezes, uma tendência para a preocupação sem objectivo e qualquer insegurança acerca das opiniões próprias ou da profundidade do conhecimento pessoal torna-se geralmente aparente. É um período em que nos devemos concentrar na aprendizagem de factos novos, de ideias novas, de novos talentos, que deem profundidade e praticabilidade à expressão da inteligência. Trata-se de um período excelente para a investigação ou para qualquer gênero de pensamento profundo; geralmente, dedica-se mais esforço à estruturação dos planos educacionais próprios, aos métodos de escrita ou de ensino ou ao modo de expressão das ideias pessoais. Assinala-se uma maior ênfase na análise séria, no pensamento prático e na capacidade de exprimir ideias com mais rigor. Muitas pessoas verificam que estão acordadas até mais tarde, a ler, e algumas que se registou uma alteração não só no seu método de comunicação, como até no tom de voz. Tais mudanças são causadas pelo sentimento que a pessoa tem de que precisa de construir uma estrutura mais sólida sobre a qual baseie as suas ideias e opiniões. Por isso, muitas vezes o indivíduo se dedica móis a atividades educacionais ou a investigações particulares que possam servir este objectivo. De facto, mesmo que muitas das ideias, factos e técnicas aprendidas durante este período possam não ter grande uso no futuro, o conhecimento dessas técnicas pontos de vista proporcionam uma base de conhecimento que pode habilitar a pessoa a comparar e a avaliar teorias, conceitos e métodos à luz da sua experiência pessoal.

Nesta fase, é também indispensável uma aprendizagem ou uma pesquisa de âmbito mais vasto, a fim de aprofundar o sentido pessoal de segurança quanto à inteligência; de outro modo, a pessoa pode ter estado apenas a exprimir opiniões ou ideias em abstrato, sem a experiência imediata que lhes dá credibilidade. Em muitos casos, trata-se ainda de um período de viagens, resultante das exigências da profissão, de deveres familiares ou de outras responsabilidades. É também um período de «reatar elos perdidos», não só nas áreas intelectuais da vida, mas também nas relações com outras pessoas. Durante esta fase, o indivíduo definirá exatamente quais os limites das várias relações com amigos e conhecidos.

CASA IV - O trânsito de Saturno pela IV casa é um período para indivíduo se concentrar nos alicerces da segurança e da sobrevivência, um período para confrontar as necessidades básicas de um sentimento de pertença e de tranquilidade. A pessoa tende a olhar mais seriamente o seu lugar na comunidade e tenta, muitas vezes, estabelecer um sentido de solidez e de ordem no ambiente do lar. Isto pode significar, naturalmente, muitas coisas diferentes para pessoas diferentes, mas são, regra geral, duas as áreas de atenção no que respeita ao lar: 1) o estado físico e a arquitetura da casa podem parecer inadequados aos objetivos pessoais. O indivíduo pode então decidir modificá-la de algum modo, umas vezes construindo seja o que for dentro da própria residência ou no jardim, outras vezes mudando mesmo de casa; e 2) as obrigações para com a família tornam-se mais reais e insistentes. A pessoa sentir-se-á oprimida no ambiente que a rodeia, sensação que pode constituir um aviso de que é necessário definir melhor os limites não só da vida doméstica, como das próprias ambições (X casa oposição polar com a IV). Na verdade, o trânsito de Saturno pela IV casa é um período em que se devem lançar os alicerces de quaisquer ambições a longo prazo determinar a base de operações necessária para a carreira pessoal.

Isto pode levar à redefinição do negócio, da profissão ou, pelo menos, à reestruturação do ambiente em que se trabalha. Uma última nota acerca da IV casa é que as pessoas parecem, muitas vezes, experimentar o karma direto durante este período, relacionado com os seus esforços criativos e/ou casos amorosos do passado Explica-se tal facto se repararmos que a IV casa é a XII a contar passados V.

CASA V - O trânsito de Saturno pela V casa é, de certo modo, semelhante ao da casa anterior do fogo -- casa I — porque se trata de um período de maior seriedade acerca de nós próprios e, muitas vezes, de vitalidade e vivacidade reduzidas. Como a V casa está associada a Leão e ao Sol, este trânsito afeta marcadamente o sentido de alegria, de espontaneidade e de bem-estar. Algumas pessoas queixam-se de que nunca têm grandes alegrias neste período e que se sentem falhas de amor e de apreço. Estes sentimentos são compreensíveis se soubermos que o significado essencial deste trânsito é o de nos tornar conscientes do modo como usamos a nossa vitalidade em cada área de vida: a nossa energia física e sexual, a nossa energia emocional e todas as outras formas de poder criativo. Não que experimentemos subitamente todos os tipos de bloqueios e inibições que nunca antes sentíramos; trata-se mais de compreendermos, neste período, que bloqueios e medos têm habitualmente prejudicado as nossas energias ou interferido com a expressão das nossas forças criativas e da nossa natureza amorosa. Trata-se, em resumo, de um período para confrontar os medos e hábitos que nos fizeram sentir sem força, criativamente frustrados, incapazes de amar ou de ser amados. É uma fase de aprofundamento do nosso modo de auto--expressão e em que devemos trabalhar para causar uma funda impressão nos outros, através de uma ação responsável e disciplinada, mais do que apenas mediante exibições dramáticas ou sem conteúdo.

A pressão de Saturno durante este período devolve-nos a nós próprios e tem por efeito habilitar-nos a desenvolver as nossas fontes interiores de amor e criatividade, em vez de olharmos para o mundo exterior em busca de satisfação para estas necessidades. O sentimento de solidão ou de falta de amor pode, contudo, levar-nos inconscientemente a procurar mais atenção da esposa, dos filhos, do amante ou dos outros; mas podemo-nos tornar demasiado exigentes — regra geral, sem o compreendermos — e, assim, afastar aquelas pessoas de quem queremos estar mais perto, estimulando nelas um sentimento de rejeição.

Nesta fase podem, todavia, exprimir-se as mais profundas afeição e lealdade, através de uma honestidade responsável, do sentido do dever e de um esforço bem dirigido. Por isso, esta fase pode ser de grande satisfação, visto que a pessoa estará em condições de compreender que não existe amor real neste mundo sem um sentido de responsabilidade que o acompanhe. A expressão do amor aos outros pode tornar-se mais fraternal e protetora; tais sentimentos tornam-se essencialmente fortes nas atitudes para com as crianças, porque se trata de um período de contacto com as necessidades reais dos filhos e com os mais profundos deveres para com eles. Muitas vezes, é-se atraído para tipos saturninos que serão possíveis amantes, pois o indivíduo sente nessas pessoas um tipo de estabilidade emocional que habitualmente lhe falta. isto pode tomar a forma de atracão por uma pessoa mais velha ou, simplesmente, por alguém que tenha uma forte ligação com Saturno ou Capricórnio. A distanciação, a reserva e o temperamento prático de um saturnino podem ser muito atraentes durante este período, já que uma pessoa aprende lentamente a ser mais isento e objectivo consigo próprio, na tentativa de satisfazer as necessidades emocionais. Em alguns casos, uma pessoa com Saturno em trânsito pela V casa sentir-se-á inclinada a usar os outros (muitas vezes inconscientemente, admitindo que está «apaixonada»), a fim de tentar aliviar o sentimento de solidão e fugir ao confronto com a falta de uma capacidade de amar profunda responsável.

Uma compulsiva pressão interior para criar algo nesta fase pode desafiar-nos a disciplinar os nossos hábitos de trabalho criativo e a esforçarmo-nos mais por abrir um canal por onde flua essa energia. Se se têm ambições na área das artes criativas, por exemplo, este é o período ideal para respeitar um horário regular de trabalho e para começar a confiar mais no esforço e na organização consistentes, do que em lampejos transitórios de «inspiração». É uma fase para compreender que qualquer ato criativo que possamos realmente executar nasce através de nós, mais do que diretamente de nós. Por outras palavras, poderemos compreender que — se é o nosso karma a criar alguma coisa — apenas fazemos um esforço dirigido que permite às forças criativas exprimirem-se por si próprias. Isto é, no entanto, difícil de conseguir, visto que, regra geral, temos muito pouca fé e confiança durante este período e, assim, uma tendência para nos fecharmos ou recearmos o fracasso. Tendemos a tomar a vida, em todas as suas dimensões, demasiado a sério, porque também a nós nos tomamos demasiado a sério. E, por isso, este período é, muitas vezes, um tempo de bloqueio criativo, em que mesmo escritores e artistas consumados experimentam uma considerável falta de coragem para trabalhar. Mas esta fase pode ser também de solidificação da autoconfiança e dos métodos de expressão criativa, se compreendermos que a inspiração é comum, mas o trabalho não, que 95 % da criatividade não passa de trabalho duro. Como .o escritor Henry Miller escreveu no seu diário: «Quando não puderes criar, trabalha!» Também o escritor William Faulkner, a quem uma vez perguntaram em que alturas escrevia, respondeu: «Só escrevo quando sinto disposição para escrever ... e sinto-a todas as manhãs!»
Como a V casa é também a casa do jogo, dos passatempos e dos divertimentos, o trânsito de Saturno através dela tem, por consequência, impacte nestas áreas de vida. É vulgar, neste período, o excesso de trabalho, visto que é muito difícil para a pessoa arranjar tempo para se divertir. Mesmo que tire umas «férias», pode acontecer que não repouse, porque o seu espírito continua ocupado com pensamentos sérios. Noutros casos, aquilo que costumava ser um passatempo torna-se mais produtivo e mesmo, às vezes, uma atividade regular e estruturada.

Se considerarmos a V casa como a XII a contar da VI, veremos ainda outros reflexos deste trânsito: tornam-se manifestos os resultados do trabalho anterior e a eficiência com que desempenhamos os nossos deveres, quer como um prazer, a um profundo nível de satisfação, e como um fluxo regular de energia criativa, quer como dissipação e aventura, numa tentativa fútil de atingir aquilo que nunca realmente merecemos através de um esforço aplicado.

CASA VI - O trânsito de Saturno pela VI casa é um período de auto-ajustamento e de mudança no pensamento, no trabalho e nos hábitos de saúde. A pessoa é, regra geral, impelida de dentro ou pressionada pelas circunstâncias a tornar-se mais organizada e disciplinada em muitas áreas práticas da vida, mas particularmente na do trabalho e da saúde. Mudança de emprego ou mudanças na estrutura de trabalho são vulgares, como são incomodativos problemas crônicos de saúde. Conheci uma pessoa notavelmente desorganizada e ineficaz que se tornou muito mais disciplinada no seu trabalho durante este período, a ponto de exclamar: «Não posso acreditar no que tenho feito estes dias! Estou eficientíssimo!» Saturno, aqui, obriga-nos a determinar por nós próprios o que tentamos fazer e a escolher entre o importante e o acessório. Na verdade, a faculdade de destrinça é, por vezes, tão ativa durante este período que o indivíduo sofre de depressão ou de padecimentos psicossomáticos, provenientes de um excessivo autocriticismo. Este autocriticismo é também motivado por começarmos a ver nesta fase o que sentem a nosso respeito as pessoas com quem vivemos e trabalhamos. Veremos se somos realmente úteis ou se somos considerados como fardos. Por outras palavras, como a VI casa é a XII a contar da VII, torna-mo-nos mais conscientes dos resultados das várias relações na nossa vida.

A fase da VI casa do ciclo de Saturno respeita essencialmente à autopurificação a todos os níveis. Muitos dos problemas de saúde que surgem durante este período podem ser diretamente relacionados com os hábitos alimentares das pessoas e, por isso, com um alto nível de toxemia. Parece que o corpo tenta libertar-se das impurezas e, se não cooperarmos com este processo de purificação, os sintomas físicos acabam por se manifestar. O trânsito de Saturno através da VI casa é um excelente período para corrigirmos o regime alimentar, para fazermos exercícios de rotina e para adquirirmos hábitos de saúde, ou para encetarmos uma prolongada dieta depurativa ou de jejum. O principal facto a ter presente neste período é que quaisquer problemas de saúde (ou problemas relacionados com o trabalho) são lições específicas que nos mostram quais as mudanças necessárias nos nossos hábitos de vida e nos preparam para outra fase que começa quando Saturno passa sobre o descendente natal e entra na VII casa.

(continua numa próxima postagem)