sábado, 21 de maio de 2016

A QUINTA CASA, por Howard Sasportas

Na verdade vos digo, a menos que se portem e se tornem como crianças,
jamais entrarão no reino dos céus.
Mateus 18.3

Na 4ª Casa, descobrimos nossa própria e discreta identidade, mas na 5ª nos revelamos. O fogo da 1ª Casa arde sem mesmo saber que arde; o fogo da 5ª Casa grassa de uma forma consciente e é alegremente abanado pelo self. A natureza da vida é crescer, e esta casa (naturalmente associada a Leão e ao Sol) reflete nossa pressa em nos expandir, em nos transformar mais e mais e de iluminar a vida como um sol. No momento em que atingimos a 5ª Casa, sabemos que não somos todas as coisas; mas também não ficamos contentes por sermos apenas "alguém" — temos que ser alguém especial. Nós não somos tudo, mas podemos tentar ser a coisa mais importante que há.

A função do Sol em nosso sistema solar é dupla: ele brilha aquecendo, dando calor e vida à Terra, mas serve também como princípio organizador central, ao redor do qual orbitam os planetas. Neste sentido, o Sol é como o ego pessoal ou o Eu, o centro da consciência ao redor do qual os diversos aspectos do self circulam.

Indivíduos com fortes posicionamentos na 5ª Casa participam das qualidades do Sol. Eles têm necessidade de brilhar e criar de dentro de si mesmos; têm de se sentir influentes; e precisam sentir que os outros estão circulando ao seu redor. Para alguns, isso significa literalmente ser sempre o centro das atenções - eles ambicionam ser idolatrados como o Sol. Conheci uma mulher com Sol e Marte na 5ª Casa; ela não tolerava ficar na mesma sala com uma televisão ligada, pois isso significava que os presentes poderiam olhar mais para o aparelho do que para ela.

Precisamos nos lembrar de que o Sol, embora centro vital e importante, não é o único Sol na galáxia - é apenas um entre muitos. As palavras de uma canção popular nos lembram que "todo mundo é uma estrela".

Profundamente adormecido em nossa psique e reverberando através da 5ª Casa existe um desejo inato de sermos reconhecidos por sermos especiais. Quando crianças acreditávamos que quanto mais "espertos", desembaraçados e cativantes fôssemos, com mais certeza mamãe ia querer nos amar e proteger. Cativar e encantar os outros é nosso único valor e meio de assegurar que nos alimentem, nos protejam, e que cuidem de nós; por isso mesmo trata-se de uma maneira de
permanecermos vivos.

Outra palavra-chave para a 5ª Casa seria "geratividade" - que, definida simplesmente, significa: "a habilidade de produzir". Esses dois princípios, a necessidade de recebermos amor por sermos especiais e o desejo de criar de dentro de nós, sublinham as mais tradicionais associações com a 5ª Casa.

A 5ª Casa é a região do mapa atribuída à expressão criativa, mais obviamente as criações artísticas, embora a criatividade da 5ª Casa não precise ser só a pintura de um quadro ou a execução de uma dança. Cientistas ou matemáticos podem se aplicar ao seu trabalho com tanto talento e paixão quanto um Picasso ou uma Pavlova. Os planetas e os signos da 5ª Casa nos esclarecem a respeito das possíveis saídas da expressão criativa. Mercúrio ou Gêmeos na 5ª Casa podem mostrar talentos para escrever ou falar em público; Netuno ou Peixes podem ser absorvidos por música, poesia, fotografia ou dança. Câncer e Touro tendem a exibir algum dom culinário enquanto Virgem nesta posição pode propiciar boas qualidades para a costura e os trabalhos manuais. No entanto, mais do que descrever qual saída criativa combina melhor conosco, os posicionamentos aqui sugerem o modo e o estilo como serão conseguidos. Uma peça musical pode ser um tour de force intelectual (Mercúrio ou Urano) ou sair direto do coração (Lua ou Netuno). Algumas pessoas produzem alegre e espontaneamente, enquanto outras sofrem horríveis dores de parto. Acima e além da pura expressão criativa, esta é a casa do ator e descreve a maneira como enfrentamos a arte de viver. Uma cliente com uma 5ª Casa bastante evidente, caluniosamente se descreveu como uma "pessoa profissional", e não teve a intenção de falar apenas em termos de carreira.

As saídas criativas associadas à 5ª Casa incluem esportes e recreação. Para uns é o desafio atlético, o jogo e a competição, as alegrias de ganhar e chegar em primeiro lugar. Para outros, o puro êxtase do empenho e o embate do self contra os elementos ou a desigualdade. De modo semelhante, o jogo e a especulação também são atribuídos à 5ª Casa, onde testamos nosso talento e nossa imaginação contra o destino e a sorte.

Com frequência a 5ª Casa é associada a hobbies, divertimentos e aos prazeres do tempo livre. Tudo isso parece muito mesquinho para uma casa regida pelo Sol e por Leão. No entanto, se examinarmos melhor, eles são mais importantes do que parecem à primeira vista. A 5ª Casa descreve atividades que fazem com que nos sintamos bem conosco mesmos e nos deixam contentes por estarmos vivos.

Hobbies e divertimentos do tempo de folga dão a oportunidade para podermos participar daquilo que queremos e gostamos de fazer. Através destas conquistas sentimos a alegria de estarmos completamente envolvidos em alguma coisa.

Infelizmente, muitos de nós têm carreiras ou empregos que não permitem esse tipo de compromisso. Existe um grande perigo de que nosso entusiasmo e nossa vitalidade se acabem, a não ser que tenhamos interesses fora do trabalho que nos recarreguem e revigorem. Sob este ângulo, hobbies e divertimentos têm um efeito quase terapêutico. A palavra "recreação" quer dizer literalmente fazer de novo, revitalizar, encher de vida e energia. Os planetas e os signos da 5ª Casa sugerem os tipos de divertimentos que devemos explorar e a maneira como isso deve acontecer.

O romance também se acha no cabeçalho da 5ª Casa. Além de ser estimulante, apaixonante, quebrar corações e etc., encontros românticos aumentam nosso sentido de sermos especiais. Tornamo-nos o foco principal da atenção de alguém, dos sentimentos de alguém e podemos conceder nosso amor todo especial a alguém. Os posicionamentos da 5ª Casa revelam a maneira pela qual "criamos o romance" — o(s) princípio(s) arquetipal(ais) mais provavelmente ativados nestas situações — e também algo sobre o tipo de pessoa que nos faz sentir o fogo interno.

A expressão sexual também está vinculada à 5ª Casa. Uma boa relação sexual contribui para o nosso sentido de poder e valor, aumentando tanto nossa habilidade em dar prazer quanto a capacidade de atrair os outros para nós. Este poder de encantar e prender a atenção dos outros é muito tranquilizante e satisfaz enormemente nossos mais profundos instintos de sobrevivência. (Compare isso com a 8ª Casa — na qual tentamos transcender nossos limites pessoais através da intimidade.) Tudo isso leva a uma das importantes representações da 5ª Casa — filhos, criações do corpo e a extensão física do self. A maioria das pessoas expressa primeiro seus impulsos criativos (e simbolicamente assegura sua sobrevivência) gerando uma prole.

Enquanto a 4ª e a 10ª casas indicam como vemos nossos pais, os posicionamentos da 5ª Casa descrevem os arquétipos constelados entre nós e nossos filhos. Os signos e os planetas, aqui, refletem o que nossa descendência significa para nós. Alinhados com os exemplos de outras casas, os posicionamentos nesta casa podem ser interpretados de várias maneiras. Por exemplo, Júpiter na 5ã pode literalmente produzir crianças jupiterianas - aquelas nascidas sob o signo de Sagitário ou com Sagitário Ascendente ou Júpiter junto a um ângulo ou com o Sol, etc. Ou também podemos entender Júpiter na 5ª como nossa predisposição para encontrar Júpiter nesta área da vida: projetamos Júpiter em nossos filhos ou nos orgulhamos de registrar seu lado jupiteriano mais do que seus outros traços. Planetas na 5ã também descrevem nossa experiência no papel de pais. Saturno nesta posição pode atemorizar pela responsabilidade da paternidade e amedrontar aqueles que acham que não vão ser bons pais. A ideia de Urano de como educar crianças pode encabular as mais novas e avançadas teorias sobre o assunto.

Mais do que só descrever os filhos externamente, a 5ª Casa pode com muita propriedade ser chamada de "a casa da nossa Criança Interior", a parte de nós que gosta de brincar e que permanece eternamente jovem. Dentro de nós, tudo é espontâneo, a criança natural que solicita ser amada por ser especial e única. No entanto, como crianças, esta parte de nós muitas vezes é machucada.

Frequentemente somos amados por estarmos de acordo e iguais aos nossos pais em expectativas e critérios, em vez de o sermos pelo que somos. Desta maneira, perdemos a confiança em nossa florescente individualidade e nos tornamos aquilo que a Análise Transacional chama de "uma criança adaptada".

Invariavelmente vamos projetar o estado de nossa própria criança interior em nossa descendência. Podemos curar "nossa criança machucada" dentro de nós mesmos dando o amor e a aceitação que nos foram negados quando crianças aos nossos progenitores ou a outros jovens que encontramos. Não importa quando façamos isso, nunca será tarde para termos uma infância feliz.

Aumentamos e realçamos nossa única identidade e exercitamos nosso próprio poder através da emanação criativa da 5ª Casa. Como subproduto podemos até gerar notáveis obras de arte, novos livros e ideias maravilhosas, ou filhos interessantes que, de alguma maneira, vão contribuir com a sociedade.

Beneficiar a sociedade não é, no entanto, a principal preocupação desta casa. Constate a relutância que muitas pessoas têm em soltar tanto suas obras de arte quanto os filhos no mundo. Na 5ª Casa, criamos principalmente para nós mesmos, pois o self se alegra e se orgulha em fazê-lo, e porque é da natureza do self criar.