quarta-feira, 18 de maio de 2016

Que são as previsões astrológicas? Por Anna Maria da Costa Ribeiro


As pessoas gostam muito de dar para os outros aquilo que elas mais necessitam (conselhos). É o que eu chamo de cúmulo de generosidade.

(O Retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde)



Muito se questiona sobre determinismo ou livre arbítrio na Astrologia. Um mapa astrológico é tão determinista quanto o fato de uma pessoa nascer do sexo masculino ou feminino, branca ou negra, na Europa ou na América, numa família rica ou pobre, ele. Tais condições determinantes levam a oportunidades e tendências diferentes. O livre arbítrio, aí, consistirá em como a pessoa iria usar essas oportunidades e tendências, mas dentro dos limites impostos pela sua condição determinista. Ou seja, por exemplo, um homem, é determinado, não pode parir um filho. Mas tem o livre arbítrio de fazer ou não um filho.

O mapa astrológico é um potencial de caráter e de vida. Nada acontece fora dele, da mesma maneira que uma pessoa de pele branca não pode ter pele negra. A análise de uma carta astrológica mostra qual o potencial geral e específico de uma pessoa. As previsões astrológicas indicam:



a) O momento da realização de um potencial prometido pelo mapa.

b) Uma alteração provisória numa função do mapa (como, por exemplo, quando se fica bronzeado no verão).

c) Um estado de espírito transitório, mas que se tiver indicações fortes no mapa, pode tomar-se crônico (como um surto psicótico).



Os oráculos são tão antigos quanto a humanidade. Não são somente as pitonisas, as folhas de chá, as cartas, etc. São também os filósofos com suas especulações mentais ou os administradores de empresas ao programarem o orçamento de suas firmas para o próximo ano, com base nas suas projeções.

Os computadores calculam a posição dos planetas indefinidamente. Existe uma ordem universal onipotente e incompreensível. Os teólogos dizem que Deus tem todo o conhecimento e poder (mas o homem tem o livre arbítrio de errar, senão o erro não seria humano, e sim divino, o que poderia levar alguém à fogueira, há uns séculos atrás). Por outro lado, a fatalidade significaria que se tudo já está escrito, não há razão de lutar.

Se o mapa astrológico mostra o potencial, isso precisa ser desenvolvido e posto em prática, pelas decisões pessoais ou circunstâncias da vida, a fim de que a existência de uma pessoa não permaneça no seu potencial mínimo. Assim, quando se aprende a ler pode-se usar a leitura exclusivamente para a sobrevivência diária ou para se tornar um erudito.

Portanto, a interpretação de uma previsão astrológica, é, antes de tudo, geral, cabendo à pessoa arbitrar o uso daquele momento. Se alguém vive um trânsito planetário de Júpiter, está vivendo um momento de crescimento físico, mental ou espiritual, podendo direcionar esse crescimento em diversas áreas de sua vida: mais especificamente na casa em que Júpiter está transitando, na casa que ele rege e na casa onde está colocado no mapa natal. Se Júpiter é crescimento, a casa natal em que está posicionado será sempre um fator de desenvolvimento e expansão.

O livre arbítrio, por outro lado, evolui conforme o ser humano amadurece. Em criança temos poucas escolhas, em adulto, nem sempre podemos escolher. Quando, na realidade, fazemos escolhas? Você pode escolher entre um emprego e outro, mas nem sempre pode escolher ficar SEM nenhum emprego.

Alguém disse: aquilo que não podemos enfrentar em nós, projetamos nas pessoas que não gostamos; aquilo que não encontramos em nós, projetamos nas que gostamos.

A hereditariedade está sempre presente. Se você tem Sol em Gêmeos, um dos seus pais pode ter o Sol, a Lua ou o Ascendente em Gêmeos, ou o Sol na casa 3 ou Mercúrio em conjunção ao Meio do Céu ou ao Ascendente. Consequentemente, isso é o seu passado (herdado), é o seu presente (seu mapa), é o seu futuro (marcará o mapa de seu filho). O seu próprio presente também é o seu próprio futuro, pois a função Gêmeos estaria, implícita ou explícita, em tudo o que você fizer na vida. Ou seja, a semente de uma laranjeira já é a laranja.

Isto significa, em primeiro lugar, que, antes de se interpretar previsões, deve-se saber interpretar um mapa natal.

As previsões servem para compreender o tempo que está para vir e tomar as providências necessárias a fim de aproveitar mais, investindo ou de precaver-se mais, acautelando-se ou buscando alternativas. Afinal, se você acha que pode chover, você leva o guarda-chuva e se você acha que, de repente pode passar por uma praia, você leva o maiô na bolsa.

Assim sendo, pode ser uma tolice você não conhecer as suas previsões para os próximos meses. Naturalmente que a previsão, tanto quanto o serviço de meteorologia, não pode garantir que uma coisa VAI acontecer ou que vai fazer sol no domingo.

Existem diversas técnicas de previsões, e falaremos das mais importantes. O movimento planetário indica quais são as nossas necessidades e desejos de um momento. Às vezes isso acontece tão inconscientemente que parece que estamos atraindo certos acontecimentos. Se tivermos determinação, podemos perseguir uma ideia ou um caminho, dentro de um trânsito ou progressão planetária, e, com CERTEZA, atrairemos a ocasião e o evento.

A melhor maneira de viver um momento planetário é compreendê-lo. Um trânsito de Netuno pode apenas significar um desejo de fantasiar, relaxando as regras, tornando-se mais sensível. Se o trânsito é difícil, o momento pode quase equivaler a um pedido de socorro. Netuno em conjunção com a Lua pode ser: "socorro, quero me livrar dessa realidade dura, quero desprender-me da situação estabelecida e poder sonhar; pouco me importa se realizarei algo, basta fantasiar, isso já me alimenta".

Se você captar o significado de um momento planetário, certamente você conseguirá ter sucesso. Não se pode evitar um trânsito, mas pode-se tirar o melhor proveito dele. A diferença entre o fracasso e o sucesso é somente isso: compreender o significado do momento e aceitá-lo, reagindo interna ou externamente.

As previsões astrológicas podem ser bastante úteis num planejamento qualquer, seja anual ou semanal, por longo prazo ou diário. A obtenção de informação seja por que meio for, deduções, projeções, previsões, etc., completa planos de ação, direciona investimentos, acautela contra os problemas.

Elas podem ser interpretadas filosófica e psicologicamente, como oportunidades de entendimento, expansão de consciência e crescimento pessoal; como dados estatísticos provocadores de certos eventos ou reações; como caminho para a evolução espiritual e realização de um papel no planeta Terra, ou ainda, e finalmente, como situações simples e prosaicas do aqui e agora, ou seja: darei uma boa aula hoje? Como será o encontro com meu chefe amanhã? encontrarei um amor em minha vida?

Ao se interpretar previsões deve-se ter em conta que as pessoas não entendem as mesmas palavras da mesma maneira. Quando se fala em mudança, uma pessoa pode achar que isso é uma catástrofe e outra pode achar que será sua salvação; cada mudança tem um significado especial, que pode ser especificado de acordo com os planetas, signos casas e regências que envolvem. Mas o significado determinista deve ser evitado. Entretanto, a pessoa, à qual pertence o mapa pode e deve, munida dessas informações, direcionar, determinadamente, para os seus objetivos, as previsões para um certo período.

Assim, por exemplo, um trânsito de casa 9 pode estimular a expansão em qualquer uma de suas formas. Consequentemente, a pessoa, sabendo de suas possibilidades no mapa astrológico, pode escolher como usar essa expansão e investir aí. O meu primeiro livro, Conhecimento da Astrologia, foi lançado quando a Lua progredida atravessava a casa 9 do meu mapa. Os assuntos dos meus livros sempre tinham correlações com os trânsitos da época. O livro Alcoolismo e Drogas deve-se a um trânsito de Netuno. O livro Sinastria a um trânsito na casa 7. O atual livro vem sob um trânsito de Urano em quadratura ao meu Júpiter natal.

Até quando sonhamos, os trânsitos planetários influem. Uma pessoa sonhou que estava matando o marido: naquele dia Marte fez oposição a Plutão; outra sonhou que estava tendo relações sexuais com alguém: trânsito de Vênus em conjunção com Marte. O fato realmente aconteceu, em sonhos, porque representava um estado de espírito da pessoa.