terça-feira, 23 de maio de 2017

30 Erros Comuns na Aprendizagem da Astrologia, por Suze Silva

1 - Estudar (apenas) pelo próprio mapa.

Geralmente os astrólogos não aconselham a estudar apenas pelo próprio mapa, porque isso pode atrapalhar o aprendizado, a pessoa pode se deixar levar pelo ego, além de que isso limita os estudos. Quanto mais mapas você ver é melhor, isso até ajuda a entender melhor o seu mapa depois.

2 - Não começar do início.

Não se começa uma casa pelo telhado, mas sim pela base, o que sustenta a casa e permite que você continue o processo. Muitas pessoas começam a estudar astrologia na direção errada, focando em Lilith, ou já querendo analisar uma sinastria, por exemplo, antes de aprender o básico de tudo: casas, planetas, aspectos, etc. Ter uma boa base é muito importante para o aprendizado avançar. É por isso que tantas pessoas ficam perdidas quando tentam interpretar um mapa, porque não estudaram do início, começando pelo básico primeiro. Uma casa sem uma boa base, e não estando bem estruturada, vai desabar e a obra nunca vai avançar.

3 - Achar que signos são a coisa mais importante (ou a única coisa que importa).

Tudo é signo, eles são os astros. "Fulano é assim porque é ariano", "eu sou sensível porque tenho a casa 4 em Câncer", "sou leonino, mas sou tímido, a astrologia não funciona", "sou de libra, meu namorado é de câncer, vamos nos casar?". Na verdade os planetas é que são os astros, não os signos, eles são a parte mais importante. O signo só dá uma cor, um tom, uma forma de expressão, ao significado do planeta. E pessoas não são signos, a personalidade é mostrada no mapa natal todo, é uma combinação de planetas em signos e os aspectos que eles recebem, do temperamento da pessoa, etc.

4 - Não praticar o que aprende.

Isso serve para tudo que você quiser aprender. O aprendizado vem da leitura, do estudo, mas também da prática. Não adianta ver uma regra da astrologia e não usar isso nos mapas, praticando bastante até entender como isso funciona e realmente aprender. Também não adianta ler uma informação importante e deixar pra lá, ignorar ou esquecer. É uma boa ideia anotar essas informações.

5 - Confundir significados das casas, signos e planetas.

Casa é uma coisa, planeta é outra coisa, casa e signo não é a mesma coisa. Muitas pessoas misturam isso tudo e ficam perdidas e confusas na interpretação dos mapas. É importante primeiro aprender separadamente para depois conseguir juntar, e entender, todas as informações. Primeiro veja o significado das casas, depois o significado de cada planeta, depois as características dos signos, depois os aspectos, e estude bem sobre cada uma dessas partes, se não entender bem cada parte vai ficar difícil juntar isso tudo. Se tiver muita dificuldade para entender como interpretar o mapa, veja exemplos de interpretação em livros e sites de astrólogos, e sempre pratique bastante, só com o tempo e prática que se pega o jeito para interpretar. Uma coisa que nem todos concordam é que casa e signo são a mesma coisa, por exemplo, uma pessoa ter marte na Casa 4 é a mesma coisa que ter marte em câncer, mas casas são apenas áreas da vida, o que dá alguma natureza ao planeta são os signos, não a casa em que ele está. Isso só serve para deixar as pessoas confusas. Mas estude bastante para decidir se concorda ou não com isso, ninguém é obrigado a concordar comigo. Outra confusão comum é achar que qualquer planeta no signo significa a mesma coisa, ou confundir o significado de cada planeta na personalidade, por exemplo, "você é sensível porque tem Júpiter ou Marte/ou ascendente em Câncer", mas é a Lua que fala das emoções, não esses planetas ou o ascendente.

6 - Acreditar, ou concordar, com tudo que lê, sem questionar ou refletir sobre isso.

Não é porque você viu um astrólogo falar que Mercúrio tem exaltação em Aquário, ou que existe inferno astral, que isso é verdade, tem muitos astrólogos ruins por aí que só espalham informações erradas, que são profissionais ruins, que mal estudaram astrologia por alguns meses, ou estudaram muito mal, e já dizem que são profissionais, criam cursos, lançam livros. Muito cuidado com eles. Quem você segue, ler e escuta define a qualidade do seu aprendizado, e até onde você vai chegar, que tipo de estudante ou profissional vai se tornar, por isso escolha os astrólogos de verdade, aqueles que realmente vão te ensinar o que é a astrologia. Sempre estude e se informe bastante, isso vai te ajudar a ter senso crítico para saber no que acreditar ou não, no que concordar ou não.

7 - Achar que interpretar um mapa é algo fácil e rápido de fazer.

Fazer uma interpretação realmente completa é muito difícil e leva tempo, muito tempo. Desconfie de interpretações rápidas e superficiais, elas são cheias de erros e vagas. A astrologia é complexa, o estudo longo e difícil, não acredite naqueles "livros completos de astrologia", "aprenda astrologia rápido e fácil". Até mesmo interpretar apenas um assunto é difícil, por exemplo, para saber sobre o pai tem que analisar a Casa 4, regente (e outros regentes) dela, planetas que estiverem lá e tudo que eles significam naquele mapa, o sol (e saturno em mapas noturnos), que casas e signos estão, o estado dos planetas, os aspectos que recebem, e depois chegar a uma conclusão sobre esse assunto, analisando todos os dados.

8 - Ignorar os regentes das casas (ou não saber o que fazer com eles)

Sempre vejo as pessoas analisando apenas planetas em signos e depois planetas em casas, mas sem ver o que eles significam naquele mapa, que casas regem. É importante fazer isso, se não a interpretação fica errada, os planetas significam qualquer coisa ou sempre a mesma coisa, por exemplo, "Lua é onde você é carinhosa e tem apego emocional, na casa 5 significa que você adora crianças e é carinhosa com elas", mas a lua nesse mapa rege a Casa 12, e a pessoa diz que não suporta crianças, que não quer ter filhos. Outro exemplo, você diz que a pessoa vai ser rica facilmente porque tem Júpiter na Casa 2, mas não vê que Júpiter nesse mapa rege a Casa 6 e está debilitado por signo, e o dinheiro até vem, mas com sofrimento, acaba rápido, nem é tanta coisa, só um aumento no salário. Também é importante saber analisar o estado dos planetas, aprender sobre as dignidades e debilidades essenciais e acidentais, se não vai interpretar um planeta sempre da mesma forma, achando que ele sempre vai dar o mesmo resultado, por exemplo, duas pessoas tem Saturno na Casa 4, uma em Aquário e outra em Áries, Saturno tem domicilio em Aquário, está bem, o pai dessa pessoa é rígido, mas é um bom pai e dá muito apoio a ela, já a outra pessoa com Saturno em Áries, em queda, tem um pai ruim, desagradável, que causa sofrimentos a ela, ou ela perdeu o pai cedo.

9 - Achar que apenas o signo do ascendente fala sobre a aparência.

O signo importa, mas o regente (e outros regentes de triplicidade, etc) do ascendente, planetas no Ascendente, e até algum planeta em aspecto ou conjunção com o regente do Ascendente muda tudo.

10 - Achar que casas vazias são áreas sem importância.

O mapa tem 12 casas e 7 planetas (mais os geracionais, se quiser considerar), é claro que sempre vai existir casas sem planetas, mas nesses casos é só ver o regente da casa, se estiver fraco é uma área de pouca importância, se estiver forte tem importância sim, e não é porque tem um ou dois planetas na casa que ela se torna importante, depende do regente da casa e do que esses planetas representam lá. O regente da casa mostra a força, importância e qualidade dos assuntos da casa, os planetas que estiveram na casa apenas complementam essa informação.

11 - Analisar um assunto apenas vendo um ponto.

Quando se analisa um assunto você deve juntar todos os significadores desse assunto, não apenas um deles, se não a interpretação fica errada, ou metade certa ou vaga. Por exemplo, olhando a parte da mãe, você vê que a pessoa tem lua na Casa 8, é um sinal de problemas, mas para confirmar isso ou a gravidade do problema tem que ver que signo a lua está, que aspectos faz, como está a casa 10, se tem planetas lá e o que eles significam, o regente da Casa 10, e depois juntar todos esses significadores, analisar eles e ver se estão todos bem ou mal, fracos ou fortes, e chegar a uma conclusão. Se todos estiverem bem, a mãe é importante para a pessoa, apoia ela, é uma boa mãe, se todos estiverem mal vai ser o contrário disso, e se estiverem mais ou menos, é neutro, a mãe é rígida, mas cuida bem e é presente, por exemplo, não há nada de bom ou ruim demais sobre a mãe.

12 - Achar que o ascendente não importa na personalidade, é só uma máscara, a imagem que passamos para os outros.

Na parte da personalidade o ascendente sozinho diz pouca coisa, mas em conjunto com o mapa, principalmente com a lua e o sol, ele fala do nosso temperamento. Cada pessoa tem um temperamento dominante: sanguíneo, colérico, fleumático ou melancólico. O ascendente é importante para saber o temperamento, as características mais fortes da pessoa. O estudo sobre temperamentos e qualidades primitivas é muito importante, essencial para o aprendizado e entendimento da astrologia, mas hoje em dia é muito ignorado, apesar de que o calculo de temperamento tem muito a acrescentar a astrologia de personalidade "psicológica".

13 - Achar que já sabe tudo e não estudar mais.

A astrologia é complexa, e sempre tem um livro novo sendo lançado ou um antigo, de séculos atrás, relançado com informações que você não sabia, e sempre há mais de uma forma de fazer as coisas, é importante continuar sempre aprendendo e estudando. A astrologia é mais do que apenas signos, ou planetas e casas, ela é ampla, tem muitas utilidades.

14 - Achar que tem stellium sem ter e achar que isso é bom.

Stellium seria algo raro e forte, um monte de planetas no mesmo signo, você não tem stellium por ter sol, mercúrio e venus no mesmo signo, esses planetas sempre estão muito próximos, isso é comum, você não tem stellium por ter urano e netuno em capricórnio, geracionais não contam nisso, seria gente demais com stellium. Raramente alguém tem isso no mapa e não significa uma coisa boa, geralmente os planetas estão todos combustos, perto do sol, prejudicados, ou qualquer trânsito ruim vai prejudicar todos os assuntos do mapa, ou se isso acontecer em uma casa maléfica é terrível, a vida toda ligada a assuntos desagradáveis.

15 - Se limitar a sites e livros em português.

Existem alguns sites e livros em português sobre astrologia muito bons, mas são poucos, aqueles em inglês tem mais informações, se aprofundam mais nos assuntos, tem mais variedade de livros, e na astrologia tradicional quase todos os livros estão em inglês. Se não souberem inglês o tradutor do google pode ajudar, mas é bom saber porque isso ajuda muito a avançar no aprendizado da astrologia.

16 - Ignorar os aspectos.

Eles alteram o estado e efeito do planeta, por exemplo, alguém com Lua em Capricórnio em quadratura com marte pode ser mais emotivo do que alguém com lua em câncer oposto a saturno.

17 - Ignorar os nodos.

É um bom complemento a interpretação. Nodo sul sempre vai estar no signo e casa oposta ao nodo norte. As casas onde ficam os nodos são mais importante do que os signos deles. Nodo Norte tem natureza de Júpiter e Vênus, Nodo Sul de Marte e Saturno. Nodo Norte é benéfico, dá sorte e importância para a casa em que está, mas também obsessão e insatisfação, e qualquer planeta nele fica mais forte, no bom ou mau sentido. Nodo Sul é maléfico, destrói os assuntos da casa em que está, ou diminui a importância dela, ou prejudica esses assuntos, também enfraquece os planetas que estiveram lá.

18 - Não entender o que significa maléfico e benéfico na astrologia.

Maléfico é algo que traz problemas e dificuldades, não importando como você lida com isso, e benéfico é algo que traz coisas boas ou traz com facilidade. Há as casas maléficas, 6, 8 e 12, que falam de todas as coisas que a pessoa não tem controle, que o Ascendente (a pessoa) não enxerga, e assuntos que não ajudam ela, não trazem benefícios, e se trouxer serão indiretos ou por meio de sofrimento e dificuldade. Falam da morte, perda, doenças, fobias, medos, inimigos secretos, aborrecimentos, acidentes, prisões, limitações. Esses assuntos são essencialmente desagradáveis, maléficos, não importando se você ver isso tudo de forma positiva, vai causar sofrimento de qualquer forma. As casas 5 e 11 são benéficas, falam das coisas agradáveis da vida, o prazer, diversão, sorte, ajuda dos outros, ganhos. Marte e Saturno são essencialmente maléficos, a natureza deles sempre é desagradável, mas dependendo do signo e casa que estiverem podem se tornar um pouco benéficos, mas o bem vem de forma difícil. Vênus e Júpiter são benéficos essencialmente, mas em mau estado, ruins por signo, casas e aspectos, se tornam maléficos acidentais, mas suavizam o mal, ajudam um pouco.

19 - Achar que tudo na astrologia é sobre personalidade ou espiritualidade.

A astrologia fala sobre a vida, em todos os sentidos, e não é útil apenas para analisar personalidade ou supostamente descobrir quem você foi na vida passada. Ela também serve para ver e entender o funcionamento da vida, as coisas que acontecem, que irão acontecer, para fazer previsões, para resolver problemas do dia a dia, como achar uma chave perdida, ou saber se o seu ex-namorado vai voltar para você. Mas muitas pessoas acham que tudo é sobre personalidade, mesmo quando não é, chegam a levar isso até a mapas de previsão, "esse ano na Revolução Solar seu Ascendente é Touro, você vai ficar teimoso e comer mais", "nessa horária sobre onde está o seu sapato vejo que Urano está em quadratura com Plutão, isso mostra que você é uma pessoa excêntrica, e a Lua está em quadratura com Saturno, deve estar se sentindo mais frio ultimamente", mas o que isso tem a ver a com a pergunta? Nada.

20 - Achar que sinastria responde tudo sobre relacionamentos.

A sinastria é útil para entender relacionamentos que já existem. É o mapa de comparação de personalidade de duas pessoas diferentes. A sinastria não diz se fulano gosta de você, se vocês vão se casar, isso se vê na astrologia horária, das perguntas. E sinastria não serve apenas para relacionamento amoroso, você pode comparar o seu mapa com o do seu pai, do seu amigo, da sua avó.

21 - Achar que algo não funciona porque aprendeu errado.

"Conheço várias pessoas com Mercúrio debilitado que são inteligentes", "conheço várias pessoas com Vênus em domicilio que tem vidas amorosas ruins, dignidades não servem para nada", mas esquecem que nunca se analisa um assunto apenas por um ponto, e que não é assim que se usa as dignidades. Ou a pessoa não conseguiu aprender a fazer previsões e diz que isso não funciona, que é tudo mentira. E não é porque você aprendeu ou entendeu errado uma regra astrológica que ela deve ser mudada, estude mais.

22 - Pensar que tudo é uma questão de livre arbítrio, que o destino não existe, que temos controle sobre tudo.

Ter força de vontade é importante, mas se não está no seu destino entrar naquela faculdade, se não houve o apoio necessário, isso não vai acontecer. Se tem uma área do seu mapa que está péssima, indicando muitos problemas, isso não vai melhorar só porque você quer, isso não depende apenas de você, mas também das circunstâncias, se haverá ou não a ajuda que você precisa para usar um pouco do seu livre arbítrio. Acho que tanto o destino quanto o livre arbítrio existem, mas há pessoas que terão mais acesso ao livre arbítrio do que outras, e a maioria vai ser arrastada pelo destino. O livre arbítrio é uma liberdade a ser conquistada, e não é nada fácil usar ele, a maioria das pessoas não consegue, ou se conseguem não sabem o que fazer e voltam a ser guiadas pelo destino, como um pássaro que sempre viveu preso e quando solto volta para a gaiola porque não sabe voar.

23 - Achar que a astrologia só fala de coisas boas e romantizar tudo.

"Tudo é lindo, tudo são flores, o sofrimento não existe, são apenas para a sua evolução espiritual, a Casa 8 é das transformações que vão te tornar uma pessoa melhor, é a casa do sexo com intimidade e amor, a Casa 6 é dos cuidados da saúde e o que você faz na sua rotina, a Casa 12 é transcendental, das pessoas evoluídas espiritualmente, Marte não é mau, não existe isso de maléfico, Marte é energia, é a coragem, saturno representa os aprendizados da vida, quadraturas são os melhores aspectos, te tornam uma pessoa melhor, mais evoluída, problemas não existem, tudo é para seu aprendizado e evolução, você tem total controle da sua vida, se você não quiser nada de ruim vai acontecer". A astrologia fala da vida, de todas as partes dela, das boas e ruins.

24 - Ver tudo com otimismo exagerado ou se assustar com qualquer coisa.

"Nossa, tenho Júpiter na casa 10, vou ter muito sucesso na carreira", "Plutão está na minha Casa 8 da Revolução Solar, vou morrer esse ano?"

25 - Interpretar a Revolução Solar sem comparar com o mapa natal e outros mapas de previsão.

Fazer previsões é muito dificil, muita coisa tem que ser considerada. Primeiro tem que ver o que o mapa natal promete, depois ver nos mapas de previsão quando vai acontecer o que o natal disse. Mas para uma previsão ser verdadeira mais de uma técnica de previsão tem que afirmar aquilo, e quanto mais afirmações existirem mais certa é a previsão.

26 - Achar que é a única técnica de previsão que existe, ou que é a mais importante, é a dos trânsitos.

Os trânsitos sozinhos não dizem nada, ou pouca coisa, assim como qualquer técnica de previsão vista de forma isolada, sem considerar o mapa natal e outros mapas de previsão. Por ordem de importância de previsão os trânsitos ficariam no final, primeiro Firdária > Profecção > Revolução Solar > Retorno Lunar > Trânsitos. Os trânsitos são apenas o ponteiro do relógio dos acontecimentos já confirmados pela Revolução Solar, Firdária, etc, ele só deixa mais especifico o quando vai acontecer o prometido para aquele ano, para aquele mês. Mas as pessoas acham que apenas o trânsito já diz alguma coisa, já faz todas as previsões do ano.

27 - Ser muito novo e achar que a interpretação do seu mapa está errada porque não viveu aqueles assuntos ainda.

No seu mapa há indicios que mostram problemas de saúde, problemas graves, mas você diz que não, sua saúde é ótima, isso é mentira, mas é porque esse assunto ainda não foi ativado na sua vida, mais tarde, quando os planetas ligados a esse problema forem ativados nas previsões, vai acontecer. Ou há indicios de problemas com filhos, mas você ainda não tem filhos. E os planetas não estão sempre ativados, não é um transito qualquer que vai ativar ele toda hora, vai haver épocas da sua vida em que aquele planeta vai estar mais ativado do que em outras, e os problemas ou beneficios dele virão.

28 - Achar que quanto mais coisas colocar no mapa mais completa fica a interpretação.

"Apenas 7 planetas? Tão poucos para representar todas as partes da vida, vamos adicionar Urano, Plutão, Quiron, Lilith, centenas de asteroides, pontos médios, a lua azul, amarela, rosa, aquele planeta que descobriram ontem..." Menos é mais. Quanto mais coisas no mapa mais confusa e contraditória fica a interpretação, tudo significa tudo, ou qualquer coisa, ou tem significados repetidos, vira bagunça, se perde de vista o que realmente importa, e fica difícil ter foco, até atrapalha a interpretação. E cuidado ao adicionar qualquer coisa no mapa, essas coisas ainda estão sendo estudadas, não tem nem concordância entre os astrólogos o significado delas ou se funcionam e se são úteis a astrologia. Os sete planetas principais já são suficientes se você souber usar eles, se estudar bastante sobre todos os usos e significados que eles tem vai perceber que eles já são bem completos e conseguem sim representar tudo que existe e todas as partes da vida, porque eles representam o significado essencial de todas as coisas. Mas se achar que os geracionais ou algum asteroide tem algo a acrescentar, use isso, se para você funciona, ok, mas veja se isso realmente é importante ou não, e se já não existia outro planeta representando o assunto, por exemplo, hoje em dia falam que Plutão é o planeta que representa a morte, mas esse significado sempre foi de Saturno.

29 - Não conhecer a história da astrologia tradicional e da moderna.

Conhecer o passado das coisas é importante para entender o funcionamento delas e saber porque agora elas são como são. É importante saber as diferenças da astrologia helenista e medieval, o porque dessas diferenças, tem que entender a história delas, assim como a história da astrologia moderna. Por exemplo, sabe por que os astrólogos modernos nao gostam de previsões, e dizem que a astrologia é so para auto-conhecimento? Por que houve essa separação na astrologia, moderna e tradicional? É bom saber essas coisas, muda a forma de ver a astrologia.

30 - Achar a astrologia tradicional inútil e ultrapassada.

Há um problema no ocidente de descartar tudo que é antigo, se é velho não tem valor, vai para o lixo, deve ser esquecido, o mundo evoluiu e o passado se tornou inútil, é o que pensam. Já no oriente eles respeitam muito o passado e as pessoas mais velhas, as tradições, sabem que o passado tem muito a nos ensinar, que não devemos esquecer ele. O mundo mudou, assim como já mudou várias vezes e vai continuar mudando, mas a astrologia tradicional é tão útil hoje quanto a séculos atrás, porque ela trabalha com os significados essenciais de todas coisas que sempre existiram, existem e vão continuar existindo. Por exemplo, as qualidades primitivas e o temperamento, nada mudou nesse sentido, o mundo, os seres vivos, o universo continua sendo dividido em energias positivas e negativas, quente e fria, seco e úmido. A tecnologia mudou, as profissões mudaram, as pessoas nem tanto, mas é so fazer uma adaptação dos ensinamentos antigos para o agora. Até mesmo a astrologia psicólogica teria muito a aprender com a astrologia tradicional, que nao é focada apenas em previsões, mas que também sempre estudou os serem humanos e suas vidas e comportamentos. E qualquer aprendizado começa do inicio, pelo passado, até porque é importante entender os conceitos antigos, o porque das coisas, a origem de tudo, até mesmo para que mudanças sejam feitas é necessário entender o passado, se não se tornam mudanças inúteis ou que não acrescentam nada.