sexta-feira, 14 de julho de 2017

Os Significados das Doze Casas, por Helena Avelar e Luís Ribeiro

Cada Casa contém um leque de significados muito rico: define temas, personagens, ações, direções, cores, partes do corpo, etc. Contudo, nem todas estas significações são aplicáveis a todas as áreas da Astrologia; algumas são específicas da Mundana, outras da Horária, etc. Cabe ao estudante discriminar os significados adequados para cada ramo.

Vamos agora descrever os principais significados de cada Casa, apontando sempre que necessário o ramo (ou técnica) a que pertencem. Acrescentamos também a cada Casa associações e regências específicas, como cores, utilizadas em Astrologia Horária, e anatomia, utilizada em Astrologia Médica.



Casa I

Casa angular e masculina

A Casa I tem como cúspide o próprio Ascendente, sendo por isso a mais importante do mapa astrológico. O Ascendente é o princípio de individualidade do mapa, marca a hora de nascimento e, portanto, toda a configuração celeste de um momento ou nascimento. E a base do mapa astrológico. O próprio termo “horóscopo” vem do grego e significa “ver a hora”. Para os autores clássicos, o termo horóscopo é sinônimo de Ascendente (assim, se num texto clássico se diz que o horóscopo de um indivíduo é Leão, por exemplo, isso significa que Leão é o seu signo ascendente e não o signo solar).

A Casa I representa sempre o indivíduo, quer numa carta natal, quer numa horária. Em mapas de eventos ou colectividades indica também a “individualidade” em questão (o país, a empresa, o projeto, etc.), e as suas características.

Numa natividade, esta é a Casa da vida, significando todas as condições que rodeiam o indivíduo. Tanto se refere à sua aparência (estatura, cor, compleição e forma) como às suas motivações e objetivos. Os gostos, os maneirismos e a mentalidade são em grande parte definidos pela Casa I. Em questões de saúde significa a vitalidade e a compleição geral. No corpo, está especificamente ligada à cabeça e à face. Assim, num contexto médico, os planetas nesta Casa podem representar condições ou marcas (doenças, sinais, cicatrizes, etc.) nessas partes do corpo.

Em Astrologia Horária a Casa I define o indivíduo que coloca a questão, descrevendo a sua aparência e o estado de espírito em que se encontra no momento.

Em termos de cor, o posicionamento de um significador*" nesta casa descreve pessoas, animais ou objetos de cor branca, cinza ou, em geral, de cores muito claras.

Num horóscopo mundano (eclipse, ingresso, etc.) indica o estado geral do local para onde o mapa foi erigido. Significa a nação ou reino, assim como o povo e sua condição.


Casa II

Casa sucedente e masculina

Significa os recursos, sejam estes referentes a um indivíduo ou uma coletividade. Sendo a casa sucedente contígua ao Ascendente, considera-se que “suporta” a ascensão da Casa I.

Num mapa natal representa os recursos e posses da pessoa, a sua riqueza ou pobreza, a forma como gere os seus bens.

Em Astrologia Horária significa as posses de quem faz a pergunta, os seus bens móveis; refere-se a questões de empréstimos, lucros e per-das. No caso de duelos e questões legais representa aqueles que apoiam o querente (amigos ou assistentes).

Em questão de cores, está associada ao verde (por vezes com matizes de vermelho).

Num mapa mundano indica os recursos e economia de um povo ou nação, as suas munições, os seus aliados e apoiantes. Em batalhas, ca-racteriza o exército atacante.

Em Astrologia Médica representa o pescoço, desde a nuca até aos ombros.


Casa III

Casa cadente e masculina

Representa os irmãos, irmãs e no geral parentes próximos (primos, cunhados, etc.). Indica as condições que os rodeiam e a sua relação com o nativo. E também a Casa das pequenas viagens, ou seja, deslocações a lugares próximos ou dentro do mesmo contexto cultural. Em termos tradicionais representa também as viagens por terra em contraste com as viagens por mar que fazem parte das significações da Casa IX.

Partilha com a Casa IX o tema da religião e do conhecimento das leis, se bem que em menor grau; a Casa III parece estar mais relacionada com a expressão prática e mundana do tema, embora esta distinção nem sempre seja clara nos autores antigos. O pensamento, o intelecto e a comunicação são também temas centrais desta Casa.

Em Astrologia Horária também representa todo o tipo de mensagens (cartas, conversas, etc.) bem como aqueles que as transmitem (mensageiros, correios e, modernamente, telefones, Internet, etc.). Neste contexto, os rumores e boatos são também temas desta Casa.

As suas cores são o laranja, o amarelo e tons similares (açafrão, ferrugem, etc.).

Num mapa mundano representa os meios de comunicação (estradas, pontes, etc.), os media (jornais, revistas, etc.) e todo o tipo de relatórios e comunicações oficiais.

Em Astrologia Médica significa os ombros, braços, mãos e dedos.


Casa IV

Casa angular e feminina

A Casa IV, também conhecida por ângulo de Terra, representa as bases ou fundamentos do horóscopo. O seu simbolismo é muito rico.

Numa natividade simboliza a família de origem. De um modo geral representa os pais, mas tem significação particular sobre o pai do nativo. Dentro do mesmo tema indica raízes, ancestrais ou qualquer questão de genealogia.

Outros dos temas centrais desta Casa são os bens e posses. De forma diferente da Casa II, que representa apenas os bens móveis, está relacionada com os imóveis do indivíduo (casas, terrenos e outro tipo de propriedades) ou os recursos adquiridos por herança de família.

Noutro contexto, representa também o fim da vida e as condições que o rodeiam, o que ocorre depois da morte e o túmulo.

Numa questão de Astrologia Horária significa todos os assuntos relativos a terras e casas, desde a sua compra ou arrendamento, a cultivos e tesouros escondidos. Indica a qualidade da terra ou casa que se comprou, assim como a qualidade do solo de um terreno para agricultura. Pode também ser utilizada para a determinação do fim de algum assunto.

No que diz respeito à significação de cores, está associada ao vermelho.

Em Astrologia Mundana representa castelos, fortalezas e edifícios em geral, assim como jardins, campos, florestas, pastagens e terras de cultivo. Os recursos minerais (minério, material de construção, etc.) também fazem parte do seu simbolismo. A mulher do rei (a rainha consorte), assim como as suas concubinas, são também indicadas por esta Casa; da mesma forma, também representa os seus inimigos e os do governo. Num contexto mais específico também pode representar uma cidade e o seu governador.

Em Astrologia Médica associa-se ao tórax, peito e pulmões.


Casa V

Casa sucedente e masculina

Num mapa natal tem como principal representação os filhos, a sua condição e relação com o indivíduo. Estão também associadas a esta Casa todas as atividades lúdicas, todo o tipo de divertimentos, assim como os prazeres, os amores e as paixões. As expressões artísticas estão também incluídas no seu simbolismo.

Numa questão de Astrologia Horária, significa os assuntos de filhos, crianças, gravidez e fertilidade, assim como convites para banquetes, festas e outras atividades de lazer.

Em termos de cores, representa coisas brancas, negras ou cor-de-mel.

Em termos mundanos representa também embaixadores e embaixadas, assim como lugares de divertimento (bares, estádios, etc.). Em alguns contextos representa os recursos de uma cidade, os seus alimentos e munições.

Em Astrologia Médica significa o estômago, fígado, coração, costas e parte lateral do corpo.


Casa VI

Casa cadente e feminina

Numa natividade representa doenças e lesões; as fraquezas e tendências de debilidade no indivíduo, assim como a compleição (e humores) que as origina. Representa também as pessoas que trabalham para o nativo e a sua relação com eles (tradicionalmente, os criados e os escravos; modernamente trabalhadores contratados e serviçais). As tarefas rotineiras e obrigatórias são igualmente um assunto desta Casa.

Os animais de criação e o gado (menor que uma ovelha) são também indicados por esta Casa. Atualmente, usa-se esta atribuição para animais de estimação (gatos, cães, etc.).

A cor associada a esta Casa é o preto.

Em Astrologia Horária tem igualmente significado em questões de doenças (sua natureza e duração) assim como em perguntas sobre empregados, gado ou animais de estimação.

Em Astrologia Mundana, os significados da Casa mantém-se, mas são associados ao país e região em estudo.

Em Astrologia Médica a Casa VI representa a parte inferior do abdômen, a barriga e os intestinos.


Casa VII

Casa angular e masculina

Tem como significação genérica “o outro”, pois é a Casa que se opõe à Casa I e Ascendente. Em Natividades é a casa do casamento, dos relacionamentos conjugais e amorosos e das parcerias. O “outro” pode ser personificado pelo cônjuge (noivos, namorados, etc.), por sócios e parceiros de negócios assim como por oponentes, os inimigos declarados referenciados pela Tradição. Esta Casa define, portanto, as dinâmicas de relação do indivíduo: como se relaciona, que tipo de parceiros tem, como lida com confrontos e a natureza dos seus oponentes (inimigos).

Em questões de Astrologia Horária o simbolismo é praticamente o mesmo. Representa o cônjuge e qualquer situação amorosa, os inimigos ou a pessoa sobre quem se faz a questão. Em particular, define os oponentes num processo legal, o inimigo em situações de guerra ou em duelos, o ladrão no caso de furtos e pessoas foragidas em geral. Indica ainda o médico em questões de saúde e o astrólogo que faz a interpretação. Também representa o destino de uma viagem (o ponto de chegada, por oposição ao Ascendente, que representa a partida).

Em termos de cores significa o negro, tons escuros e esverdeados.

Numa figura mundana representa também os oponentes, neste caso, os inimigos do país, do reino e do povo; também guerras e conflitos.

A parte do corpo atribuída à Casa VII está localizada do umbigo até às nádegas.


Casa VIII

Casa sucedente e feminina

E a Casa da morte e de tudo o que a ela está associado.

Em mapas natais representa a morte e a sua natureza e todos os assuntos que envolvam mortes e perdas. Refere-se assim a testamentos, legados e heranças. Está igualmente associada a sentimentos de medo, preocupação e angústia, assim como a obsessões - no geral, estados de espírito sombrios e obscuros. Também representa as coisas ocultas, as coisas antigas e os antepassados (num sentido mais amplo que o da Casa IV). Numa outra perspectiva refere-se também aos recursos do parceiro como, por exemplo, dotes.

Tem idêntico significado em Astrologia Horária e Mundana. Em casos legais, dá indicações sobre os apoiantes do oponente; e em batalhas sobre o exército e recursos do inimigo.

No que diz respeito a cores, associa-se ao verde e ao negro.

Os genitais e os órgãos de excreção são as partes do corpo representadas por esta Casa.


Casa IX

Casa cadente e masculina

Está associada ao conhecimento e aos assuntos de fé e religião, representando todo o tipo de religiosos (monges, padres, sacerdotes, etc.), assim como templos e Igrejas. E muitas vezes denominada a Casa de Deus. Tem como tema adicional as viagens de longa distância - estas significações são comuns aos diversos ramos da Astrologia.

Também representa o conhecimento e a educação, tendo significação sobre escolas, livros, universidades e professores. Outros temas a ela associados são os sonhos, as visões e sua interpretação. Também o profetismo, as histórias, lendas e narrações de coisas passadas. Neste contexto, a Astrologia é significada por esta Casa.

As viagens de longa duração do nativo (antigamente: as viagens por água) e o estrangeiro são outro tema desta Casa. A “Casa das peregrinações” é outro dos nomes pelo qual é conhecida.

Assim, em Astrologia Natal indica a atitude do indivíduo em relação ao conhecimento e aprendizagem, assim como a abordagem religiosa ou filosófica que está mais de acordo com a sua natureza. De um modo mais particular relaciona-se com os parentes do parceiro.

Em Astrologia Horária e Mundana, representa qualquer assunto associado a religião, conhecimento, sonho ou viagens. Em Astrologia Horária indica a sabedoria de um indivíduo ou da qualidade de determinado conhecimento.

Tem como cores o branco e o verde.

Em Astrologia Médica representa as ancas e coxas.


Casa X

Casa angular e feminina

E a Casa mais elevada do horóscopo. Tal como a Casa IV, tem um simbolismo muito rico. Está associada ao poder temporal, às figuras de autoridade e às ações que têm impacto social.

Numa natividade representa as ações do nativo, ou seja, os seus projetos ou objetivos de vida. E significadora da vocação, carreira e profissão do nativo, dando indicações sobre a sua natureza e qualidade. E também representativa da vida pública assim como da fama e do impacto social. Em termos tradicionais indica dignidade, poder e distinções, profissão do nativo, dando indicações sobre a sua natureza qualidade. E também representativa da vida pública assim como da fama e do impacto social. Em termos tradicionais indica dignidade, poder e distinções.

Um aspecto particular desta Casa é a sua associação à mãe, do mes mo modo que a Casa IV se associa ao pai.

Na Astrologia Horária, para além das significações já mencionadas para a Astrologia Natal, indica ainda temas de poder, figuras de autori dade (governantes, patrões, chefes, etc.), a profissão de quem faz a pergunta e a sua condição atual. Em questões legais representa o juiz e a sentença.

Em Astrologia Mundana tem como principal representação as figuras de autoridade (reis, presidentes, chefes de estado, duques, príncipes, perfeitos, etc.) e, de forma geral, o atual governo de uma nação.

Está associada ao branco e ao vermelho.

Anatomicamente, a Casa X representa os joelhos e as coxas.


Casa XI

Casa sucedente e masculina

Esta Casa é muitas vezes denominada o “bom espírito”, por ser considerada afortunada.

Em Astrologia Natal representa os amigos e aliados, aqueles que o apoiam e auxiliam e o tipo de relação que o nativo mantém com estes. E também a Casa das esperanças: significa os sonhos e expectativas. De certa forma representa também a fé, não necessariamente no sentido religioso do termo, mas mais como uma “expectativa optimista”. A confiança e reconhecimento social são também temas desta Casa.

Em Astrologia Horária, os significados são idênticos.

As cores por si representadas são o açafrão e os tons de amarelo em geral.

Em Astrologia Mundana representa os favoritos, os conselheiros e aliados do rei ou governante. Neste contexto, representa órgãos governativos como o parlamento e os conselhos de Estado. Tem também como significados mundanos a tesouraria, os impostos e as finanças do país. Em assuntos de guerra indica os recursos (exército e munições) do chefe de Estado.

No que diz respeito a partes do corpo, representa as pernas e os tornozelos.


Casa XII

Casa cadente e feminina

É a Casa das prisões e das limitações, sendo frequentemente denominada o “mau espírito”.

Numa natividade representa sempre situações que limitam e condicionam o nativo. Associa-se a tristezas, lamentos, tribulações e aflições. E também a Casa dos inimigos secretos (ou ocultos), ou seja, aqueles que não sabemos ser nossos oponentes. Assim, as invejas, as conspirações, as traições e os atos de sabotagem estão associados à Casa XII. Também são temas importantes os atos ilícitos, assim como prisões, clausuras e situações de isolamento em geral.

Noutra perspectiva, representa também as condições anteriores ao nascimento, ou seja, o que ocorreu ao nativo enquanto esteve no ventre da mãe.

Em Astrologia Horária esta Casa tem significados idênticos.

Em termos de cores simboliza o verde.

Num contexto mundano representa os inimigos secretos de um país, nação ou instituição. Assim, pode representar espiões, sabotadores, criminosos e todo o tipo de agentes subversivos.

Um significado menos comum da Casa XII (válido para qualquer um dos ramos astrológicos) é o de animais de grande porte. Nesta categoria estão incluídos os animais domésticos de maior tamanho (cavalos, camelos, gado bovino e similares) ou animais selvagens em geral (tradicionalmente, as feras).

Em Astrologia Médica representa os pés.

Nota importante: Os diversos significados de uma casa não devem ser associados entre si, pois estes existem em planos diferentes.
Por exemplo, a Casa X tem, como já vimos, significação sobre a carreira, a fama e a mãe do indivíduo. Contudo, é errado pensar que a mãe tem influência sobre a carreira ou a fama do indivíduo. Da mesma forma, os irmãos e as viagens curtas nada têm a ver entre si, embora sejam ambos significados pela Casa III.



Casas benéficas e maléficas

Tal como os planetas, as Casas podem ser classificadas como benéficas e maléficas.

De uma forma geral as Casas I, XI, X, IX, VII, V, III e II são consideradas benéficas, pois representam áreas de vida que trabalham a favor no indivíduo.

Por outro lado, há três Casas que são consideradas maléficas, pois representam facetas da vida mais difíceis ou trabalhosas: a VI, associada às doenças e servidão, a VIII, associada à Morte, e a XII, associada a limitações.

Nalguns casos, a Casa VII pode também adquirir um carácter maléfico, pois embora represente assuntos tidos como “benéficos”, como as parcerias e o casamento, indica também oponentes, inimigos e conflitos (note-se que esta Casa está oposta ao Ascendente, representando, portanto, aquilo que o contraria). Outra casa de significação ambígua é a IV, que tanto pode representar o lar ou a família, situação em que é benéfica, como o fim da vida, adquirindo um carácter mais maléfico.

Esta classificação deriva não só do significado da Casa mas também a sua posição relativa ao Ascendente. Assim, as Casas XII, VI, VIII e II formam ângulos fracos com o Ascendente (30° entre a Casa I e as Casas II e XII; 150° entre as Casas VI e VIII). Considera-se que os planetas posicionados nestas Casas não contribuem para a expressão do Ascendente. Apenas a Casa II é poupada deste simbolismo, por ser contígua à Casa I e por isso considerar-se que lhe serve de suporte.

Este assunto será mais desenvolvido no Capítulo IX - A Dinâmica dos Aspectos.

 Casas maléficas

Casas derivadas

Para além dos significados primários ou radicais, descritos anterior-mente, cada Casa pode também ter significados mais específicos, que derivam da sua relação com as restantes Casas.

Estes significados - chamados “derivados” - obtêm-se quando, em vez de se tomar o Ascendente como ponto de partida, se toma a cúspide de uma outra Casa. Desta forma, quando queremos analisar em profundidade um tema específico, tomamos como “ascendente” a cúspide da Casa que representa o assunto em estudo. As restantes Casas passam a derivar os seus significados a partir deste “ascendente”, seguindo a ordem natural.

Por exemplo, se quisermos informações muito específicas sobre o pai de um indivíduo, podemos tomar como ponto de partida a Casa IV do mapa dessa pessoa (pois esta Casa significa o pai). Nesta perspectiva, a Casa V radical passa também a ser a 2ª derivada, ou seja, a 2ª a contar da IV, adquirindo como significado derivado os recursos (2ª casa derivada) do pai (Casa IV radical). Da mesma forma, a Casa VI radical passa a ser a 3ª derivada, adquirindo o significado de os irmãos (3ª casa derivada) do pai (IV radical). As restantes casas seguem a mesma lógica.

Derivação da Casa 5
Qualquer Casa que queiramos estudar mais detalhadamente passa a ser o “ascendente”. Contudo, a Casa nunca perde o seu significado inicial: são as outras Casas do mapa que adquirem novos significados, sempre relativos ao seu posicionamento em relação à Casa “de partida”.

Note-se que as Casas derivadas nunca substituem as Casas radicais; a significação derivada é sempre um complemento ás indicações das Casas radicais.

Contudo, não há uma sobreposição entre significados radicais e derivados. Por exemplo, no caso anterior, a V radical, para além de significar os filhos do nativo, tem também como significado derivado os recursos do pai - contudo, o dinheiro do pai não está relacionado com os filhos do nativo. A interpretação serve para aprofundar assuntos específicos e não deve ser “cruzada” com a interpretação radical, para evitar confusões desnecessárias.


Significados derivados das Casas

Apresentamos de seguida alguns significados derivados para as Casas. Como nem todas as derivações são úteis para a interpretação, limitámos a lista aos significados mais importantes.

Como em tudo na Astrologia, não vale a pena decorar estas listas de significados; o que importa é compreender o método de derivação e saber utilizá-lo sempre que necessário.

Casa I: irmãos dos amigos (3ª da XI), o pai da mãe, ou seja, o avô materno (4ª da X), os parceiros dos oponentes (7ª da VII), a religião ou viagens dos filhos (9ª da V), cargos do pai ou mãe do pai, a avó paterna (10ª da IV), os amigos dos irmãos (11ª da III).

Casa II: pais ou família dos amigos (4ª da XI), os filhos do governador (5ª da X), a morte dos parceiros (8ª da VII), viagens por doença (9ª da VI), a profissão e honras dos filhos (10ª da V), os amigos do pai (11ª da IV).

Casa III: os filhos dos amigos (5ª da XI), a doenças do governador ou da mãe (6ª da X), religião dos parceiros (9ª da VII), os amigos dos filhos (11ª da V).

Casa IV: o dinheiro e posses dos irmãos (2ª da III), as doenças dos amigos (6ª da XI), os oponentes do rei (7ª da X), viagens relacionadas com a morte (9ª da VIII), a profissão dos inimigos ou dos parceiros (10ª da VII).

Casa V: as posses do pai (2ª da IV), os irmãos dos irmãos, quando de outro pai ou de outra mãe (3ª da III), os parceiros dos amigos (7ª da XI), a morte do governador ou da mãe (8ª da X), os amigos dos parceiros (11ª da VII).

Casa VI: as posses dos filhos (2ª da V), os irmãos do pai, ou seja, os dos paternos (3ª da IV), o pai dos irmãos, quando são meios-irmãos de pai diferente (4ª da III), a morte dos amigos (8ª da XI), a religião ou viagens da mãe (9ª da X).

Casa VII: as posses dos empregados (2ª da VI), os irmãos dos filhos, quando de outro pai (3ª da V), o pai do pai, ou seja, o avô paterno (4ª da IV), os filhos dos irmãos, ou seja, os sobrinhos (5ª da III), a profissão da mãe ou a mãe da mãe, a avó materna (10ª da X).

Casa VIII: as posses dos parceiros e oponentes (2ª da VII), as doenças ou os empregados do irmão (6ª da III), os amigos da mãe (11ª da X).

Casa IX: os irmãos dos parceiros ou opositores (3ª da VII), os filhos dos filhos, ou seja, os netos (5ª da V), as doenças do pai (6ª da IV), os parceiros dos irmãos, ou seja, os cunhados (7ª da III), os amigos dos amigos (11ª da XI).

Casa X: o pai dos parceiros, ou seja, o sogro (4ª da VII), as doenças dos filhos (6ª da V), os parceiros do pai ou opositores do pai (7ª da IV), a morte dos irmãos (8ª da III).

Casa XI: as posses do governador ou da mãe (2ª da X), os filhos do parceiro, ou seja, enteados (5ª da VII), doenças dos empregados (6ª da VI), os parceiros dos filhos, ou seja, noras e genros (7ª da V), a morte do pai (8ª da IV), religião ou viagens dos irmãos (9ª da III).

Casa XII: as posses dos amigos (2ª da XI), os irmãos da mãe, ou seja, os tios maternos (3ª da X), doenças do parceiro (6ª da VII), a morte dos filhos (8ª da V), a religião do pai (9ª da IV), a profissão dos irmãos (10ª da III).

Para evitar informação excessiva ou mesmo inútil, esta técnica deve ser aplicada com moderação, bom senso e sempre no devido contexto. Por exemplo, na interpretação de um mapa natal, de pouco nos serve saber que a Casa II significa os filhos do patrão (por ser a 5ª derivada da X radical) ou que a Casa VIII representa os empregados do irmão (6ª derivada da III radical). Em contrapartida, estes exemplos podem fazer todo o sentido no contexto da Astrologia Mundana ou Horária.



Helena Avelar e Luis Ribeiro, in Tratado das Esferas. Editora Pergaminho. Cascais, Portugal, 2007.

Pode ser adquirido em nova edição aqui: https://www.facebook.com/prismaedicoes/