quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Capricórnio, por Sementovski-Kurilo



Capricórnio é uma pessoa de resistência física e psíquica. Faz-se uma analogia com uma casa feita de concreto que um terremoto pode derrubar o teto, as escadas e as portas mas deixará sempre de pé os pilares. As experiências e reações psíquicas e espirituais com que se defronta dificilmente podem levar à ruína. Não só possui uma força de resistência verdadeiramente excepcional, como também é incomparável na sua inflexível serenidade frente a qualquer padecimento, ainda mais, sabe suportar em silêncio, manobra com maestria uma das maiores virtudes humanas: a paciência. De certo modo, Capricórnio é o mais experimentado de todos os signos do zodíaco, inexoravelmente sujeito à dura lei do severo Saturno, regente do signo de Capricórnio. É a natureza de Saturno que oferece o mais precioso dom que o homem se pode prometer: a consciência de que "o sofrimento é a via mais breve até a sabedoria", como disse Mestre Eckart.

As armas invencíveis de Capricórnio na sua luta pela existência que, ainda que em idade tardia, terminam por assegurar-lhe a vitória são: a tenacidade, a prudência e a laboriosidade, secundadas por um profundo sentido de dever e sacrifício. Ninguém como Capricórnio é capaz da renúncia total, inclusive daquilo que lhe poderia trazer alegria, se crê que tal renúncia é a premissa indispensável para alcançar metas superiores de sua vida. Além do mais, regido pelo elemento terra, Capricórnio está vinculado às coisas materiais; e sem dúvida sua existência, se deve ser sensata e frutífera, se resolve com uma contínua e desgastante superação de sua própria natureza. Desta maneira se explica que entre aqueles que têm Capricórnio forte em seu Mapa de Nascimento são encontrados grandes figuras de ascetas.

Na sua aspiração pelo domínio da matéria, Capricórnio se parece com Escorpião, porém na vida de ambos os meios que adotam são distintos: enquanto que Escorpião tende a destruir a matéria a marteladas ou a desagregá-la com ações rápidas e violentas, Capricórnio quer apoderar-se dela num lento e progressivo domínio. Não a nega porque a considera como o mal, a sente como a fonte do sofrimento que é o princípio da vida, e portanto não a destrói ou decompõe, e sim a espiritualiza. A arte de Miguel Ângelo é um exemplo eloquente. No campo da ciência e da técnica Capricórnio explora a natureza para colocá-la a serviço do homem. Capricórnio, quando desprovido de dotes mentais excepcionais, revela-se valoroso artesão ou agricultor, que mesmo em condições humildes também manifesta uma grande tenacidade e uma forte vontade; assim com o tempo logra ascender a uma posição social satisfatória graças à consciência e precisão com que executa seu trabalho, sendo nisto superior a qualquer outro signo.

As grandes virtudes e qualidades de Capricórnio, como se sucede a todos os signos dominantes, em determinados casos e em função dos demais posicionamentos do Mapa Natal, podem assumir formas ambivalentes. Deste modo encontramos pessoas desconfiadas, maliciosas, egoístas e vingativas. Essas pessoas correm o perigo de supervalorizar, depois de alcançar alguns sucessos, as suas próprias forças, o que ameaça a conduzi-las a um precipitado descenso das posições alcançadas e com freqüência à total e irreparável ruína quando não encontram suporte em si para superar o profundo pessimismo e o desespero que podem mergulhar. Nestes casos, Capricórnio é inclinado à melancolia. Quando não acontecem tendências fragilizantes no Mapa Natal, Capricórnio manifesta um contato bastante íntimo com a depressão psíquica, mas neste casos a crise não é mais que um estímulo que ajuda a avançar pelo caminho da vida.

As principais complicações patológicas de Capricórnio são: artrites, escleroses, tuberculose óssea. São geralmente doenças de longa duração e de caráter hereditário.



Fonte: Sementovski-Kurilo: Astrologia - Tratado Teorico e Pratico
Tradução: Claudio Fagundes