quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Escorpião, por Sementovski-Kurilo



Uma das características que mais sobressaem em Escorpião é a originalidade e a extravagância de sua forma de pensar e de comportar-se, que parece sempre ter a necessidade de esconder algum segredo pessoal. Esta é a razão porque, apesar de sua fascinação, Escorpião parece frequentemente frio quando na realidade em sua intimidade arde uma chama, devoradora e tremenda, pronta para surgir com violência. Apenas aquele que a leva em seu peito encontra a possibilidade de abandonar-se sem restrições a seus próprios instintos e paixões. Escorpião é integramente o mesmo nessas ocasiões. Portanto é necessário avaliá-lo primeiramente sob o aspecto de sua vida sentimental e sexual.

Este é o lado, eletivamente, mais importante de sua existência. O erotismo domina seus pensamentos e dita seus atos; os instintos são extremamente potentes, dominá-los e superá-los significa vencer os demônios da própria alma. Quando o consegue, Escorpião, o animal vulgar e rasteiro com um ferrão venenoso, transforma-se numa águia. Na antiguidade o signo de Escorpião correspondia ao da Águia. Conforme esta fundamental condição psíquica, o problema que incessantemente enfrentam as pessoas evoluídas e que apresentam Escorpião como signo dominante é a luta entre o bem e o mal. A luta que se produz dentro de si é a verdadeira causa de seu ar misterioso. Isto explica também a atração exercida sobre o outro sexo. Sua paixão inata e o contínuo esforço para domesticar o ímpeto de seus instintos fisiológicos, não pode deixar de refletir-se no seu ser como um todo. Sinceramente deseja o bem, mas facilmente embriaga-se pelas possibilidades oferecidas pelo contrário: sente o mal como uma fraqueza humana e quando não tem a força para abster-se de cometer maldades, costuma justificar-se pela sua condição de ser humano, fraco e, portanto, sujeito a fraquezas.

A atração que o mal exerce sobre Escorpião provoca uma contínua tensão em sua intimidade. As vezes procura não ceder voltando-se, as pessoas mais evoluídas, para uma reflexão positiva sobre as tendências do caráter e sobre as faculdades da inteligência; por um lado isso traz circunspecção, uma observação aguda das debilidades dos outros, capaz inclusive de penetrar nos rincões mais recônditos da alma; por outro lado desenvolve-se em Escorpião uma facilidade em ajudar os outros a superar o mal, como se assim pudesse redimir-se daquilo que não consegue em si.

Assim encontramos em Escorpião indivíduos que se enquadram entre os mais sensíveis e sagazes psicólogos; além disso é comum observar no mesmo caso, um grande número de médicos, especialmente cirurgiões, psiquiatras, psicanalistas, etc. Em geral é frequente encontrar-se Escorpião envolvido em profissões que, de uma maneira ou de outra, exigem um caráter combativo, onde a astúcia e a decisão, porém sobretudo o conhecimento psicológico, asseguram o êxito na luta contra o inimigo. Napoleão tinha Escorpião muito forte em seu Mapa Natal (Ascendente), Goethe, Voltaire, idem.

Sendo a luta entre o bem e o mal própria da natureza de Escorpião, ou seja, uma luta entre espírito e matéria, é interessante assinalar que esta configuração aparece frequentemente em cientistas importantes que "dissecam" e "domam" a matéria, químicos; por exemplo.

A natureza de Escorpião leva a perscrutar continuamente a si mesmo. Mesmo os indivíduos inferiores apresentam um desenvolvimento, que se poderia chamar de automático, da inteligência. Junto com Gêmeos e Virgem, Escorpião é um dos tipos fundamentais mais inteligentes. Sua força está no conhecimento de si mesmo e dos demais. No caso em que há disposição para o estudo é capaz de acumular um enorme saber, e como Virgem, não deixa nunca de enriquecê-lo e aperfeiçoá-lo com a experiência. O que aproxima Escorpião de Áries é a sua força de vontade, seu orgulho, assim como a impossibilidade de suportar qualquer tipo de sujeição. Propenso a dominar e a organizar, não se assusta ante nenhuma fadiga. Afim com Virgem, mostra perseverança e diligência.

A mente escrutinadora de Escorpião não se fecha no campo psicológico. Normalmente atraído pelos mistérios da natureza busca sempre descobrir e explorar novos campos. Em tais ocasiões revela-se a sua sensibilidade à beleza e o amor pelas coisas grandiosas e sobre-humanas. Escorpião gostaria de desvelar até os últimos segredos da Criação e encontrar uma solução para esse angustiante problema que é o fim da existência humana. Também em outras aspirações espirituais reaparece o eterno dilema entre o bem e o mal, entre a matéria e o espírito, entre a vida e a morte. De modo que não é de surpreender encontrar uma tendência ao misticismo, assistida por uma forte vontade.

Para o melhor conhecimento de Escorpião, contribui o singular fenômeno da freqüência com que, os indivíduos inferiores deste signo, comparecem frente aos juízes, acusados de graves delitos. Em muitos casos tratam-se de crimes passionais, atos de vingança amadurecidos em clima de ciúmes e de orgulho ofendido (um motivo porque ocorrem graves perturbações na vida conjugal e nos relacionamentos com amigos); não são raros os processos em que prevalecem motivos conceituais, assassinos com base no fanatismo religioso ou político, ataques violentos ou ultrajes inspirados pelos mesmos critérios; expoentes de um terrorismo exercido sobre a comunidade inteira.

O corpo daqueles que tem Escorpião como signo dominante está ameaçado sobretudo nos órgãos de procriação; as enfermidades venéreas são também frequentes; estão sujeitos a diversas formas de febre; com freqüência sofrem feridas causadas por acidentes ou agressões.



Fonte: Sementovski-Kurilo: Astrologia - Tratado Teorico e Pratico
Tradução: Claudio Fagundes