quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sagitário, por Sementovski-Kurilo



Sagitário pode considerar-se um idealista de grandes horizontes, tendendo a ter as metas mais elevadas do engenho humano. O que lhe falta é a agilidade na inteligência, como se pode observar em Gêmeos, por exemplo, signo oposto ao de Sagitário e regido por Mercúrio. Falta, também, o pensamento sistemático e profundo de Capricórnio, regido por Saturno. Sua inteligência é espontânea, pode-se dizer ingênua, fundada sobre a experiência, como Escorpião, mas com uso completamente distinto deste.

Em algumas pessoas regidas por Sagitário são apressadas, muito superficiais; gente que fala com gosto de coisas sublimes, porém na realidade não as sentem. Se em alguns momentos se mostra leal, franco e competente, em outros aproxima-se da mentira e da presunção. Especialmente desagradáveis, essas características negativas, aparecem nas mulheres essas, aí a presunção, associada com uma estreites de horizontes, e a falta de sensibilidade e de tato, dão lugar às más palavras, intrigas venenosas, cheias de inveja e de ciúmes com respeito às outras mulheres; às vezes mostram a tendência a obstinar-se defendendo uma ideia ou programa, adotados de outras pessoas ou apropriados pelo influxo do tempo, sem convicção íntima nem inteligência crítica, e que com frequência só responde a interesses mesquinhos e pessoais.

Sagitário tem um sentido muito desenvolvido da realidade - e nisto são afins com Virgem - portanto não se perdem em vãs quimeras, limita-se em fazer grandes projetos, em imaginar-se criador de importantes organizações e como protetor magnânimo dos demais; em geral, tem tendência ao exagero, tanto no bem como no mal, na palavra e no ato.

A grande ambição de Sagitário é elevar-se a todo custo acima do ambiente que nasceu ou acima dos que rodeiam; o arrivismo nas pessoas menos espirituais, e a aspiração ao sobre-humano nos mais espiritualizados, são as metas dos nascidos baixo dessa influência primordial e os motivo essenciais da existência.

A esse respeito, Sagitário está animados pelo mesmo otimismo, persuadido de poder lograr tudo quanto foi prefixado, e com freqüência creem-se protegidos e favorecidos por uma justiça superior que não poderá deixar de reconhecer seus méritos, poder-se-ia dizer que estão convencidos de haver nascido sob uma "boa estrela". Assim, dificilmente se deixam desanimar; depois das desilusões e dos fracassos reempreendem com a mesma energia suas ocupações e prosseguem pelas mesmas vias sobre as quais haviam encontrado obstáculos. A crença na proteção sobre-humana não tem nada de mística, como tampouco de religiosidade (a que, em geral, os nativos de Sagitário tendem mais que os outros) e está totalmente desprovida de todo elemento metafísico; se é lícito dizer, concebem a Deus como um bom e valente amigo, generoso e sempre pronto a escutar suas orações e a satisfazer os desejos que dirigem a Ele. Nisto se parecem com crianças grandes e quem sabe esta é a razão porque, entre os sagitarianos, se encontram muitos fundadores ou membros de comunidades religiosas baseadas nos princípios da simplicidade, dir-se-ia ingenuamente primitivas, e também em altas posições na hierarquia da Igreja, elevados à dignidade, não tanto pela virtude de seus dotes intelectuais, mas pela graça e pureza de seu coração e pela austeridade de sua vida.

A certeza de serem os "filhos prediletos da Providência", nos melhores exemplos de Sagitário, não impede que lutem e se fatiguem por alcançar a posição desejada. Já no caso dos sagitarianos mais fracos, ao mesmo tempo que estão muito inclinados ao gozo do prazer, observa-se uma pronunciada preguiça e a energia, que no sagitariano forte se encontra a serviço de importantes progressos e de uma atividade sistemática, vem a ser insensatamente desperdiçada em satisfazer a desejos e ambições enganosos. Até certo ponto, todos os nativos de Sagitário estão ameaçados neste sentido, todos, mais ou menos, são propensos à aventura, especialmente no campo sentimental e sexual, ao jogo com a vida, ao desprezo pela morte, ainda quando nenhum motivo o justifique.

Se é certo que os nativos de Sagitário são excelentes companheiros de vida, também é verdade que dificilmente logram ser constantes em seus afetos. Quem sabe é esta uma nota trágica de Sagitário, já que estão de posse de um sentido social mais desenvolvido, sentem profunda necessidade de laços familiares e de amizade em geral. De tal modo que procuram ajudar e assistir a seus semelhantes, sacrificando algumas vezes um tempo precioso em detrimento de si próprios. Aí pode estar a explicação do fenômeno de que, entre os sagitarianos superiores, se encontrem homens animados por ideais sociais sublimes, capazes de grandiosas visões de uma sociedade futura melhor, criadores de obras de um profundo e universal humanismo.

Os sagitarianos estão sujeitos de modo particular a moléstias hepáticas, a debilidade nas vias respiratórias, a lesões nas artérias e nos músculos.



Fonte: Sementovski-Kurilo: Astrologia - Tratado Teorico e Pratico
Tradução: Claudio Fagundes