segunda-feira, 27 de junho de 2016

A Lua nos Elementos. Por Helena Avelar e Luís Ribeiro

Lua em Fogo: as inseguranças têm como centro a identidade e a expressão pessoal. Pode tentar compensar-se por reatividade (Carneiro), manifestações exageradas de personalidade (Leão) ou demasiada ênfase nas opiniões e pontos de vista pessoais (Sagitário). A correta expressão da Lua passa por aprender a expressar-se e a gerir a identidade de forma íntegra e coerente.

Lua em Terra: é na área da realização concreta e prática que se manifestam as inseguranças. Estas podem gerar possessividade e avidez (Touro) criticismo e dificuldades de expressão emocional (Virgem) ou rigidez e necessidade de reconhecimento social (Capricórnio). Quando aprende a encarar o lado prático e concreto da existência como uma faceta natural da vida e não um campo de provas, consegue estruturar e tomar consciência das suas necessidades.

Lua em Ar: as inseguranças expressam-se através de uma conceptualização do instinto e dos sentimentos. Tem uma necessidade exagerada de falar do que sente (Gêmeos), dependência excessiva dos relacionamentos (Balança) ou compulsão para ser diferente e, ao mesmo tempo, aceite pelos outros (Aquário). Para conseguir uma boa expressão da sua faceta lunar, terá de unir o sentir com o pensar, fugindo assim às ideias vazias e desligadas de vida prática.

Lua em Água: as inseguranças estão enraizadas no sentir. Podem ser expressas através de uma necessidade de ser acarinhado e alimentado (Caranguejo), de estar profundamente envolvido e controlar (Escorpião) ou de estar mergulhado num "oceano" de sentimentos (Peixes). À medida que vai conseguindo separar os seus próprios sentimentos dos outros, ganha uma estrutura emocional mais coerente e equilibrada.