sexta-feira, 19 de maio de 2017

Planetas e Astrologia Vocacional, por Leonardo Bonafonte Preto

Para os antigos astrólogos, a vocação profissional é dada por um dos três planetas (Mercúrio, Vênus ou Marte), que tem relação direta com o pensar, sentir e agir. Júpiter e Saturno não conferem profissão. Nem os luminares, que tem a função principal de manter o nativo vivo, apesar de a influenciarem consideravelmente.
Deve-se obedecer a uma série de critérios, sendo alguns necessários, e outros desejáveis, para se encontrar o planeta de profissão, aquele que mais ajudará o nativo para a praxis ou ação no mundo. Pode ocorrer de nenhum, um, ou mais de um planeta se apresentar em condição de dar vocação ao nativo; se ocorrer dois ou três, um se destacará mais, funcionando o(s) outro(s) como habilidade(s) extra(s). São eles, em ordem de importância:
- Estar necessariamente em casa de negócios (Primeiramente, C1 ou C10, depois C4, com menor eficácia a C7, e outras duas secundárias: C6 e C2, que fazem trígono com C10). Há mais duas possibilidades dadas pelos antigos, consideradas exceções.
Adicionalmente:
- Estar no signo ou aspectar Sol ou Lua, preferencialmente o luminar da hora (carta);

- Necessariamente, não estar sob os raios do Sol (17°);

- Primeiro planeta aplicado pela Lua após SAN (Lua Nova ou Cheia antes do nascimento) em cartas diurnas, ou primeiro planeta a aplicar-se à parte da fortuna em cartas noturnas;

- Fazer aspecto ou ter boa relação com o Lote do Trabalho (Asc+Marte-Mercúrio; inverte-se para natividade noturna), sendo que se for um dos três o seu regente e estiver em condições, terá bastante influência;

- Ter dignidades no ASC (Motivação Primária) ou, em segundo lugar, no MC (casa da ação ou praxis);

- Preferencialmente, estar oriental em relação ao Sol em cartas diurnas, ou ocidental em relação a Lua em cartas noturnas.

As condições acidentais (séquito, casa, velocidade, disposição, união com estrelas fixas e suas naturezas) e essenciais (relação com signo, recepções) do provável planeta eleito dirão muito sobre as possibilidades, os potenciais de desenvolvimento e manutenção profissionais, logo, da realização do nativo nesse âmbito.

É importante analisarmos conjuntamente o temperamento (influência dos 4 elementos) do nativo, sua motivação primária (ASC), os regentes do luminar da seita, a influência do Almutem Figuris (planeta campeão ou daemon da carta), e tudo mais que a Arte permitir na ponderação.

É um método de análise rico, assertivo quanto à natureza geral da profissão, e eficaz no direcionamento de estudo e ação.