quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Questões Respeitantes à Primeira Casa, William Lilly

Se é provável que o querente tenha longa vida ou não.

Muitos homens e mulheres não têm a hora dos seus nascimentos, nem sabem como obtê-la, ou porque os seus pais morreram, ou porque não restou memória dos ditos; contudo, por diversas e ponderosas razões, têm o desejo de saber, através da astrologia, "Se terão longa vida ou não? Se alguma doença se avizinha? Que parte da sua vida será a mais feliz?" assim como outras questões colocadas pelas pessoas e relativas a esta casa.


Sinais de saúde ou longa vida

Sinais de saúde - Nesta questão ter-se-á que considerar se o signo em ascensão, o seu regente e a Lua, estão livres de aflições, viz se o regente do ascendente estiver livre da combustão do Sol, da quadratura, oposição ou conjunção do regente da oitava, décima segunda, sexta ou quarta casas, se estiver direto, em dignidade essencial, rápido de movimento, ou angular, especialmente na primeira casa, (pois, nesta questão, esta é a sua melhor posição) ou na décima, ou então na décima primeira ou nona casas, e em bom aspecto com Júpiter, ou com Vênus, ou com o Sol, ou nos termos de Júpiter ou Vênus, este é um testemunho de saúde e longa vida para o querente, pois o regente do ascendente, ou o próprio ascendente desafortunados ou a Lua em más casas e afligida, demonstram desgraça iminente; os significadores mencionados estando livres demonstram o contrário, pois tal como se considera o regente do ascendente, também o ascendente deve ser considerado, e que aspecto lhe é feito, viz. bom ou mau e por que planeta ou planetas, e de que casa ou casas estes são os regentes.

Sinais contrários, viz. de doença, morte e desgraça - É geralmente aceite que se o regente do ascendente está sob os raios do Sol, ou a entrar em combustão, o que é pior do que quando está a sair dela, e a Lua está cadente e desafortunada por qualquer dos planetas que têm domínio na oitava ou na sexta, e se o Nó Sul ou Saturno ou Marte estão no ascendente ou na sétima casa, peregrinos, ou no seu detrimento, ou retrógrados, ou se se encontra no grau do ascendente, ou no grau do signo em que se localiza o regente do ascendente, ou com a Lua, ou com o planeta que aflige qualquer destes, alguma estrela fixa de influência violenta ou da natureza do planeta que os aflige, ou da natureza do regente da oitava ou sexta casas, então poder-se-á julgar que o querente não viverá muito, mas sim que se encontra próximo de algum perigo, ou que passará por alguma desgraça de um tipo ou de outro, de acordo com a qualidade do significador e o significado da casa ou das casas de que é regente.


A data em que qualquer destes acidentes ocorrerá.

Terá que se ver se o regente do ascendente vai entrar em combustão, ou em oposição ou conjunção com o regente da oitava ou da quarta, quantos graus dista do Sol, ou do regente da oitava ou da quarta, e em que signo qualquer deles está; se a distância entre eles é de oito graus, e o signo é mutável, revela tantos meses; se o signo é fixo, tantos anos; se é cardeal, tantas semanas: isto é apenas um exemplo e em geral, pois a medida do tempo tem que ser determinada de acordo com os outros significadores envolvidos no julgamento da mesma.

Em segundo lugar, tendo considerado o regente do ascendente, ver a quantos graus de distância está a Lua de qualquer maléfico, ou dos regentes da sexta ou da oitava, e em que signo ou signos estão colocados, a sua natureza, qualidade e casa.

Em terceiro lugar, verificar se há um maléfico no ascendente, a quantos graus da cúspide da casa, ou se o maléfico está na sétima, a quantos graus da oposição ao ascendente, e calcular a data da morte, doença ou desgraça, de acordo com a quantidade de graus em signos cardeais, mutáveis ou fixos.

Se o regente do ascendente está afligido, principalmente pelo regente da sexta, e na sexta, ou se o regente do ascendente entra em combustão na sexta, julgar-se-á que o querente terá muitíssimas e enfadonhas doenças, que não o abandonarão até à sua morte; este julgamento será ainda mais certo se o regente do ascendente, o regente da oitava e a Lua estiverem todos na sexta.

Se se encontrar o regente do ascendente, o signo em ascensão ou, muito especialmente a Lua, obstruídos ou afligidos pelo regente da oitava ou por um planeta na oitava, então pode-se julgar que a doença que o aflige agora, ou que em breve o afligirá, acabará com ele, e que a sua morte se aproxima, pois a dita morte o ameaça.

Mas se o regente do ascendente, ou o signo do ascendente, ou a Lua forem principalmente afligidos pelos regentes de outras casas, julgar-se-á a sua desgraça de acordo com a casa ou casas de que esses planetas são regentes; e a primeira desgraça ou a sua descoberta será representada por alguma coisa, ou homem ou mulher, etc., pertencentes à casa em que se encontra localizado o planeta que aflige, e por aí se julgará a desgraça e não a morte: as estrelas fixas mencionadas, sendo da natureza de Marte, revelam um mal-estar físico súbito, ou lebres, assassínios, conílitos, etc., da natureza de Saturno, sezões quartas, pobreza, lesões devidas a quedas inesperadas, etc., da natureza de Mercúrio, anunciam tuberculose, loucura, fraude através de falsos testemunhos ou escritos; da natureza da Lua, tumultos, comoções, cólicas, perigos através da água, etc., da natureza do Sol, inveja dos magistrados, lesões nos olhos, etc., da natureza de Júpiter, opressão exercida por sacerdotes prepotentes, ou por algum fidalgo; da natureza de Vênus então é discriminação exercida por alguma mulher, sífilis ou cartas, dados e luxúria.

Precaução - Deve-se evitar cuidadosamente pronunciar a morte de forma precipitada, e baseada em um único testemunho; deve-se observar se, apesar do regente do ascendente estar a entrar em combustão, quer Júpiter quer Vênus lhe estarão a fazer um sextil ou trígono antes deste chegar à exata combustão, ou a qualquer maléfico, pois isto é um testemunho de que a medicina, ou a força da natureza da pessoa contrariará aquela influência maligna, ou diminuirá em parte aquela desventura; mas quando se encontrarem duas ou mais das regras mencionadas indicando a morte, poder-se-á ser mais arrojado no julgamento; contudo, quanto ao momento exato da morte de qualquer pessoa, acho melhor ser-se cauteloso e, sempre que pude, tratei de evitar tal julgamento; pela pergunta, apenas se pode saber o seguinte: que se os significadores se encontrarem afligidos da forma descrita, pode-se julgar que o homem ou a pessoa em questão não viverá muito, ou que será sujeito a muitas desventuras e calamidades, e isto sei-o através de muitos exemplos verificados; este conhecimento é de excelente uso para aqueles que desejam comprar algum direito, ou posição, ou objeto de forma vitalícia, e para aqueles que desejam evitar cuidadosamente e de forma natural aqueles acidentes em que as suas naturezas e inclinações os possam fazer incorrer.


Em que sentido deve o querente orientar as suas atividades, ou onde viverá ele com mais felicidade.

Dever-se-á saber que as doze casas estão divididas nos quadrantes Leste, Oeste, Norte e Sul dos céus. A cúspide da primeira casa é o princípio do Leste e é chamada ângulo Leste; do grau da primeira casa ao grau ou cúspide da décima casa ou Medium Coeli, contendo as casas 12, 11 e 10, é Leste com inclinação para Sul; da cúspide da décima casa até à cúspide da sétima casa, contendo as 9, 8 e 7, é Sul pendendo para Oeste; do grau da sétima casa à cúspide da quarta casa, consistindo nas casas 6, 5 e 4, é Oeste tendendo para Norte; do grau da quarta casa ao grau do ascendente, contendo as casas 3, 2 e um, é Norte inclinando-se para Leste.

Tendo verificado os vários quadrantes do céu, ver em qual deles se encontra o planeta que promete o melhor ao querente e dirigir os seus negócios no sentido em que se encontrarem Júpiter, Vênus, a Lua ou a Parte da Fortuna, ou dois ou mais destes; e se a Parte da Fortuna e a Lua estiverem livres de combustão e de outras aflições, dirija-se nesse sentido ou para o quadrante do céu em que se encontrarem; pois deve-se considerar que, apesar de Júpiter e Vênus serem benéficos, podem acidentalmente ser maléficos, quando são regentes da 8, 12 ou 6. Neste caso, deve-se evitar o quadrante em que se encontram e observar a Parte da Fortuna e a Lua e o regente do ascendente; e, tanto quanto possível, evitar o quadrante do céu em que se encontrem os maléficos, especialmente quando são significadores de desgraça; contudo, Marte ou Saturno, sendo regentes do ascendente ou das segunda, décima ou décima primeira casas, podem (se estiverem essencialmente dignificados) revelar-se benéficos. A forma geral de resolver esta questão é a seguinte: se o querente deseja apenas viver onde gozará de boa saúde, olhar para o signo e para o quadrante do céu onde o regente do ascendente e a Lua se encontram, e ver qual deles é o mais forte, e aspecta mais favoravelmente o grau em ascensão; por razões de saúde é para esse quadrante do céu que deve ir; se o querente deseja saber para que lado deve dirigir as suas atividades no sentido de obter bens ou fortuna, então ver onde e em que quadrante do céu está colocado o regente da segunda, e a Parte da Fortuna, e o seu dispositor, ou dois destes; pois de onde e do quadrante em que estiverem melhor dignificados, daí advirão os seus maiores benefícios, etc. Deste assunto falarei pontualmente em julgamentos subsequentes.


Que parte da sua vida será a melhor.

Ver em que ângulo ou quadrante do céu estão posicionados os planetas promissores; pois neste tipo de juízo dá-se geralmente cinco anos a cada casa, mas por vezes mais ou menos dependendo se os significadores prometem vida ou morte (mas dá-se normalmente cinco anos) começando na casa doze, seguida da onze, depois a dez, depois a nove, etc. até chegar ao ascendente; sendo que, se na pergunta se encontrar Júpiter ou Vênus na casa onze ou dez, pode-se julgar que o homem ou a mulher viveram felizes do primeiro ano de idade ao décimo quinto, ou à sua juventude; se ambos, ou um deles, está na casa oito ou sete, declaram que dos vinte aos trinta viverão, ou viveram, ou vivem contentes; se Júpiter ou Vênus estão na 6, 5 ou 4, então julgar que depois da meia idade, ou dos 30 aos 45, se poderão dar muito bem; se Júpiter ou Vênus se encontrarem na terceira, segunda ou primeira, então os seus melhores dias ou a sua maior felicidade será na sua velhice, ou depois dos quarenta e cinco e até aos sessenta; se os significadores da vida estiverem muito fortes e significando longa vida, pode-se adicionar um ano a cada casa pois é possível que o querente viva mais do que sessenta anos, ou setenta, ou mais, como acontece com muitas pessoas que conhecemos.

Por último, deve-se observar, no momento da questão, o movimento separativo do regente do ascendente e da Lua, de que planeta se afastam e qual o aspecto; a separação destes mostra o tipo de incidentes que precederam a pergunta; a sua próxima aplicação, o que no futuro se pode esperar; se se considerar qual a casa ou casas regidas pelo planeta ou planetas de que se separam, conhece-se a matéria, natureza, pessoa e qualidade da coisa já sucedida: má, se o aspecto era mau; boa, se o aspecto era bom; e se se observar a qualidade do próximo aspecto por aplicação, e a natureza e posição, boa ou má, do planeta ou planetas a que este se faz, evidencia-se a qualidade dos próximos incidentes e dos acontecimentos seguintes, a sua natureza, importância, o momento em que acontecerão ou surgirão ao querente.