domingo, 7 de maio de 2017

Leão, por Marcos Monteiro

Signo fixo do fogo, masculino.

Leão é um signo de fogo, então é quente e seco. No hemisfério norte, é o meio do verão, a época em que sentimos a estação de forma mais intensa (não porque o calor seja maior, mas porque já está calor há tempos). No hemisfério sul, são as épocas do frio mais cortante, que mais incomoda.

Sendo um signo fixo, ele produz um efeito sobre o redor. Que efeito é esse? Bom, ele se expande (calor) e não cede (secura).

O efeito é o de domínio. Essa é a diferença do efeito do rei com relação ao guerreiro (Aries), por exemplo. O guerreiro é perigoso só se desafiado, ou se você se puser no caminho dele. O rei é perigoso sempre, a menos que você esteja muito longe, porque ele não é algo que ameaça de "frente", mas "de cima".

É por isso que o leão é o rei dos animais.

Leão é o signo do poder, da dominação, do reinado, do comando, da vaidade.

A qualidade básica é energia (fogo) permanente (signo fixo), ou influência (signo fixo) da atividade (fogo). É o fogo adulto; em vez do impulso inicial de Aries, é o fogo que queima de forma constante, modificando o entorno.

É por isso que o signo está associado ao orgulho, à vaidade, porque está relacionado à ação continuada (e, portanto, grandiosa) sem condescendência ou contemporização.

Imagens leoninas: além das óbvias (o Sol, o leão, o rei), a palmeira-real, o mel, o ouro, o gengibre, o âmbar, o dourado, a capital de uma cidade, o juiz.

Marcos Monteiro, in Introdução à Astrologia Ocidental, Edição do Autor, 2013, p. 88.