sábado, 29 de julho de 2017

O Uso das Casas Derivadas na Astrologia Tradicional, por Paulo Alexandre Silva

O uso das casas derivadas apesar de se usarem em outros ramos da astrologia é na astrologia horária que o seu uso é mais frequente, isto para não dizer indispensável!!!


  1. Qual a mãe que nunca fez uma consulta horária a respeito do filho?
  2. Qual a mulher que nunca fez uma consulta horária a respeito das finanças do marido?
  3. Qual a mulher que nunca fez uma consulta horária a respeito das suas sócias ou parcerias?

A derivação de casas é uma técnica relativamente simples, contudo os mais incautos devem tomar cuidado na escolha das casas que representam o assunto a ser perguntado, pois os significadores, os regentes das casas derivadas, mal escolhidos, representam uma resposta errada. Este cuidado na escolha das casas e significadores não é exclusivo para a derivação das casas, mas sim para toda a astrologia horária.

Alguns exemplos de casas derivadas:
  
  • As finanças do meu marido: a casa II da VII, a casa VIII radical.
  • Os irmãos dos meus empregados: a casa III da VI, a casa VIII radical.
  • As finanças do meu pai: a casa II da IV, a casa V radical.
  • O meu neto: a casa V da V, a casa IX radical.
  • A minha tia materna: a casa III da X, a casa XII radical.
  • Os inimigos secretos do meu chefe: a casa XII da X, a casa IX radical.
  • A Rainha de Inglaterra: a casa X da IX, a casa VI radical (caso viva em Portugal - a rainha de um país estrangeiro. Se vivesse na Inglaterra seria a própria casa X radical, a rainha do seu país).
  • O irmão da minha esposa: a casa III da VII, a casa IX radical.
  • O meu avô paterno: a casa IV da IV, a casa VII radical.
  • O patrão do meu marido: a casa X da VII, a casa IV radical.
  • Os amigos do meu marido: a casa XI da VII, a casa V radical.
  • O gato do meu vizinho: a casa VI da III, a casa VIII radical.
  • O namorado da amiga da minha mãe: a amiga da minha mãe é a casa XI da X, a casa VIII radical, o namorado da amiga da minha mãe é a casa VII da VIII, a casa II radical.
  • O cavalo de estimação da minha filha (animal de grande porte): a casa XII da V, a casa IV radical.
  • A viagem longa da minha irmã: a casa IX da III, a casa XI radical.
  • O relógio comprado (posse móvel) do meu pai: a casa II da IV, a casa V radical.
Aqui ficam alguns exemplos de derivação de casas, muitos outros podiam ser aqui colocados, mas penso que compreendendo os exemplos acima, a dinâmica da derivação de casas torna-se um exercício de relativa facilidade na prática.