sábado, 25 de junho de 2016

O Signo Solar e o Signo Ascendente. Por Helena Avelar e Luís Ribeiro

O que é o Ascendente?

Para compreendermos este importante aspecto astrológico, vamos recordar que o mapa natal é o retrato simbólico do céu, visto a partir da Terra, num determinado dia, hora e local. O centro do mapa será o próprio local de nascimento, na Terra. A partir desse centro, é determinado um horizonte: à esquerda está o Este, Oriente, ou Nascente; à direita fica o Oeste, Ocidente ou Poente. O Ascendente é o signo que está a subir - ou a ascender -- no horizonte oriental (à esquerda, portanto) naquele momento.

Como o signo Ascendente muda de 2 em 2 horas (aproximadamente), só pode ser determinado através de cálculos matemáticos muito precisos.

Em termos simbólicos, o Ascendente representa o impulso inicial para a vida, o momento do nascimento, o primeiro choro do bebé. Indica a nossa forma imediata e genuína de reagir, a forma como entramos na vida.

O Ascendente simboliza a primeira impressão que damos aos outros e também a primeira mensagem que recebemos do mundo.

O signo que se encontra no Ascendente indica a primeira impressão que causamos e a forma como iniciamos as coisas. Refere-se às condições que encontramos quando nascemos: o "estado de espírito" do momento. Pode igualmente dar-nos pistas sobre o nosso aspecto físico, a "máscara" exterior (tanto física, como emocional e intelectual), o estado geral de saúde e alguns hábitos e maneirismos pessoais.

Como interage com o signo solar?

O signo onde se encontra o Sol representa o processo de autoconhecimento individual. É através das energias (do tema) do signo do Sol que crescemos em consciência. Simboliza aquilo que somos (no sentido mais básico e natural), e também aquilo que ao longo da vida aprendemos a expressar de forma cada vez mais consciente.

O Sol mostra a expressão natural e duradoura da individualidade, enquanto o Ascendente revela a forma como esta individualidade se expressa no imediato.

Por outras palavras: através do signo Ascendente "tocamos" o mundo, através do signo do Sol transformamos essa experiência em consciência.

À medida que amadurecemos, vamos aprendendo a integrar as energias totais do nosso mapa em torno do signo solar; todos os outros factores (incluindo o Ascendente) passam, assim, a enriquecer e fortalecer essa expressão global.

Esta integração não implica, contudo, a perda de importância do Ascendente ou de qualquer outro elemento do mapa. Pelo contrário: quando a personalidade se constela em torno do Sol central, cada factor astrológico ganha uma dimensão própria, única e dinâmica, capaz de contribuir para um todo harmonioso e criativo - uma personalidade integrada.

Os Signos e o Mapa Natal

Os signos representam as energias básicas da Astrologia. São os arquétipos (ou símbolos) primordiais, dos quais surge todo o conhecimento astrológico.

Num num mapa astrológico estão sempre representados todos os doze signos do Zodíaco. A nível individual, cada um deles representa um modo de ser, uma possível forma de expressão da Consciência.

Mais importante do que identificarmo-nos com este ou aquele signo específico é compreendermos cada um dos doze. Nenhum deles é "melhor" ou "pior" que qualquer outro: todos representam características e energias fundamentais da experiência humana. Cada um deles estará presente na nossa personalidade, embora alguns possam estar mais acentuados que outros.
Qual é o signo principal de um horóscopo?

O signo solar é, obviamente, um dos mais destacados.

Representa o processo de autoconhecimento de um dado indivíduo. Simboliza aquilo que somos, num sentido mais básico e natural, e também aquilo que ao longo da vida aprendemos a expressar de forma cada vez mais consciente.

O signo solar é, como o próprio nome indica, o signo onde o Sol se encontra num dado momento. Como o Sol tem um movimento muito regular (um signo por mês), é fácil saber em que ponto do zodíaco se encontra a cada dia.

Para conhecer o signo solar de uma determinada pessoa ou acontecimento basta-nos, portanto, saber o dia e o mês em que ocorreu esse acontecimento.

Por ser muito fácil de calcular, o signo do Sol tornou-se o mais conhecido de todos. A sua maior divulgação ficou a dever-se à publicação de almanaques que falavam das características do signo solar. Estas seriam, supostamente, compartilhadas por todos os nascidos num determinado período.

É interessante verificar que o signo solar tinha uma importância muito pequena para os astrólogos da Antiguidade, já que a sua análise astrológica levava em consideração muitos outros factores. Para eles, não faria sentido alguém afirmar "Eu sou Touro" ou "Eu sou Sagitário".

Que outros signos são marcantes num mapa natal?

O signo lunar - o signo onde se encontra a Lua num dado momento -- indica os condicionamentos, as emoções e as condições de receptividade que prevaleciam naquela altura. Para determinar o signo lunar é preciso uma tabela, já que a Lua demora apenas 28 dias a dar a volta ao Zodíaco.

O signo ascendente é signo que está a subir (a ascender) no horizonte oriental no momento em que o mapa é calculado. Simboliza a forma de expressão exterior, as primeiras impressões, as reações imediatas. Numa perspectiva espiritual, dá-nos indicações sobre o propósito do mapa astrológico. O Ascendente muda de 2 em 2 horas; é determinado através de cálculos matemáticos muito precisos.

Num horóscopo, será também marcante qualquer outro signo que contenha uma grande concentração de planetas.

Em resumo: de pouco serve escolher o signo "mais importante" e identificamo-nos com as suas características; há que manter sempre presente que todos os doze signos têm o seu lugar e a sua forma de expressão no mapa astrológico.

Em artigos futuros, veremos de que forma cada um deles se manifesta.