sexta-feira, 24 de junho de 2016

Os Ramos da Astrologia. Por Helena Avelar e Luís Ribeiro

Um corpo de conhecimentos tão vasto como a Astrologia tem uma tendência natural a especializar-se em vários "ramos". Estes definem-se de acordo com o objeto de estudo em questão. Este "objeto" pode ser um ser humano, um evento político, um questão específica, um problema de saúde, etc.

Em qualquer dos ramos astrológicos, o horóscopo é sempre a ferramenta base. Contudo, o modo como é calculado pode mudar; o mesmo acontece com as técnicas de interpretação e o significado prático dos seus componentes.

Quais são então os principais ramos da Astrologia? Eis alguns dos principais.

A Astrologia Natal

Este é o ramo mais utilizado atualmente, de tal modo que eclipsou os restantes ramos. O seu objeto de estudo é o ser humano. O mapa utilizado é o mapa de nascimento (ou mapa natal) calculado para a data, hora e local de nascimento. Considera-se o momento de nascimento aquele em que o bebê respira pela primeira vez.

Hoje em dia, este tipo de Astrologia assumiu um carácter de estudo psicológico. O objectivo desta abordagem é auxiliar o indivíduo no seu autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Antigamente este tipo de Astrologia era mais raro (pois raramente existia um registo da hora de nascimento) e possuía uma abordagem mais preditiva e fatalista.

A Astrologia Mundana

Esta é a Astrologia dos grandes acontecimentos e dos movimentos colectivos. É considerada a mais nobre de todas as Astrologias, pois estuda o Macrocosmos, os desígnios da divindade e o desenrolar do plano divino.

Este ramo é muito complexo e tem vários níveis de abordagem. Ele incluí outros ramos dos quais se destaca a Astrologia Política, que estuda os mapas de países e os eventos políticos. Estuda também as influências cíclicas, os grandes alinhamentos, os eclipses e, em geral os factores de grande impacto, capazes de afetar a Humanidade como um todo.

A Astrologia Horária

Esta vertente da Astrologia foi no passado a mais utilizada. A sua filosofia diverge um pouco das restantes: procura das resposta direta a perguntas específicas. Para tal, estuda-se o "mapa natal" do momento em que a pergunta é feita, acreditando encontrar-se nele, através da Lei da sincronicidade, a própria resposta. Rege-se por regras e simbolismo muito específicos.

Esta Astrologia sempre foi bastante questionada, não devido aos seus princípios, mas devido ao seu uso abusivo com sistema divinatório, de que foi vítima ao longo da eras.

Neste ramo inclui-se a Astrologia Eletiva cujo objectivo é tentar encontrar o melhor momento para um evento ocorrer (por exemplo: uma coroação de um rei, a fundação de uma empresa, etc.)

A Astrologia Médica

Este ramo tem como objectivo tentar compreender as condições médicas de um individuo. É, no fundo, uma especialização combinada da Astrologia Natal e da Horária, pois emprega métodos de ambas. Aqui os factores astrológicos são interpretados como partes do corpo (os Signos), funções fisiológicas (os Planetas) e áreas de expressão (as Casas).

Esta Astrologia caiu em desuso com o aparecimento da Medicina moderna. Atualmente parece estar a sofrer um revivalismo devido ao ressurgimento das chamadas "medicinas alternativas"