sábado, 25 de junho de 2016

Os Signos e os Ciclos Naturais. Por Helena Avelar e Luís Ribeiro

Nos tempos antigos, quando as comunidades humanas viviam segundo os ritmos da Natureza, a sequência das estações marcava o ritmo da vida.

Vejamos, então, como o ritmo sazonal determina as energias de cada signo. Importa realçar que estas energias dizem respeito ao próprio signo e não às pessoas desse signo, já que a personalidade de que um ser humano resulta de uma combinação complexa de factores e não de um único signo.

Há que ter em conta que as datas apresentadas para cada signo são aproximadas: devido à existência de anos bissextos e a outros factores, estas datas podem antecipar-se ou atrasar-se um dia.

Primavera - Época de esperanças e promessas. Plantar as sementes.

Carneiro - de 21 de Março a 20 de Abril - Fogo Cardinal.
Equinócio da Primavera: o verdadeiro início do ano. A vida em "hibernação", retorna à atividade: a seiva volta a circular. Um novo ciclo começa.
Forte impulso vital, afirmação, "agressividade", vontade de avançar.

Touro - de 21 de Abril a 21 de Maio - Terra Fixa.
Meio da Primavera: fecundação da terra fértil; a vida desponta, cria raízes.
Estabilização do impulso vital: experiência centrada na sensação física (sentidos).

Gêmeos - de 22 de Maio a 21 de Junho - Ar Mutável.
Fim da Primavera: as plantas estão em flor e trocam pólen. As sementes já fertilizadas começam a dividir-se. Trocas, divisões, intercâmbios.
Transformação do impulso vital: curiosidade, variedade, comunicação.

Verão - Época de crescimento e plenitude. Nutrir de plantas e frutos.

Caranguejo - de 22 de Junho a 23 de Julho - Água Cardinal
Solstício de Verão: nutrição das plantas, formação e crescimento dos frutos.
Impulso de exteriorização: gestação protegida; a vida adquire forma.

Leão - de 24 de Julho a 23 de Agosto - Fogo Fixo.
Meio do Verão: frutos na sua total expressão, amadurecimento.
Máximo da exteriorização: crescimento e expressão pessoal, auto- afirmação.

Virgem - de 24 de Agosto a 23 de Setembro - Terra Mutável
Fim do Verão: época das colheitas, da organização e do armazenamento; sementes e frutos como símbolo de perfeição e de esperança no futuro.
Transformação da exteriorização: sentido do trabalho feito, da ordem alcançada.

Outono - Época de colheita. Ceifar, guardar e armazenar.

Balança - de 24 de Setembro a 23 de Outubro - Ar Cardinal
Equinócio do Outono: meio do ciclo. Ponto de equilíbrio: as colheitas estão feitas, é tempo de trocas, dádivas, festas e romarias (pontos de convívio).
Impulso de interiorização, virado para o equilíbrio e a harmonização.

Escorpião - de 24 de Outubro a 22 de Novembro - Água Fixa
Meio do Outono: tempos dos frutos secos (sementes); as folhas caem e apodrecem; cortam-se os ramos velhos; fermentação e transformação: prepara-se o humos que fertilizará e sustentará uma nova Primavera.
Máximo da interiorização: tempo de fazer o luto de tudo o que morreu neste ciclo; libertar-se de emoções do ciclo passado, aceitar a transformação.

Sagitário - de 23 de Novembro a 22 de Dezembro - Fogo Mutável
Fim do Outono: todos os frutos colhidos, últimas folhas secas, últimas sementes, época de abundância e preparação para a escassez futura.
Transformação da interiorização: antecipação do Inverno, tempo pensar no sentido da vida, para fazer o balanço de tudo o que se aprendeu neste ciclo.

Inverno - Época de proteção da vida latente. Abrigar e conservar.

Capricórnio - de 23 de Dezembro a 20 de Janeiro - Terra Cardinal
Solstício de Inverno: culminar do ano, o auge do frio; altura de proteger a vida latente nas sementes que jazem adormecidas na terra.
Impulso de proteção e recolhimento: começam a consumir-se os recursos armazenados; tempo fazer o balanço material do que foi obtido neste ciclo, gozando o êxito e reputação social alcançados.

Aquário - de 21 de Janeiro a 19 de Fevereiro - Ar Fixo
Meio do Inverno: escassez de recursos, vive-se agora quase exclusivamente do que foi acumulado no Verão anterior; trocam-se e partilham-se recursos.
Máximo da proteção: tempo para recolher-se, meditar e libertar-se de ideias e conceitos do ciclo passado e preparar o futuro. Vida em comunidade.

Peixes - de 20 de Fevereiro a 20 de Março - Água Mutável
Fim do Inverno: gastam-se os últimos recursos; altura do degelo; redenção, fim de um ciclo, o fechar do ano "natural".
Transformação da proteção: à medida que o ciclo termina, aumenta o sentimento de perda, de fatalidade, de términos; contudo, se todas as etapas anteriores tiverem sido devidamente vivenciadas, este fim pode ser sentido como uma libertação emocional profunda; estão, assim, criadas as condições para que as sementes deste ciclo nasçam enfim, na Primavera que se seguirá.

Nota: Os signos relacionam-se com as estações do ano no Hemisfério Norte, uma vez que foi aqui que nasceram e floresceram todas as civilizações que contribuíram para a sua simbologia. Contudo, são também aplicáveis aos nascidos no Hemisfério Sul, uma vez que a sua simbologia é universal.