sexta-feira, 24 de junho de 2016

Os Quatro Elementos. Por Helena Avelar e Luís Ribeiro

Um dos principais conceitos-chave para a Astrologia é o de Elemento. Os Elementos são os componentes básico da estrutura do Universo. Eles representam os estados de energia fundamentais da manifestação.

Em Astrologia consideramos quatro Elementos: a Terra e a Água, de polaridade feminina ou Yin e o Fogo e o Ar, de polaridade masculina ou Yang.

Podemos descrever cada elemento do seguinte modo:

Fogo: este Elemento expressa-se por atividade, energia e busca de conhecimento e identidade. A ação é o fator base do Fogo. Ele é o que ajuda a criação, dá vida e aquece quando moderado. E é poder que queima, destrói, seca e ofusca quando excessivo.
 
Terra: este é o Elemento da concretização, da tomada de forma, da densidade e peso. Ele dá uma estrutura concreta a todas as coisas, confere solidez e substância quando moderado. Mas é também o Elemento que prende, rigidifica e limita quando excessivo.

Ar: é o Elemento da comunicação, da ligação. É ele que conceptualiza, relaciona, idealiza e explica o Universo. Utilizado corretamente ele dá a capacidade da palavra, o poder criador, leve e fluído do pensamento. Utilizado em excesso origina dispersão, nervosismo mental e uma comunicação errática, vaga e descontrolada.
 
Água: este é o Elemento da emotividade e sentimento. Ele amolece a rigidez da Terra, controla e regula o poder do Fogo e dá sentimento á comunicação do Ar. Utilizado de forma controla dá sensibilidade, intuição, empatia. Em excesso, origina sentimentalismo exagerado, pieguice, histeria emocional, descontrole e confusão.

Os Elementos Yang têm um relacionamento fácil, dizemos que são compatíveis por serem da mesma polaridade. O mesmo acontece entre os dois Elementos Yin. No entanto a combinação entre elementos de polaridades opostas é conflituosa.

Os Elementos também se complementam entre si, existindo Elementos diametralmente opostos. Ao Elemento Fogo opõe-se a Água, ao Elemento Ar opõe-se a Terra e vice versa. Ao oporem-se estes Elementos vão criar uma complementariedade entre si, tal como polos magnéticos de um ímã.

Qualidades ou modos

A trama do Universo é contudo mais complexa e não se compõe somente de combinações entre Elementos. A cada Elemento (ou energia base) pode ser incutido um tipo de movimento. Em Astrologia chamamos a estes factores Qualidades ou Modos.

Existem três tipos de movimento ou qualidade:

Cardinal: o início do movimento. Representa o impulso, a afirmação, o movimento que começa todos os outros e proporciona a compreensão da atividade do Elemento.

Fixo: a estabilização do movimento. Aqui tudo pára, define-se e estabiliza obrigando a uma profundidade de percepção do Elemento.

Mutável: a transformação do movimento. Este é o modo que altera, "muta" o estado de expressão do Elemento, obrigando-o a rever-se e a relativizar-se.

Ao combinarmos os Elementos com as Qualidades surgem doze combinações possíveis: Os 12 Signos do Zodíaco.

Elemento-Qualidade: Signo

Fogo-Cardinal: Carneiro
Terra-Fixo: Touro
Ar-Mutável: Gêmeos
Água-Cardinal: Caranguejo
Fogo-Fixo: Leão
Terra-Mutável: Virgem
Ar-Cardinal: Balança
Água-Fixo: Escorpião
Fogo-Mutável: Sagitário
Terra-Cardinal: Capricórnio
Ar-Fixo: Aquário
Água-Mutável: Peixes

Como podemos ver na tabela existem três Signos de cada Elemento, a cada uma destas tríades chamamos Triplicidade. Temos então Triplicidades de Fogo, de Terra, Ar e Água.

As Qualidades distribuem-se por quatro Signos - Quadruplicidades. Temos então a Quadruplicidade Cardinal, a Fixa e a Mutável.


O Fogo é o elemento mais masculino: é yang, quente e seco.

Os signos de Fogo são o Carneiro, o Leão e o Sagitário.

Os três signos de Fogo têm em comum as características do elemento: expansão, optimismo, afirmação, etc, mas cada um deles vai vivê-las à sua maneira.

Assim, o Fogo do Carneiro poderia ser representado por uma faísca ou por um fogo de palha: acende-se rapidamente mas também se apaga depressa.

O Fogo do Leão seria a labareda de uma grande fogueira ou o fogo do próprio Sol: brilha com intensidade e constância, é bem visível e deslumbrante.

O Fogo do Sagitário poderá ser comparado ao fogo de uma vela ou ao de uma chama de altar: é um fogo controlado, serve um propósito mais definido e exterior ao "eu".

Este elemento simboliza o espírito, os planos superiores, a vitalidade, a identidade pura. Relaciona-se com a função da Intuição: entusiasmo, paixão e individualismo.

A predominância do elemento Fogo num mapa natal sugere um indivíduo enérgico, apaixonado, autoexpressivo, ativo, intenso, alegre e com uma fé natural e espontânea na vida.
Quando existe excesso deste elemento, estamos perante um ser exagerado, incomodativo, pouco sensível e egocêntrico.

A falta de Fogo pode, por seu turno, indicar uma pessoa desalentada, "apagada", que raramente se entusiasma, dificilmente acredita e que tem medo de se afirmar.

Nota: Para determinar o excesso ou a falta de um elemento num mapa natal há que ter um conta a distribuição das principais energias desse mapa (Sol, Lua, planetas e o Ascendente) nos signos e também nas casas. Por vezes, a falta de energia nos signos de um determinado elemento pode ser compensada pelas casas ligadas ao mesmo elemento.


A Terra é um elemento moderadamente feminino: é yin, frio e seco.

Os signos de Terra são o Touro, a Virgem e o Capricórnio

Os três signos de Terra têm em comum as características do elemento: objectividade, capacidade de realização, sentido prático, etc, mas cada um deles vai vivê-las à sua maneira.

A Terra do Touro é comparável à terra da Primavera, cheia de sementes em germinação e de pequenos organismos: é rica, fértil, fervilhante de vida.

A Terra da Virgem seria a dos campos depois das colheitas: solta e repousada depois de ter dado os seus frutos, receptiva a futuras sementeiras.

A Terra do Capricórnio é a terra do Inverno: aparentemente dura, gelada e árida, guarda em si, secretamente, as sementes que germinarão na Primavera seguinte.

Este elemento simboliza as sensações e a identidade através destas. Corresponde à função da Sensação/Experiência: segurança no que é sólido, objectividade, ação, pensamento concreto, o corpo, substância, matéria.

Quando existe muita Terra no mapa, estamos perante um indivíduo prático, objectivo, com uma boa noção do real, estável e responsável.

Excesso deste elemento pode indicar algum materialismo, tendência à valorização da posse e excessiva ligação aos sentidos (percepção física das coisas).

A falta de Terra leva a uma perda de contacto com a realidade, falta de sentido prático e incapacidade de prover as próprias necessidades físicas e materiais.


O Ar um elemento moderadamente masculino: é yang, quente e úmido.

Os signos de Ar são os Gêmeos, a Balança e o Aquário.

Os três signos de Ar têm em comum as características do elemento: comunicação, troca de ideias, tendência para os relacionamentos sociais, etc, mas cada um deles vai vivê-las à sua maneira.

Assim, o Ar dos Gêmeos poderá ser comparado ao de um pequeno remoinho: é rápido, ligeiro, instável.

O Ar da Balança seria, um vento de fim de tarde: tranquilo, descansado, gentil.

O Ar do Aquário poderia ser comparado ao de um vento das altas camadas atmosféricas: forte, direcionado, capaz de alcançar longas distâncias.

O Ar simboliza as ideias colectivas, a intelectualidade, a identidade através dos relacionamentos. Tem a ver com a função do Pensamento: sociabilidade, comunicação mental, leve, penetrante e relacional.

Uma forte ênfase de Ar num mapa natal indica uma pessoa que gosta de comunicar, de partilhar ideias, é muito virada para a vida social e com a capacidade natural de ajustar o seu "eu" aos dos outros.

Demasiado Ar num mapa natal pode revelar excessiva intelectualização, gosto pelos contatos "mentais" e tendência para "viver no mundo das ideias", com uma tendência a ser "cerebral" e pouco contacto com a realidade física.

A falta do elemento Ar, por seu turno, indica alguém com dificuldade em racionalizar e conceptualizar, falta de pensamento abstrato, pouca curiosidade e deficiente capacidade relacional.


A Água é o elemento mais feminino. É yin, frio e úmido.

Os signos de Água são o Caranguejo, o Escorpião e os Peixes.

Os três signos de Água têm em comum as características do elemento: recolhimento, memórias, sentimento, etc, mas cada um deles vai vivê-las à sua maneira.

A Água do Caranguejo, por exemplo, seria comparável à dos lagos tranquilos cheios de vida ou às "águas" do útero materno, onde o bebé vive durante os nove meses de gestação: é nutriente, maternal e protetora.

A Água do Escorpião seria a dos pântanos, a retorta do alquimista ou a do caldeirão da bruxa: é misteriosa, secreta, pode ser destrutiva ou profundamente transformadora.

A Água dos Peixes seria á do próprio mar imensa, abrangente, total, variável, incontrolável, fonte de vida e de morte.

A Água simboliza o inconsciente, o irracional, o caos. Relaciona-se com a Função do Sentimento/Emoção: preservação, fertilidade, osmose, sensibilidade, esfera psíquica, renovação, ligações, memórias.

Uma preponderância deste elemento num mapa natal tem uma tendência natural à simpatia, compreensão, sintonia, imaginação, nutrição física e emocional, proteção e comunhão.
Excesso deste elemento indica uma intensa ligação ao passado, alienação das emoções, dificuldade em expressar os sentimentos (por ficar "afogado" neles) e medo de ficar excessivamente envolvido nas ligações emocionais.

A falta deste elemento leva a uma dificuldade de estabelecer laços afetivos, medo das emoções, a pessoa pode ter dificuldade em identificar os próprios sentimentos e necessidades afetivas e ser totalmente "impermeável" aos sentimentos alheios.


A Combinação de Elementos

Num mapa astrológico, os Elementos nunca se manifestam em estado "puro". Ninguém pertence exclusivamente a um só elemento. No mapa astrológico estes aparecem combinados em várias proporções. A interpretação desta combinação elemental dá-nos a base das tendencias comportamentais de um indivíduo.

Como interagem os Elementos num mapa natal?

O resultado da combinação de Elementos depende da natureza dos próprios elementos. O esquema seguinte apresenta as diversas possibilidades de relacionamento:

Os Elementos da mesma polaridade são os que apresentam a combinação mais fluída pois têm origens semelhantes. Assim os Elementos Yang - Fogo e Ar - tem uma relação naturalmente fluente. Se fizermos a analogia com os elementos físicos, veremos que o Ar alimenta o Fogo e este dá movimento e energia ao Ar.

Os Elementos Yin - Água e Terra - são igualmente compatíveis. A Terra suporta e dá forma à Água e esta alimenta e fertiliza a Terra.

Noutro extremo, temos as relações tensas. Estas ocorrem em Elementos de características totalmente opostas, ou seja entre Fogo (quente e seco) e Água (fria e úmida) e também entre Ar (quente e úmido) e Terra (fria e seca). O Fogo evapora a Água e esta apaga o Fogo, o Ar e a Terra têm "densidades" completamente opostas, pelo que têm dificuldade em interagir.

No termo intermédio temos as relações moderadas, em que os Elementos envolvidos são basicamente incompatíveis mas, ainda assim, têm algo em comum: Fogo e Terra (ambos secos) e Ar e Água (ambos úmidos).

Como "funcionam" estas combinações no plano psicológico?

Fogo e Ar - Indivíduos dinâmicos, muito "acelerados", com grande atividade mental mas dificuldade em trazer as ideias à "terra".

Fogo e Terra - Grande poder de concretização e estabilidade. Muito direcionados para os resultados das sua ações, mas correndo o risco de serem pouco sentimentais e pouco sensíveis.

Fogo e Água - Seres emocionalmente intensos, passionais. Dividem-se entre a expressão radiante das suas emoções e períodos mais introvertidos e sentimentais.

Ar e Água - Sonhadores, sentimentais e românticos mas com pouco sentido prático e muitas vezes perdidos no seu mundo de sonho.

Ar e Terra - Expressão primariamente mental e racional dando origem muitas vezes a uma abordagem "cerebral" e pouco sentimental da vida.

Terra e Água - Sensibilidade, estabilidade e uma natureza introvertida e calma que pode muitas vezes originar uma grande inércia.

Como saber que combinação está presente num mapa natal?

É necessário realçar que estas combinações resultam de uma "soma" dos vários factores astrológicos de uma mapa astrológico. Muitas vezes a "pesagem" de elementos é muito complexa sendo difícil perceber qual o elemento dominante ou qual a combinação presente.

Um exemplo de pesagem muito simples seria a combinação Sol - Lua - Ascendente. Mas mesmo esta pode ser desequilibrada pelos restantes planetas.