quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Astrologia e Alcoolismo (Catherine Aubier)


O abuso de álcool, bem como o consumo de drogas, testemunha no plano psicológico uma má adaptação ao real. Nesses "paraísos artificiais", o ser humano procura uma evasão ou uma compensação.

É, portanto, sob a influência de Netuno, planeta que simboliza justamente o irracional, o distanciamento do vivido e do concreto, que se encontram os exemplos mais significativos.

Para que uma sujeição ao álcool ou à droga seja possível, é necessário antes de tudo que o Tema natal apresente poucas qualidades enérgicas e reativas: os signos de Áries, Leão e Sagitário serão, portanto, pouco atuantes e os planetas Sol e Marte, pouco poderosos.

Em compensação, os signos de Câncer, Peixes - por oportunismo - e os de Gêmeos, Aquário e Escorpião - por curiosidade - serão mais tentados a fazer tal experiência.
Para que esta chegue ao hábito ou a lamentáveis excessos, é necessário que Netuno seja poderoso no Tema natal e forme aspectos de quadratura ou de oposição - às vezes de conjunção - com o Sol, a Lua ou o Ascendente.

É freqüente, quando da presença de trânsitos ou de direções de Netuno a um desses planetas, que a pessoa em questão sinta a primeira tentação.

Quando a dependência está instalada, cremos que um aspecto harmonioso (trígono ou sextil) de Netuno ou uma conjunçãp de Júpiter ajudariam a resolver o problema. No momento pareceria que esses aspectos acentuam a impressão de facilidade buscada pela pessoa e aumentam os riscos. Mas com freqüência acontece o contrário: quando há trânsitos muito violentos, de Saturno ou de Urano, por exemplo, é que a pessoa percebe o perigo e encontra forças para reagir.