quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Astrologia e Suicídio (Catherine Aubier)


Há uma conjunção de vários fatores para que alguém tome uma atitude dessa natureza. E algo que ultrapassa largamente o âmbito da astrologia.

Um Tema pode, todavia, conter elementos significativos, por exemplo, quando o regente do Ascendente ocupa a casa VIII, ou quando o regente da VIII está em conjunção ao Ascendente, ou ainda quando os regentes da I e da VIII formam aspectos violentamente dissonantes. Segundo certos autores, a Lua Negra também pode influir, sobretudo se ela se encontra na casa VIII e muito mal aspectada; o mesmo vale para Netuno.

Por fim, a experiência mostra que as pessoas que, em um momento ou outro de sua vida, pensam no suicídio são, freqüentemente, aquelas cujo Tema astral apresenta valores de impaciência, aborrecimento ou primariedade: Áries dominante, depois, com menor intensidade, Touro, Gêmeos, Câncer. Ao se confrontar com uma longa série de provações, têm dificuldade para se conscientizar de que as coisas podem mudar, ou não dispõem de paciência para esperar pela mudança.