terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

O Ascendente da Revolução Solar nas Casas Natais, por Alexandre Volguini

As significações das posições do Ascendente da Revolução Solar em diferentes Casas natais podem ser resumidas da seguinte maneira:




Ascendente na I Casa natal - Anuncia sempre um livre-arbítrio muito acentuado, que permite ao sujeito realizar, durante o ano vindouro, várias possibilidades indicadas na carta natal. Evidentemente, essa realização depende inteiramente da vontade do sujeito. O conjunto da Revolução Solar - a Casa em que se encontra o planeta que governa o Ascendente, seus aspectos e outras configurações - revela o domínio no qual se baseará a ação do nativo. Quando os planetas se encontram na I Casa, parecem diminuir o livre-arbítrio e devem, por conseguinte, ser examinados de maneira atenta, já que significam também a ação pessoal e suas modalidades, o sentido, as qualidades e os defeitos dessa ação. Um planeta na I Casa, não estando em conjunção com a cúspide do Ascendente, prenuncia que o nativo sofre seus efeitos sem provocá-los, ao passo que, estando em conjunção com o Ascendente, indica geralmente que os efeitos anunciados pelo planeta serão desencadeados pela própria atividade do nativo. A conjunção do Ascendente com o regente da VII Casa é freqüentemente encontrada nos anos de casamento do nativo.

É possível supor que essa regra continue válida sempre e não somente quando o Ascendente anual se encontra na I Casa natal. Por exemplo, Urano, em conjunção com o Ascendente da Revolução Solar, prenuncia muitas vezes um acidente ou algum acontecimento brusco, cuja falta deve ser atribuída ao sujeito; por outro lado, na I Casa, sem estar em conjunção com a cúspide do Ascendente, esse planeta indicará a mesma coisa, sem que o sujeito seja a causa. As regras referentes à significação dos planetas nas Casas anuais e em suas relações com os planetas de natividade serão dadas mais adiante. Acrescentaremos aqui que o Ascendente anual estava na I Casa natal da Revolução Solar de H. P.Blavatsky no dia 11 de agosto de 1878, correspondente à sua partida dos Estados Unidos para a índia, que ocorreu em 18 de novembro daquele ano. Como o regente do Ascendente está em conjunção com Júpiter — um dos dois regentes da IX Casa, enquanto o segundo regente da IX Casa, Netuno, está na X, este tema é característico de uma mudança de vida levada a efeito por viagem.





Ascendente anual na II Casa natal — Anuncia que o interesse principal do ano se situa nos ganhos e nas finanças e essa questão deve ser examinada antes de todas as outras. Se o conjunto dos fatores astrológicos é benéfico, é possível tratar-se de uma realização importante nos negócios, mas, se a II Casa está ocupada por fatores maléficos, as preocupações financeiras, os aborrecimentos ligados a dinheiro e até mesmo as perdas pecuniárias serão inevitáveis. Tudo depende do grau da aflição.





Ascendente anual na III Casa natal - Enfatiza a importância do meio e pressagia que o principal acontecimento do ano dirá respeito ao irmão ou à irmã do nativo ou que os deslocamentos (ou ainda os trabalhos do espírito ou os escritos) compõem, por assim dizer, o ambiente do ano e concentram toda a atenção. Trata-se da orientação da Revolução Solar de H. P. Blavatsky que precede a sua morte e da qual nos servimos para ilustrar a regra exposta no capítulo anterior. Essa orientação pode, à primeira vista, surpreender, mas os nove meses que separam o momento do aniversário do momento da morte foram inteiramente dedicados ao trabalho literário, não somente sobre A doutrina secreta (que ficou inacabada), mas também em função de vários artigos e da redação. Esse trabalho absorvia todos os seus pensamentos, e forma - ousarei expressar-me assim - o "clima" no qual H. P. Blavatsky viveu durante o último ano de sua vida.

Trata-se, em suma, da sobreposição das questões de família ou dos escritos, visitas, deslocamentos e vizinhança. Se a V Casa da Revolução Solar é importante e as questões de ordem sentimental desempenham um papel preponderante, tal sobreposição diz respeito às coisas relativas ao sexo oposto, pois a III Casa é a Casa da amante num tema masculino e do amante em um horóscopo feminino.





Ascendente anual na IV Casa natal - Corresponde freqüentemente a uma mudança de residência, à realização de um projeto ou ao final de um empreendimento, muitas vezes um acontecimento relativo aos pais, ao meio ou ao lar do nativo. Psicologicamente, trata-se do signo do desejo de estabilização, de segurança material e moral, de restabelecimento de um lar (caso o sujeito não o tenha) e de garantias para o futuro. Com uma carta afligida, trata-se de uma orientação bastante perigosa; numerosas foram as pessoas sob esta configuração, enviadas aos campos de concentração ou aos lugares de residência vigiada, nos tristes anos de 1939 a 1944. O estudo aprofundado da Revolução Solar revelará, em cada caso, em que sentido da IV Casa a interpretação deverá ser feita.

Observemos que é freqüente encontrar-se o Ascendente na IV Casa natal, nas Revoluções Solares que correspondem aos anos da morte. Essa é, por exemplo, a orientação da Revolução Solar de Balzac de 20 de maio de 1850.2 Aqui, evidentemente, "o final", que é uma das significações principais da IV Casa, age no sentido do final da existência.





Ascendente anual na V Casa natal - Anuncia que o principal acontecimento do ano dirá respeito ao amor ou às crianças (e, por vezes, também à instrução técnica) e corresponde sempre a uma evolução importante das relações com o ambiente íntimo ou a mudanças neste último. Trata-se de uma sobreposição geralmente feliz (caso não haja grandes aflições) e é freqüentemente encontrada nos anos de noivado ou de nascimento de crianças (sobretudo nos horóscopos femininos). Às vezes, essa posição estimula o lado especulativo desta Casa, fato que pode resultar, com uma Revolução Solar desfavorável, em perdas no jogo ou nas operações na Bolsa; mas esse sentido da V Casa só pode ser considerado caso o tema mostre uma ligação entre a V e a II ou VIII Casas (por exemplo, pela presença do regente da V na II, ou vice-versa) e caso os planetas acentuem as questões financeiras. Sem essas condições, tal sobreposição diz respeito às ligações ou às crianças, à influência de outrem, às boas relações, assim como às coisas amáveis, aos prazeres, convites e festas. Entre os artistas, é geralmente o indicador de um ano de êxitos ou de progressos, pois a V Casa governa as artes em geral e o teatro em particular.

Evidentemente, os planetas permitem dizer, em cada caso específico, em que sentido agirá a Casa natal em que se encontra o Ascendente anual. Assim, por exemplo, o Ascendente da Revolução Solar com Urano na V Casa natal de um tema feminino implica quase sempre um aborto: a natureza destrutiva de Urano, agindo sobre a V Casa, produz a destruição prematura (cirúrgica ou não, provocada ou acidental) do embrião. O conjunto do tema -as relações entre a V Casa, de um lado, e as VI, VIII e XII Casas, de outro -, e as aflições dos luminares e do regente do Ascendente permitem precisar, em cada caso específico, o perigo corrido pela nativa ou a repercussão do aborto sobre a saúde.





Ascendente anual na VI Casa natal - E geralmente um mau presságio para a saúde, assim como para os problemas domésticos. Contudo, é possível que, se a Revolução Solar for boa, nenhuma doença se produza; ainda assim, o organismo mostrará uma tendência para o enfraquecimento, para a falta de vitalidade, e as fadigas serão numerosas. Se a VI Casa da Revolução Solar estiver ligada desfavoravelmente à X, será necessário considerar esta Casa no sentido de aborrecimentos e de dificuldades profissionais, pois, de modo geral, ela se refere aos encargos e às obrigações (e até mesmo às servidões) e exprime com freqüência a idéia de uma atividade sem alegria e sem animação, um pouco fastidiosa e cansativa.




Ascendente anual na VII Casa natal - Ressaltará sempre a natureza desta Casa. Se as indicações são favoráveis, tal posição do Ascendente levará ao casamento ou a uma associação; afligida, essa configuração corresponde a um processo ou a aborrecimentos provenientes dos associados ou do cônjuge e ao insucesso na vida social; caso o Ascendente da Revolução Solar esteja em oposição ao Ascendente natal, haverá a presença de perturbações na saúde, doenças, acidentes, operações etc... Essa sobreposição é freqüentemente encontrada nas Revoluções que abrem os anos de divórcio ou de separação dos cônjuges. É possível dizer que, na maioria dos casos, todo arco da cúspide da VI Casa até o final da VIII Casa age num sentido bastante desfavorável.

Entre os políticos, essa orientação do céu faz sobressair a ação social (como é o caso da Revolução Solar de Mussolini ao comandar a marcha sobre Roma).





Ascendente anual na VIII Casa natal - É freqüentemente encontrado nos anos em que se verifica uma morte, quer na família, quer no ambiente de convívio do nativo. Se a Revolução Solar está afligida e as direções simbólicas e o Horóscopo Progredido contêm o perigo de morte, essa ameaça diz respeito diretamente ao sujeito. Essa é a posição do Ascendente da Revolução Solar que precedeu a execução de Robespierre. Mas, mesmo que o perigo direto não exista, não se trata de um bom índice do ponto de vista da saúde, já que essa posição do Ascendente da Revolução Solar expõe o sujeito, durante todo o ano, a um estado de fraqueza geral, de apatia e de lassidão incomuns, bem como à falta ou diminuição de vontade, a uma aceitação indiferente em termos de suas ocupações e obrigações e a inquietações em relação à saúde e à vida, no decorrer ou por causa de uma doença ou de um acidente. Trata-se do indicador mais seguro das fadigas e das depressões momentâneas, que podem chegar até a síncopes. O envelhecimento e o desgaste do organismo são particularmente sentidos durante os anos marcados por essa orientação do Ascendente. Se o nativo está doente, essa sobreposição prenuncia os riscos advindos de cuidados, tratamentos ou medicamentos inadequados e, por conseguinte, perigosos. Se, por último, o regente da VIII Casa ou do Ascendente se encontra na XI, ou se existem relações desarmônicas entre os regentes dessas Casas da Revolução, é oportuno aconselhar ao sujeito uma mudança de médico (que, nos temas dos doentes, é representado pela XI Casa, a do protetor).

Por outro lado, se a VIII Casa está vantajosamente condicionada, tanto no tema natal quanto na Revolução Solar, tal fato diz respeito às coisas relativas a entradas de dinheiro, legados, rendas, pensões, pagamentos, dote do cônjuge, heranças, bens imprevistos etc. Neste caso, a Revolução Solar pode realmente anunciar um acontecimento feliz de qualquer espécie no decorrer do ano. Do ponto de vista psíquico, o Ascendente anual na VIII Casa parece incitar ao espiritismo e aos problemas do além. Afligido, aconselha que se evitem as experiências desse tipo, pois são perigosas.

Tomemos como exemplo a Revolução Solar que estabelecemos no decorrer do Capítulo I. Seu Ascendente, quê está a 15° 54' de Gêmeos, encontra-se precisamente na VIII Casa natal, que se estende de 26° 13' de Touro a 28° 54' de Gêmeos. Em que sentido dever-se-á considerar essa orientação do Ascendente anual?

É necessário examinar imediatamente a VIII Casa anual; ela contém o Sol, regente da IV Casa - a dos pais - e é governada por Saturno situado na X Casa, a da mãe. Esses dois planetas são peregrinos e muito afligidos; portanto, a presença do Ascendente anual na VIII Casa natal só pode ser considerada no mau sentido, isto é, como presságio da morte da mãe.

Muitas outras configurações confirmam tal interpretação. A VIII Casa natal não contém mais que um único planeta: Plutão. Ora, na Revolução Solar, esse planeta aflige, mediante uma oposição, o Sol. Essa Casa natal começava no signo de Touro, isto é, era regida por Vênus; na Revolução Solar, esse planeta aflige, por uma oposição, o Ascendente. A X Casa, a da mãe, contém dois maléficos: Marte e Saturno, este último planeta sendo afligido pelos maus aspectos de Vênus, Júpiter e Netuno. Por último, o nodo ascendente que estava na VIII Casa natal ocupa esta mesma Casa.

Retomaremos mais adiante a interpretação dessa Revolução Solar que nos ajudará ainda a ilustrar muitas outras regras. Observamos igualmente que a Revolução Solar do mesmo sujeito do dia 14 de janeiro de 1940 situa também o Ascendente anual na VIII Casa natal e que seu pai faleceu em 26 de julho de 1940.





Ascendente anual na IX Casa natal - Indica uma viagem importante durante o ano vindouro. Os planetas decidem se ela ocorrerá ou não. Sendo altamente filosófica, esta Casa é muito favorável aos estudos elevados e marca geralmente uma evolução das concepções ou um desenvolvimento intelectual acelerado. Afligida, pode indicar concepções religiosas e filosóficas errôneas ou o fanatismo. Em geral, essa posição do Ascendente deveria ser considerada favorável entre magistrados, advogados e todas as outras pessoas cuja profissão corresponda à natureza da IX Casa. De qualquer maneira, a importância de uma das significações é sempre ressaltada durante o ano vindouro. Como exemplo dessa orientação, citamos a Revolução Solar de Stálin do dia 2 de janeiro de 1941, correspondente à guerra russo-alemã ou, em outras palavras, ao ataque pelo estrangeiro. Terrivelmente afligida por Marte, astro da guerra, na I Casa, essa carta anual tem o Ascendente na IX Casa natal no signo marciano de Escorpião, em oposição exata a Netuno natal.




Ascendente anual no Meio-do-Céu natal — Prenuncia mudanças de situação, possibilidades e oportunidades novas, ou realizações longamente aguardadas etc. Mas, como o Ascendente anual simboliza a ação pessoal, essa mudança de situação, essas possibilidades ou realizações dependem sobretudo da atividade do nativo e de sua energia. Ele será a causa principal de seu bom ou mau destino, segundo as indicações gerais da Revolução Solar. A Revolução Solar de Gambetta do dia 2 de abril de 1870,4 correspondente a um dos anos mais fecundos de seu destino, tinha essa orientação do Ascendente, como também a tinha a de H. P. Blavatsky de 1877, que levou à sua naturalização americana no início de 1878.

Se, ao mesmo tempo, o Meio-do-Céu anual está em conjunção com a cúspide da VII Casa natal (o que ocorre muitas vezes, exceto nos temas das pessoas nascidas ao norte do paralelo 52), essa mudança de situação será acompanhada por mudanças no meio ambiente. Essa configuração é freqüentemente encontrada nas Revoluções Solares de casamento, divórcio e associação.





Ascendente anual na XI Casa natal — Situa sempre as amizades em lugar central. Se os fatores horoscópicos são favoráveis, esse será o ano das novas amizades, da ajuda proveniente dos amigos, de novos projetos cuja realização dependerá mais ou menos dos amigos ou dos conhecidos ou ainda da realização dos desejos ou esperanças, em nada dependente da vontade do sujeito. Afligida, essa posição anuncia complicações, aborrecimentos, dificuldades e traições advindos dos amigos e, às vezes, indica até mesmo rupturas.




Ascendente anual na XII Casa natal — É uma posição perigosa, que anuncia um ano de provações, de manifestação ou agravamento das doenças crônicas. Nos horóscopos dos ocultistas, essa posição pode favorecer os estudos e as experiências ocultas.

Como a XII é a Casa dos inimigos secretos, tal sobreposição pode levar a denúncias falsas, armadilhas de todos os tipos, confusões etc. Se o Ascendente anual se coloca ainda na XI Casa natal, mas em conjunção com a cúspide da XII, é preciso temer ações desleais por parte de um amigo que, na realidade, não passa de um inimigo disfarçado e hipócrita. As acusações judiciais são freqüentes sob esta configuração.

Se a presença do Ascendente anual na XII Casa natal anuncia um ano de provações, é impossível catalogar de antemão todos os acontecimentos que essa sobreposição pode provocar. Minha experiência pessoal permite somente dizer que a saúde sempre sofrerá com ela, ainda que o acontecimento principal seja o de falsas acusações, de uma prisão ou de uma queda moral. Por último, essa posição do Ascendente anual gera sempre muitos cuidados e graves preocupações no decorrer do ano.

Essas são as indicações gerais dadas pela orientação do tema anual. Em cada caso particular, será encontrada sempre a natureza da Casa natal em que está o Ascendente da Revolução Solar, mas somente o exame cuidadoso de todos os fatores astrológicos permitirá a determinação do sentido no qual a Casa que se eleva deverá ser considerada.






Extraído de VOLGUINE, A: "A Técnica das Revoluções Solares.