sábado, 5 de fevereiro de 2011

Plutão em Trânsito na Casa 8 Natal – A perda da vontade



O ciclo que se caracteriza por Plutão transitando pela Casa 8 é marcado por uma forte capacidade de regeneração. Há um insaciável desejo de compreensão do significado da vida e é muito difícil aceitar explicações superficiais seja do ponto de vista científico, como do ponto de vista filosófico. Muito mais significativa que antes é a capacidade para penetrar pelos mistérios da morte e pelo que acontece depois dela.

Na vida amorosa é um período em que é preciso aprender a relaxar e deixar fluir, mesmo quando pareça nada excitante. Há um desejo de ter um alto grau de envolvimento nos relacionamentos, normalmente a tendência é "se atirar dentro dele", exercendo um pesado esforço para erguer os sentimentos. Mas este tipo de intensidade pode pressionar emocionalmente a outra pessoa. Em vez de fazer com que a pessoa se envolva mais, pelo contrário, pode ser a causa de fuga. A profundidade e a intensidade do relacionamento geralmente envolvem um "timing" onde todos sentimentos e hábitos são trabalhados, conhecidos, aprendidos, harmonizados, amadurecidos. Muita pressão leva numa direção de anormalidade que tende a ser destrutiva.

Durante este ciclo, os relacionamentos podem aparentar uma certa monotonia, mas pode surgir muita felicidade oculta que aparecerá se tiver oportunidade. Na verdade, este tipo de crescimento inesperado é freqüentemente a força mais importante que pode acontecer para um relacionamento, resultando de um verdadeiro trabalho interno de envolvimento de duas pessoas.

Durante este trânsito existe a possibilidade de encontrar uma pessoa que lhe dará total poder sobre sua sexualidade, alguém que dispõe de uma energia tão intensa e que tocará tão profundamente, deixando totalmente imóvel em reações e atitudes, desejando apenas desfrutar do prazer enigmático advindo de sensações compreendidas apenas de modo instintivo e animal.

Leia também: das perdas e do renascimento