segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Plutão na Casa 5, por Puigross

Em alguns aspectos, essa posição é semelhante à conjunção Plutão-Sol e, em outros, à conjunção Plutão-Leão.

O indivíduo sofre crises de identidade e oscila de um extremo ao outro, da mais profunda vacuidade - o sentimento absoluto de não ser nada - à mais cega arrogância e pretensão.

O conhecido monólogo "ser ou não ser", de Shakespeare, é um exemplo adequado da elevada especulação filosófica de Plutão nesse setor. O desejo de manifestação, de prolongação de si mesmo, característico do setor, adquire, com Plutão, uma combinação de sombra e luz. Tudo ou nada é a fórmula e esta se aplica a todos os campos, de especulação financeira ao romance amoroso. Essa manifesta capacidade de apostar tudo confere certa atitude dramática e, por vezes, grotesca e cínica, um magnetismo um tanto demoníaco, que atrai irresistivelmente os outros. De alguma maneira, é deixado claro o fato de que o indivíduo é capaz de "criar", já que está disposto a "morrer".

Esse desejo concentrado na própria prolongação oferece um intenso caudal criativo, que pode expressar-se através de qualquer método: cinema, teatro, dança, belas-artes etc.

Sua dualidade lhe permite direcionar-se para qualquer coisa, desfrutar de tudo, do mais sórdido ou ridículo ao mais sublime ou sofisticado. Geralmente participa simultaneamente de várias dessas qualidades ou de alguma outra, pouco comum.

Plutão é o regente de Escorpião e da casa oito e simboliza a energia sexual, a serpente Kundalini adormecida na base da coluna vertebral. Quando essa energia, que permite procriar, se situa no setor cinco, pode ser utilizada de forma construtiva nas próprias obras, os filhos da mente, através de um controle e de um enfoque dessa energia para um elevado ponto de síntese.

Se, pelo contrário, a ênfase recai sobre o sexo, a energia plutoniana pode arrasar tanto o plano mental e emocional como o físico. Caso não seja utilizada com sabedoria, a energia sexual se torna perigosamente destrutiva.

Amores apaixonados que arrefecem de modo repentino; ou, em contrapartida, amores turbulentos, nos quais as relações de poder desempenham um papel importante. Laços afetivos perigosos. A idéia de risco, de desafio, se torna muito atraente e se associa à sensualidade e ao prazer. Mal aspectado, as relações podem assumir um caráter degradante; aberrações de todos os tipos.

Sempre extremo, esse tipo de indivíduo se casa com o primeiro amor ou mantém uma relação após a outra, senão várias ao mesmo tempo.

Pode ter muitos filhos ou não ter nenhum (acerca disso, é necessário ver os temas dos pais), embora a última alternativa seja mais freqüente. Se os tem, as relações com estes são complicadas ou pelo menos incomuns. Plutão está envolvido em grande parte de casos de aborto.

Plutão traz riquezas para a área em que se encontra, riquezas que podem ser perdidas se está mal aspectado.