segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Plutão em Câncer (1912/14-1937/39) - por Puigross

Câncer significa lar, família, clã, tradição, nação, e a geração que apresentava Plutão em Câncer passou pela destruição e pela transformação completas de tudo o que esses conceitos significam. Foi obrigada pelas circunstâncias a entender esses termos de maneira diferente e mais profunda ou a viver com a tristeza e a nostalgia de um passado que já não podia existir novamente.

Essa geração experimentou a segurança do círculo familiar, no qual as regras eram claras: a mãe cumpria seu papel de alimentar, proteger e indicar o comportamento "adequado" a^cada situação, pessoa ou evento; era uma relação de obediência e respeito.

O pai tinha a função de dominar e controlar toda a família; era a imagem do trabalho duro e da honestidade. Seguir as regras era sinônimo de bem-estar e de eficiência. Em contrapartida, não segui-Ias levava ao desastre. O mito da família era sagrado. Câncer e a casa quatro representam nossas raizes, a fonte da qual extraímos não somente nossa força e substância para construir e moldar nosso projeto, como também, pela regência da Lua, a capacidade de adaptação desse projeto ao meio ambiente.

A permanência de Plutão em Câncer barrou literalmente todo esse esquema tradicional, e as pessoas dessa geração - na qual freqüentemente ocorrem intensos vínculos e cega obediência à família e à nação - sofreram uma trágica desilusão quando, no decorrer de sua vida, se viram afastadas tanto de uma como da outra, obrigadas a cortar o cordão umbilical com a concha protetora por elas representada. Esse fato provocou dor mas acelerou a evolução. Segundo a regra geral, onde há sofrimento há crescimento.

Plutão em Câncer teve início com a Primeira Guerra Mundial e permaneceu até a Segunda; por outro lado, a conjunção com seu nodo norte coincidiu com a Grande Depressão de 1929. O próprio planeta foi descoberto em 1930, no segundo decanato de Câncer - aquele que corresponde a Escorpião -, quando seu descobridor, Percival Lowell, já havia morrido. Essa geração sabe muito acerca do lado destrutivo do planeta. Dessa forma, não surpreende o fato de que se encontrem muitas pessoas com Plutão em Câncer que apresentam antes uma forte inclinação para o passado, para a protetora imagem convencional de "lar", do que a atitude de encarar as correntes progressistas.

O sentimento, emoção e sensibilidade típicos de Câncer passaram por uma dura prova.