segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Plutão em Escorpiao (1983/84-1995), por Puiggros

Na permanência de Plutão em Escorpião ocorre uma série de circunstâncias significativas. Durante esse período, Plutão se mantém dentro da órbita teórica de Netuno, atinge seu periélio (sua proximidade máxima em relação ao Sol) e sua maior velocidade a 17° de Escorpião, em trígono com o signo e o grau de seu descobrimento, além de ser esse o signo em que está há menos tempo. Plutão representa poder e, durante esse trânsito, em função de tudo o que se mencionou anteriormente, está potencializado ao máximo, ao mesmo tempo em que, pelo trígono com sua primeira manifestação, flui com facilidade.

Escorpião é o signo do segredo, e poder e segredo sempre caminharam juntos. É o poder de gerar, regenerar e degenerar, a porta entre a vida e a morte, tanto numa direção como noutra. É, por assim dizer, o local em que os "véus" entre os planos são mais finos. É fácil deduzir que, agora mais do que nunca, podemos ultrapassar esta porta em direção à morte ou em direção à vida. Trata-se de um momento decisivo para a humanidade; muitas pessoas podem estender sua consciência para outros níveis, desenvolver poderes extra-sensoriais e eliminar os obstáculos que impediam seu desenvolvimento espiritual. Escorpião rege todo o oculto, as águas profundas e qualquer lugar em que nunca penetre a luz do Sol; entre estes, encontram-se as cavernas-templo das iniciações e as moradas dos grandes seres.

Escorpião é um signo de Água, profundo e inescrutável, e a água representa as emoções e os sentimentos. Plutão em Escorpião evidenciará o imenso poder da emoção.

Escorpião é um signo magnético: atrai os demais e se sente atraído por eles, especialmente no que diz respeito ao sexo oposto. Essa atração é um impulso animal decorrente da ação de Marte e, na maioria das ocasiões, se apresenta como atividade sexual. Tal coisa, embora seja certa em muitos casos, representa um erro de interpretação comumente aceito, já que, na realidade, Escorpião procura conhecer a reação dos outros à emoção, à amizade e ao amor. Por essa razão, busca seu complemento, o espelho em que possa ver-se refletido, no qual possa conhecer-se; ele sabe que somente o calor do afeto dos outros pode derreter seu gelo. Em outras palavras, deseja desvelar seu segredo, que, de resto, é tão sigiloso para ele quanto para os demais. Sua ânsia consiste em acalmar a tormenta emocional interna, viver em paz consigo mesmo e com os outros, e, para isso, sabe ou intui que lhe faz falta uma total integração com a categoria de valores representada pela outra pessoa. Trata-se de um processo que só pode desenvolver-se na intimidade da esfera pessoal e privada.

De modo definitivo, ele procura conhecer a si como indivíduo e tal coisa é importante, uma vez que a permanência de Plutão em Escorpião oferece a grande oportunidade da integração de todas as pessoas, países e raças, integração que se fundamenta na individualidade de cada um.

Plutão em Escorpião desvelará o segredo, romperá os véus do separatismo, quando nos dermos conta, de modo individual, de que a única coisa que nos separa dos outros é um eu social - uma imagem construída com conceitos aceitos sem um questionamento prévio - e de que, num nível mais profundo, somos todos iguais, células de um mesmo planeta, trabalhando para um mesmo fim; em suma, estaremos prontos para assentar as bases da utopia aquariana.

Nesse período, Plutão oferece a oportunidade de conseguir a comunhão, a grande comunidade, com todos os outros seres humanos, ou ainda super-humanos, e o preço a ser pago é a morte dos nossos pequenos eus. Romper a imagem implica defrontar-se com a realidade, e a humanidade pode deparar-se com mais de uma surpresa.

Plutão tende a trazer à luz o inconsciente coletivo em cada um de nós e mostrar a unidade de toda a vida. Nossa reação a esse fato determinará o futuro.