segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Plutão na Casa 1, por Puiggros

É importante e necessário observar qualquer planeta que esteja na casa da "personalidade" com profunda atenção, já que ele sempre matiza a totalidade do indivíduo com suas próprias características.

Com Plutão nesse setor, manifesta-se a tendência escorpiniana ao segredo. Essa pessoa talvez pareça quieta e distante, introvertida ou tímida, mas tal coisa não passa de aparência. Em seu interior, trava-se a mais árdua batalha para encontrar o sentido da própria personalidade. Na realidade, possui uma forte determinação, é intrépida, indócil, invencível e, com freqüência, ditatorial.

A identidade é continuamente revisada e a opinião e a percepção de si mesma se transformam de maneira constante; trata-se de uma urgência que não permite descanso, pois é preciso avançar. Dirigido para o bem ou para o mal, o indivíduo nunca está satisfeito consigo mesmo, manifestando sempre a necessidade de "regenerar-se".

A insegurança representada por esse procedimento impede que o indivíduo se expresse livremente e, embora este último possua, de modo geral, uma compreensão profunda, necessita defrontar-se com a opinião dos outros, a fim de gerar uma nova - e continuamente em progresso - imagem de si próprio.

Essa dependência leva o indivíduo a defender-se constantemente e, algumas vezes, a envergonhar-se de sua relação com os outros. Ele desenvolve a tendência a recolher-se em si mesmo e a não compartilhar os seus sentimentos com as outras pessoas. Seu problema e "ele mesmo" e o indivíduo o aborda com um tal nível de profundidade que a comunicação pessoal se torna difícil; em alguns casos, esse indivíduo chega mesmo a transformar-se num autêntico ser solitário e até numa pessoa alienada de seus amigos e da sociedade em geral.

Ele tem verdadeira necessidade de encontrar um progressivo e permanente sentido para a vida e essa urgência provoca uma instabilidade constante, que, na melhor das hipóteses, o levará a alguma das modalidades de autodescoberta.

Pode ser gentil e sensível, mas geralmente e pouco cordial. Raramente é fraco, embora pareça - ou seja - tímido e inseguro.

Mas se, por qualquer razão, ele se descontrola, todo o poder representado por Plutão irrompe como

um vulcão, fazendo aflorar tal quantidade de cólera que todo mundo fica surpreso.

Esse indivíduo está sempre em contato com o poder; é um canal através do qual o poder flui. O perigo reside na crença de que a própria pessoa é o poder ou no desejo de usá-lo para proveito próprio, acima de qualquer critério.

Tal coisa pode levar o indivíduo plutoniano a pensar que, em si mesmo, ele é o poder, a lei, e que pode, por conseguinte, ser um "sem lei". Quer aja dentro dos parâmetros da sociedade quer não, esse indivíduo sempre é diferente, sempre é o mesmo, conseguindo tal coisa graças a uma espécie de distanciamento, de separação em relação às formas usuais e ortodoxas de atuação. De algum modo, pode ser considerado imutável, por mais que se modifiquem as circunstâncias que o rodeiam.

Possui um forte magnetismo e, caso o deseje, pode influenciar facilmente o meio ambiente. Daí decorre a tendência a impor sua vontade e suas opiniões aos outros; essa imposição se efetua antes por táticas explosivas e temperamentais que através da sugestão.

Sua poderosa personalidade freqüentemente domina os outros. É inacessível, inescrutável, cheia de segredos e torna-se difícil manter uma amizade estável com ele. Caso esteja muito aflito, é o tipo de pessoa que deve ser evitada.

Essa pessoa necessita de moderação e desenvolvimento da habilidade de autodirecionamento. Seu extremismo e a dualidade de sua natureza e de seu objetivo a transformam num ser que passa alternadamente de uma coisa para outra. O que hoje a estimula é rechaçado por ela amanhã. Demonstra desejo pelo novo e dificuldade de abandonar o velho.

Com efeito, Plutão, tanto na casa um como na casa oito, leva a pessoa a defrontar-se com a morte. A sensação de morrer diariamente, de que cada dia é diferente, torna o indivíduo mais forte, intensifica o autocontrole e fornece coragem para que se enfrente qualquer situação. Isso se traduz num forte sentimento do "agora", fator que explica sua dificuldade de projetarse para o futuro ou de aceitar padrões do passado.

Em outra ordem de coisas, e em relação com o corpo físico, o indivíduo pode manifestar um vigor pouco comum, ter um sinal ou marca no corpo - especialmente no rosto - ou ter vindo ao mundo através de uma operação cesariana.

Se está muito aflito, pode indicar alguma deformação física ou alguma manifestação de hiperdesenvolvimento. Também indica amputações. Em alguns casos, tal coisa sugere o fato de o indivíduo ser filho ilegítimo e, caso Plutão esteja retrógrado e a cúspide se encontre em signo feminino, isso produz uma profunda marca psicológica.

Se a energia de Plutão é usada de forma construtiva e criativa, o indivíduo mostra um alto poder de concentração e uma invejável capacidade de aprofundar-se nos significados mais ocultos da vida. Se outros fatores do mapa o confirmam, possui um psiquismo forte. Se a isso acrescentamos o magnetismo que o torna atraente, seu poder mental e sua resistência, encontramo-nos diante de um tipo especial de "médico", que não se preocupa em demasia com a técnica (embora apresente uma mente científica) , mas em ser o canal mais puro possível, através do qual fluem as forças curativas da luz. Sua personalidade se dissolve nessa luz e o poder deixa de causar-lhe problemas.

Quando não sublima esse poder, manifesta-se no indivíduo uma poderosa e angustiante sexualidade, que se encontra latente em todas e em cada uma de suas ações.