segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Plutão em Libra (1971/72-1983/84), por Puiggros

As balanças, o símbolo de Libra, representam o equilíbrio e, por extensão, a justiça. São a imagem da lei, mas esta não está situada em nenhum dos lados da balança e sim no centro, no fiel. Ou, dito de outra maneira, no fio da navalha.

As balanças significam integração dos opostos, uma integridade interna que se manifesta como harmonia e paz.

Como está em oposição a Áries - o signo onde se inicia o ciclo -, Libra constitui o ponto de máxima complementação, no qual é possível conseguir a síntese, mas onde, igualmente, a humanidade pode desviar-se para um lado ou para outro. É, ao mesmo tempo que prova, uma oportunidade e, no que diz respeito a Plutão - já que Libra é o setor doze de Escorpião -, representa as grandes provações, senão a provação final. O setor doze e um final de ciclo e Plutão e, sem dúvida, um iniciador nos mistérios, um hierofante. Saber se a humanidade, ou parte dela, superou essas provações é algo de que teremos conhecimento durante o trânsito de Plutão em Escorpião.

As pessoas nascidas com Plutão em Libra tinham, quando este livro foi escrito, muito pouca idade - entre um e treze anos - e somente por volta do ano 2000 poderão expressar realmente seu potencial. Até então não se terá experiência acerca do significado dessa posição.

Tudo aquilo que entendemos habitualmente por lei - seja esta civil, religiosa, moral ou ética - está sendo questionado em suas bases, desde as suas raízes. Plutão torna seu trabalho regenerador, restabelecendo a igualdade inerente a toda a humanidade, de maneira que todos os extremos, de um lado ou de outro, fiquem claramente evidenciados e sejam condenados a seu próprio desequilíbrio.

Equilíbrio significa relação, complementação e união dos princípios aparentemente opostos – positivo-negativo, macho-fêmea, luz-sombra, espírito-matéria - e está claramente exemplificado nas relações do casal. Tal coisa é a mais evidente, concreta e próxima de nós, tendo sido nesse setor que as mudanças se efetuaram com maior estardalhaço. As bases e as motivações tradicionais do casamento praticamente desapareceram e, com elas, grande parte da hipocrisia e das conveniências sociais. A moralidade estreita ou os romantismos sem sentido deixaram de produzir relações. E estas últimas, além disso, se libertaram do pesado jugo dos vínculos permanentes.

Aqueles que não vivenciaram a união livre dispõem agora da opção do divórcio. Libra significa reequilibrar, corrigir erros, e muitos estão aproveitando essa ocasião.

Separar o verdadeiro do falso - e ambos os conceitos são muito ambíguos - é função de Libra, que aquilata o valor de cada coisa, mas também é função de Plutão, que põe a descoberto todos os problemas, tudo o que é falso e inútil, todos os demônios que trazemos em nós. Libra é um signo de Ar e Plutão limpará a poluição mental.

Plutão traz a capacidade de reorganização; Libra oferece a oportunidade de escolher, sua função é unir, e devemos entender que o amor, tão típico de Libra e da casa sete, mais que uma emoção, é um princípio que permite fundir dois em um. Trata-se de uma identificação mútua, uma absorção recíproca, que transcende a síntese, que seria um resultado. É a unidade antes da divisão.