quinta-feira, 9 de junho de 2016

A Interpretação dos Aspectos, por Catherine Aubier

Cada aspecto planetário pode ter três níveis de interpretação — psicológico, material, espiritual —, sendo que cada um deriva do "significado de base" indicado pelo simbolismo dos respectivos planetas. E este que tentaremos colocar como explicação, pois uma boa interpretação nunca repousa sobre sentenças decoradas, mas antes sobre uma compreensão profunda, apoiando-se numa reflexão pessoal.

De fato, diante de cada aspecto, o astrólogo deveria, no começo, parar e dizer: "Aí está, tenho diante de mim uma conjunção entre o Sol e a Lua. O que é uma conjunção? O que significa? O que o Sol representa? O que a Lua representa?"

E evidente que, após alguns tropeços inevitáveis, uma resposta clara vai desprender-se do acúmulo de informações de que se dispõe; e essa resposta, com bastante freqüência, será muito mais válida que aquela, pronta, inscrita num manual.

A conjunção, cujos significados serão muito variáveis, de acordo com os planetas que a compõem, merece ser estudada em separado dos outros aspectos.

Além disso, as oposições e quadraturas — tradicionalmente consideradas negativas — devem sempre ser estudadas levando-se em conta a evolução do indivíduo, sua capacidade de se livrar das dificuldades, depois de ter se inquietado tanto.

Sol-Lua

Conjunção: representa a fusão do masculino e do feminino, da consciência e da sensibilidade. Daí resulta uma não-diferenciação desses valores responsável por um caráter muito absoluto, que tenta modelar o mundo exterior e conduzi-lo conforme seu ideal. No fundo, a pessoa não admite nem compreende as diferenças que há entre ela e os outros. No plano psicológico, as imagens parentais representadas pelo Sol e pela Lua foram sentidas como uma só entidade, e não como duas pessoas diferentes. Na idade adulta, esse aspecto traz com freqüência uma falta de maturidade afetiva: inconscientemente a pessoa busca concretizar, na sua união, uma osmose, e recusa-se a reconhecer a identidade do outro. Sendo a Lua análoga ao inconsciente, esta conjunção indica uma fusão deste com o consciente; daí uma personalidade que lida mal com o fato de que podem existir limites e distâncias entre as coisas e as pessoas, entre seus desejos e a realidade. Pode resultar disso uma força muito grande! Muitos dirigentes têm conjunções Sol-Lua...

Oposição, quadratura: o desacordo entre o consciente e a sensibilidade assinala um tipo de desconforto moral devido a uma desarmonia da pessoa consigo mesma e, frequentemente, com o sexo oposto. O caráter da pessoa é um pouco instável, caprichoso, debatendo-se entre pulsões contraditórias, e ela deve ter em mente que nada é perfeito. No plano psicológico, o homem e a mulher (por intermédio dos quais a pessoa sentiu as influências parentais) são, inconscientemente, catalogados como entidades opostas, até conflitantes, e sobretudo incapazes de estabelecer uma relação harmoniosa e compreensiva. No plano concreto, trata-se de dificuldades para se desenvolver ao mesmo tempo na vida social (Sol) e na vida familiar (Lua). Conforme o planeta que domina, a pessoa dá privilégio a uma ou outra área, mas permanece sempre frustrada por não poder se realizar nas duas.

Trígono, sextil: são indício, em geral, de um bom equilíbrio psicológico e de uma excelente faculdade de adaptação. Levada pela busca da harmonia, a pessoa sente e raciocina por analogia, semelhanças e aproximações, mas tende a recusar tudo o que não esteja de acordo com seu ideal de conciliação. Para essa pessoa, sensibilidade e imaginação estão em pé de igualdade na busca da objetividade. Ela está apta a viver em harmonia ao formar um casal, desde que o resto do seu Tema o permita; à solidão e à multidão prefere a relação dual, e acredita sinceramente não haver uma diferença entre os sexos suscetível de impedi-los de se entender ou se comunicar. Deseja conseguir sucesso tanto no plano social quanto no familiar, sem nada sacrificar ou negligenciar de um ou de outro. Conforme a tradição, esse aspecto denotaria um bom entendimento entre os pais da pessoa; não parece ser o que ocorre na prática, pelo menos em nossa época, em que o divórcio é frequente e altera tudo! Pode-se dizer, na verdade, que a pessoa marcada por um aspecto harmonioso Sol-Lua, utiliza os desentendimentos dos quais é testemunha para perseverar mais ainda na busca da harmonia e na sua fé.

Sol-Mercúrio

Levando-se em conta a distância máxima de 28° que separa Mercúrio do Sol, a conjunção é o único aspecto maior possível.

Conjunção bem aspectada: fusão da consciência e do raciocínio: afirmação meio indireta da vida intelectual, da troca e da transmissão de ideias.

Conjunção mal aspectada: elemento de instabilidade, de nervosismo, de sugestionabilidade. Os fatos são mal avaliados ou mal transmitidos.

Segundo a tradição, quando Mercúrio estava em conjunção com o Sol, era chamado "combusto", isto é, queimado pelo Sol; o que leva à seguinte interpretação: quanto mais Mercúrio está próximo do Sol, mais a consciência do eu oculta a inteligência; é um elemento de subjetividade. Mercúrio afastado do Sol (em semi-sextil, aspecto de 30°) indicaria, ao contrário, objetividade.

Sol-Vênus

Levando-se em conta a distância máxima de 45° que separa Vênus do Sol, são possíveis somente a conjunção e dois aspectos menores: o semisextil e a semiquadratura.

Conjunção: fusão entre a consciência e a afetividade; daí o desejo de agradar, de ser apreciado, e a necessidade de amar e ser amado. A pessoa é acolhedora e atraente, dotada de um charme natural, cujo estilo depende evidentemente do signo no qual se encontra a conjunção.

Semi-sextil: os mesmos significados da conjunção, mais diluídos. Segundo certos autores, trata-se de um aspecto favorável à sedução. Mas sua importância é mínima.

Semiquadratura: aspecto de pouca importância, tendendo a desestabilizar a vida afetiva por excesso de sugestionabilidade e de influência sentimental.

Sol-Marte

Conjunção: a pessoa procura realizar-se pela agressividade e pela ação. Energia, independência, coragem, cujas cores dependem do signo no qual se encontra a conjunção.
Espírito de iniciativa, temperamento ativo, impaciência. Em um Tema feminino, sensibiliza à imagem do herói sem medo e sem censura.

Trígono, sextil: os mesmos significados, mas a consciência, em lugar de estar submetida à ação, a subordina aos seus objetivos; daí um melhor controle dos atos.

Oposição, quadratura: a agressividade volta-se contra o Sol, enquanto modelo; daí a revolta, a confrontação, os conflitos, a rebelião contra tudo o que representa autoridade. Divórcio entre a consciência e os atos, necessidade de afirmar-se confrontando-se com qualquer coisa, através da violência ou da repressão. Psicologicamente pode tratar-se de um temor da virilidade no que ela representa simbolicamente de agressivo. Note-se que a oposição indica uma revolta às vezes bloqueada ou interiorizada, ao passo que os efeitos da quadratura são mais visíveis.

Lua-Mercúrio

Conjunção: fusão da inteligência e da sensibilidade. Isso produz uma extrema adaptabilidade, fantasia e uma grande facilidade de se exprimir que tende mais para a imaginação do que para o real.

Trígono, sextil: os mesmos significados, habilidade, flexibilidade de espírito.

Oposição, quadratura: desacordo entre a sensibilidade e a razão. Instabilidade, desatino, influenciabilidade, dispersão, uma dificuldade para se exprimir que se traduz frequentemente, na infância, pela gagueira ou outros problemas de linguagem. De fato, a pessoa sente e se exprime de modos diferentes; daí uma defasagem entre palavra e pensamento. Isso pode produzir uma tendência a falar a torto e a direito e até mesmo à mitomania.

Lua-Vênus

Conjunção: esta fusão de dois polos da afetividade (amor-familiar, amor-carnal) está ligada à necessidade de encontrar os dois numa só e mesma relação. Se a conjunção está bem aspectada, resultam disso bondade, gentileza, contentamento: tudo o que poderia prejudicar a satisfação, o equilíbrio afetivo é cuidadosamente negligenciado.

Trígono, sextil: o mesmo significado, charme e equilíbrio. Por vezes isso pode criar sentimentos algo superficiais em sua busca de facilidade.

Oposição, quadratura: a dissociação dos dois polos da afetividade ocasiona instabilidade e desejos contraditórios. O amor "família" parece ser impossível de ser vivido ao mesmo tempo que o amor "paixão" e com a mesma pessoa, o que cria insatisfação e mesmo situações "duplas". A pessoa vive simultaneamente sua atração por duas pessoas ou dois modos de vida diferentes. Seguindo o poder de um ou outro polo, a pessoa dá privilégio ao conforto familiar ou subordina tudo às paixões e vive fora do cotidiano. O resultado desse aspecto é frequentemente uma vida amorosa muito complicada, sobretudo na juventude.

Lua-Marte

Conjunção: é o aspecto da energia ligado à sensibilidade. A pessoa luta pelo seu equilíbrio e com freqüência o de sua família, e nesse plano não lhe falta coragem; em compensação, as lutas que não lhe dizem respeito diretamente deixam-na indiferente.

Trígono, sextil: os mesmos significados, com uma tendência a um dinamismo equilibrado e tranquilo e ao humor relaxado.

Oposição, quadratura: aspecto de agressividade ou de sensibilização à agressividade. A pessoa imagina que os outros vão sistematicamente atacá-la ou criticá-la. Seu humor se alterna entre explosões emocionais de cólera e a resistência aos conflitos. É impaciente, suscetível, por vezes caprichosa. Em certos casos, a ligação com a mãe é vivida de um modo ao mesmo tempo agressivo e defensivo. O homem encara suas relações com a mulher em termos de desacordo; a mulher inspira inconscientemente, por parte do homem, um comportamento agressivo. Com freqüência, há comprometimento do corpo, através de operações cirúrgicas, por exemplo.

Mercúrio-Vênus

A conjunção e o sextil são os únicos aspectos possíveis.

Conjunção: fusão da inteligência e da afetividade, que não podem viver uma sem a outra. É a pessoa cujos sentimentos são influenciados pela razão, e vice-versa; daí um julgamento marcado pelas simpatias ou antipatias, atrações guiadas ou iluminadas pela razão.

Acrescentemos a isso os significados comuns com o sextil: o charme e a sedução fazem parte de um jogo agradável... E a eloquência e a inteligência surgem para encantar.

Mercúrio-Marte

Conjunção: fusão da inteligência e da agressividade. Espírito crítico, combativo, ação guiada e programada pela inteligência.

Nota: Para certos autores, a posição respectiva dos planetas na conjunção tem uma importância e um significado particulares. Se Mercúrio precede Marte, a razão precede a ação; se Marte precede Mercúrio, a pessoa age antes de refletir. De fato, a conjunção pode ser positiva ou negativa, segundo o modo pelo qual está aspectada.

Trígono, sextil: a inteligência e a energia trabalham juntas e têm por objetivo declarado a máxima eficácia. São "a cabeça e as pernas" trabalhando juntas!

Oposição, quadratura: o espírito crítico torna-se sistemático e resulta em uma agressividade verbal. As ações são mal preparadas ou conduzidas de modo inábil.

Vênus-Marte

Conjunção: fusão entre o coração e o sexo. O amor envolve o ser na sua totalidade, é franco e leal no seu modo de viver seus sentimentos e não pede mais do que sentimentos. As atrações são naturais, espontâneas; as relações físicas, vividas sadiamente, são descompromissadas; as ligações entre os sexos mostram-se harmoniosas e sem complicações. (Quando a conjunção está muito mal aspectada, convém aproximar seu significado da oposição.)

Trígono, sextil: os mesmos significados.

Oposição, quadratura: o amor-desejo e o amor-ternura são encarados como fora de propósito, daí uma defasagem entre a atração física e a atração sentimental, que são raramente experimentadas simultaneamente pela mesma pessoa.

Em outros casos, esses aspectos correspondem ao amor-combate, ao amor dual, à confrontação, onde sempre deve haver um vencedor ou um vencido. A pessoa só pensa em seus desejos, na satisfação deles, esquece a existência do outro e comporta-se de modo cego ou infantil.