quarta-feira, 8 de junho de 2016

Saturno nas Casas da Revolução Solar, por Alexandre Volguini.

Saturno projeta sempre uma sombra sobre o domínio da vida, indicado pela Casa da Revolução Solar na qual está colocado. Como no tema natal, ele age como grande maléfico e seus aspectos, as Casas que rege e suas relações com os planetas do tema natal devem ser examinados com a maior atenção. Na maioria das vezes, ele indica, nas Revoluções Solares, não um acontecimento que influencia a vida do sujeito durante uma época qualquer do ano (como parecem agir todos os outros planetas na maior parte dos casos) mas algo  que   oprime  o  sujeito  durante   todo  o   ano.  Por conseguinte,  sua influência revela ser mais estática que dinâmica ou, pelo menos, que o elemento estático tem primazia sobre a ação dinâmica e momentânea. Um exemplo nos permitirá apreender melhor essa particularidade da influência saturnina. No tema que estabelecemos no início desta obra, Saturno anuncia, por sua presença na X Casa, a morte da mãe, a quem o sujeito dedicava uma afeição sem limites, um amor filial levado ao paroxismo e completamente excepcional. Ora, os quatro meses que precedem a morte - que ocorreu no dia 22 de maio de 1936, às 10 horas da noite - podem ser caracterizados pela angústia e pelas preocupações constantes, pelo fato de, muitas vezes, o sujeito haver negligenciado as suas ocupações profissionais (este fato deve ser relacionado com a oposição de Saturno e Netuno). Depois desse falecimento, ele precisou de vários meses antes de poder retomar todo o seu impulso, de tal forma o vazio causado pelo desaparecimento fora ampliado pela dor. Portanto, a duração saturnina é, neste caso, característica.

Saturno na I Casa torna sempre o sujeito preocupado, deprimido, sobrecarregado e perpetuamente atrasado em seus trabalhos, muitas vezes em virtude de sua saúde, que mostra uma tendência ao enfraquecimento (essa é a posição de Saturno na Revolução Solar correspondente à morte de H. P. Blavatsky). Essa posição de Saturno, mesmo dignificada e bem aspectada, parece exigir do sujeito esforços superiores às suas forças e designa, amiúde, uma pessoa física e moralmente fatigada; portanto, ela marca frequentemente o ano de lutas cujo êxito ou fracasso depende do conjunto da Revolução Solar.

Saturno na II Casa pressagia inquietações e preocupações pecuniárias, pois essa posição entorpece os negócios, provoca atrasos nas entradas e cria dificuldades no que diz respeito à realização de projetos financeiros. Trata-se de um mau ano para tratar de assuntos imobiliários. Afligido, Saturno pressagia grandes perdas.

Saturno na III Casa inclina ao pessimismo e pressagia relações tensas ou aborrecimentos com o meio de convívio — na maioria das vezes com pessoas mais velhas que o sujeito —, e atrasos nas viagens ou em outras coisas governadas por esta Casa. Suas aflições parecem ser particularmente desfavoráveis nos temas dos estudantes, escritores e editores. Se Saturno aflige o Ascendente (anual ou natal) e, ao mesmo tempo, reproduz os maus aspectos de natividade com os luminares, há o perigo de tuberculose pulmonar ou de uma outra doença dos pulmões.

Saturno na IV Casa prenuncia obrigações e preocupações referentes aos bens imobiliários, ao lar, aos parentes ou às heranças. Se está afligido e retrógrado, ele cria um ambiente familiar asfixiante ou grandes aborrecimentos. De modo muito frequente, é indício da ampliação das dificuldades por volta do final do ano e, como exemplo histórico desta configuração, pode-se citar a Revolução Solar do dia 29 de julho de 1942 de B. Mussolini, que correspondeu ao ano de sua queda (ocorrida em 25 de julho de 1943).

Saturno na V Casa denota, na maioria das vezes, uma pessoa insatisfeita em termos sentimentais; sua influência parece ser mais forte nos temas femininos do que nos horóscopos masculinos, já que, entre os homens, geralmente, diminui as necessidades físicas e as tendências sentimentais, ao passo que, para a mulher, longe de restringi-las, opõe-se à sua satisfação. Trata-se de uma má posição para o jogo e as especulações, ainda que esteja bem aspectado. Essas indicações são frequentemente anuladas se Saturno governa o Ascendente anual por sua posição em Capricórnio; neste último caso, ele acentua as significações da V Casa e deve ser interpretado de acordo com o conjunto do tema.

Saturno na VI Casa indica uma saúde debilitada, por doenças, ou por preocupações mais ou menos constantes. Melhorar o estado do organismo, exigirá um processo muito longo e difícil, a menos que Saturno esteja em Libra, Capricórnio ou Aquário, fator que aumenta a resistência. Nos empregados, ele provoca amiúde o desencanto com suas ocupações.

Saturno na VII Casa marca pouco entendimento com o cônjuge ou com o sócio. Se o sujeito pensa em casar-se durante o ano que se inicia, o casamento ocorrerá mais tarde do que espera; se Saturno está retrógrado e afligido, ele não ocorrerá. É também uma má posição para os processos: estes últimos não serão concluídos durante o ano regido pela Revolução Solar.

Saturno na VIII Casa marca, com certa frequência, os anos em que se teme uma morte. Na maioria das vezes, tal configuração indica as dívidas que tornam o sujeito preocupado, bem como a baixa dos rendimentos ou dos valores. Em geral, é indício de um mau ano para as especulações, a compra de títulos, ações etc.

Saturno na IX Casa, dignificado, favorece o julgamento e tende a tornar mais profundas as concepções filosóficas. Afligido, mostra-se desfavorável para as viagens, nas quais provoca atrasos ou obstáculos. Muito frequentemente, prenuncia, nessa posição, aborrecimentos provenientes dos cunhados ou cunhadas.

Saturno na X Casa impede o progresso: bem aspectado e dignificado, marca uma situação estabilizada, mas não sem causar algumas preocupações; afligido, provoca aborrecimentos nos negócios, a necessidade de vencer muitas dificuldades para conservar o nível atingido e o perigo de grandes perdas. Com frequência, leva a um acontecimento infeliz nos negócios ou a uma ocorrência que tem uma repercussão sobre a situação (como na Revolução Solar de 14 de janeiro de 1936, da qual falamos anteriormente). Além disso, essa posição pressagia, muitas vezes, a doença da mãe.

Saturno na XI Casa prenuncia atrasos na realização de projetos e esperanças decorrentes de obstáculos de todos os tipos. É também indício de preocupações com as relações e, algumas vezes, de uma existência retirada e solitária, já que essa posição tende a restringir o círculo de amizades ou a diminuir os contatos com os amigos.

Saturno na XII Casa indica geralmente que o estado de saúde necessita, seja de um repouso completo, seja de cuidados sistemáticos. Muitos casos observados parecem provar que uma doença que se manifesta sob essa posição não passará sem deixar vestígios profundos, não só porque se torna mais ou menos crônica, como porque o sujeito sentirá as suas consequências durante toda a vida. Algumas vezes, com a Revolução Solar muito afligida, essa posição de Saturno prenuncia uma fatalidade qualquer.