quarta-feira, 8 de junho de 2016

Mercúrio nas Casas da Revolução Solar, por Alexandre Volguini.

Na prática, o papel de Mercúrio revela ser menos importante do que o dos outros planetas; ele parece agir mais pela regência e pelos aspectos do que pela posição nesta ou naquela Casa da Revolução Solar. Von Klockler chega mesmo a crer que a conjunção de Mercúrio e de Vênus com o Sol não tem outra significação que a de reforçar a Casa anual em que se encontra.

Mercúrio na I Casa parece aumentar a vivacidade de espírito, a eloquência e a facilidade de compreensão. Trata-se de uma boa posição para os estudantes e para todas as pessoas cuja vida exige capacidades mentais ou o senso comercial. Essa posição é encontrada na Revolução Solar do ano da morte de H. P. Blavatsky, que foi, como dissemos anteriormente, um ano de trabalho literário particularmente fecundo.

Mercúrio na II Casa influencia os ganhos unicamente de acordo com os aspectos que recebe de outros planetas, embora essa posição signifique que as coisas ou pessoas designadas por esse planeta (comércio, transações, deslocamentos, jornalistas, intermediários etc.) terão alguma importância nas questões financeiras.

Mercúrio na III Casa provoca deslocamentos de negócios e favorece as relações de interesse.

Mercúrio na IV Casa anuncia algumas divergências de opinião na família; afligida, sobretudo por Marte e Urano, essa posição cria o temor das disputas domésticas ou familiares.

Mercúrio na V Casa indica que todos os sentimentos do sujeito serão controlados e analisados pela razão durante esse ano. Essa posição favorece mais os prazeres mentais que os sensuais e anuncia-se benéfica para os estudantes e para a instrução técnica em geral, caso Mercúrio não esteja muito mal aspectado.

Mercúrio na VI Casa, afligido, anuncia o excesso de fadiga, que pode provocar dores de cabeça, sobretudo se ocupa o signo de Áries ou se essa casa anual se sobrepõe à I natal. As aflições de Mercúrio nessa Casa tornam muito penoso o esforço mental.

Mercúrio na VII Casa marca geralmente um cônjuge ou um sócio muito interessado; afligido, anuncia desavenças com essas pessoas. Muito frequentemente, essa posição indica uma proposta de ordem social ou coletiva (no tema de uma jovem, Mercúrio na VII Casa anuncia quase sempre um pedido de casamento).

Mercúrio na VIII Casa diz respeito, seja a uma mudança nas aplicações financeiras, seja a um deslocamento em virtude de um falecimento.

Mercúrio na IX Casa parece ser claramente favorável do ponto de vista mental: observamos essa posição de Mercúrio nos anos mais produtivos de numerosos jornalistas e cientistas. Ela significa também, quase sempre, viagens de negócios.

Mercúrio na X Casa permite julgar a habilidade profissional do sujeito durante o ano vindouro e, por conseguinte, a sua fama e a sua reputação; afligido por Marte, Urano ou Plutão, Mercúrio provoca julgamentos ou ações precipitados. É bom lembrar que encontramos esta posição de Mercúrio na Revolução Solar de H. P. Blavatsky que precedeu a fundação da Sociedade Teosófica. E verdade que, neste mapa anual, a I Casa é particularmente importante, já que, além de Mercúrio, contém Vênus, Urano e o Sol.

Mercúrio na XI Casa favorece ou não as relações, cujo círculo aumentará no decorrer do ano. Se Mercúrio está ligado, por um aspecto benéfico ou regência, à II, VIII ou X Casa, as relações serão vantajosas e beneficiarão o sujeito de uma maneira ou de outra (nos temas dos comerciantes ou dos profissionais liberais, essa posição parece indicar o aumento da clientela). A oposição a um planeta situado na V Casa conduz, geralmente, às decepções ou às confusões provenientes das crianças.

Mercúrio na XII Casa é mais favorável para os trabalhos abstratos do que para a vida prática. Em Virgem ou bem aspectado, parece relacionar-se com  os  cálculos  secretos  ou com combinações produtivas mantidas em segredo.