sábado, 11 de junho de 2016

Planetas Retrógrados nos Signos, por Martin Schulman.

Um planeta Retrógrado situado num signo adquire a característica daquele signo e dirige suas energias para trás, no tempo. O indivíduo revive, nesta vida, exatamente o mesmo tipo de experiências pelas quais já tinha passado em encarnações passadas, em relação ao específico planeta Retrógrado. Mas, por alguma razão, talvez por sentimentos interiores da alma, de que a lição Cármica não estava terminada, ou não resultou na satisfação pessoal do ser inferior, o indivíduo continua trazendo aquelas mesmas situações para esta vida. A verdade é que ele está tentando levar esta vida de volta à outra, não resolvida. E, uma vez que a qualidade de vida, bem como o seu lugar nela, está baseada na percepção do mundo à sua volta, este indivíduo, no que se refere a seus planetas Retrógrados, não está realmente vivendo na zona de tempo presente.

Por esta razão, os Astrólogos sempre sentiram que os planetas Retrógrados não trabalham com seu melhor potencial. Não é que eles não funcionem bem, tanto quanto o fato de que o indivíduo não os está utilizando tanto quanto poderia, na sua vida atual. Pelo contrário, ele está tentando fazer o mundo atual se encaixar nos seus conceitos passados. Obviamente, é esta maneira de viver que provoca grande parte da desarmonia que é tão frequentemente atribuída aos planetas Retrógrados.

O tríplice Processo Retrógrado, que age não somente nesta vida, mas que também tem uma tendência a atravessar barreiras do tempo para outras vidas, age ligeiramente diferente em cada signo. Por exemplo, o indivíduo com Mercúrio Retrógrado em Áries, experimentando a Fase I (saltando no tempo à frente de si mesmo), se apresentaria positivamente, o que é inteiramente harmonioso com a qualidade Marciana do signo. Durante a Fase III (quando está voltando atrás em seus processos de pensamento) ele estaria totalmente fora de harmonia com a vibração de Áries. Talvez esta seja a razão por que pessoas com Mercúrio Retrógrado em Áries sintam tanta tensão em suas vidas e raramente se sintam unas com seus pensamentos e a habilidade para representá-los.

O indivíduo com Mercúrio Retrógrado em Touro está menos em harmonia consigo mesmo durante a Fase I. O salto à frente no tempo, do Retrógrado, contradiz totalmente as qualidades receptivas latentes deste signo de Terra regido por Vênus, que estaria mais à vontade na segurança experimentada na Fase II, na qual o indivíduo pode viver seus padrões de energia por um caminho que ele vagamente percebe ser familiar.

Assim, com cada planeta Retrógrado, o indivíduo está mais em harmonia consigo mesmo durante uma ou outra fase do tríplice Processo Retrógrado, dependendo muito da natureza do signo no qual se encontra o Retrógrado.

A Astrologia, até agora, lidou mais com os efeitos dos Retrógrados do que com seu processo real, mas é através da compreensão deste processo que o indivíduo pode saber, pelo menos, quando está ou não em harmonia e por quê!

O verdadeiro início do processo se dá no momento em que o indivíduo tem seu primeiro pensamento dirigido a qualquer meta desejada de expressão. A duração de cada fase depende muito do signo no qual o planeta está colocado. O homem sempre tenta prolongar suas experiências de prazer e diminuir as de dor. Assim, qualquer que seja a fase do Processo Retrógrado que está mais em harmonia com o signo no qual o Retrógrado se encontra, pode ser a que se revela por mais tempo e, portanto, aparentemente,* ser vista como a mais característica do indivíduo. Ao mesmo tempo, qualquer que seja a fase que está mais fora de harmonia com as características do signo, não só é revelada durante menos tempo, como também reflete muitas das queixas do indivíduo a respeito de sua vida.