sábado, 11 de junho de 2016

Plutão Retrógrado, por Martin Schulman.

PLUTÃO RETRÓGRADO SÍMBOLO ESOTÉRICO

No símbolo de Plutão encontramos o Círculo do Espírito pairando livre acima da ligação entre a Meia-Lua da Alma e a Cruz da Matéria. Isto é muito indicativo das áreas desconhecidas que o homem tem que atravessar antes de finalmente alcançar uma compreensão de si mesmo nos níveis mais profundos.

Quando a Alma e a parte material da existência não estão em contato com o Espírito de Luz essencial, o indivíduo experimenta as energias Plutonianas mais básicas, mas quando ele começa a transcender as quantidades desconhecidas dentro de si mesmo, ele é capaz de suprir a lacuna entre sua vida inferior e finalmente ligar-se ao Espírito da purificada Luz Dourada que Deus pretendia que ele conhecesse. Quando o homem é capaz de atingi-lo, entra em contato com a parte de si mesmo que é tão essencialmente boa, que ele tem certeza que ninguém que conheça realmente acreditaria. Esta é sua verdadeira identidade.

As grandes dificuldades para alcançar tais energias Plutonianas são que, como a gaivota que voa o mais alto com suas próprias asas, assim, cada indivíduo precisa transcender a si mesmo, sozinho. Os finais limitados por Plutão são o desaparecimento simbólico de fases não mais necessárias para o crescimento do indivíduo.

Uma vez que Plutão é Retrógrado quase que metade do tempo, então uma porcentagem muito alta da população do mundo tem esta configuração em seus horóscopos natais. Estes indivíduos irão finalmente se tornar mais preocupados com as transformações dentro de si mesmos do que com tentativas menos frutíferas, como a de tentar modificar o mundo exterior. Invertendo-se o símbolo, tudo o mais surge da manifestação do Espírito Divino se expressando aqui na Terra.

PLUTÃO RETRÓGRADO PERSONALIDADE

Este indivíduo com Plutão Retrógrado, sente os males da sociedade como uma razão pessoal para transformar a si mesmo. Ele sabe que não pode mudar o mundo. Contudo, gostaria de fazê-lo se fosse prático ou possível. Mas ele pode mudar o mundo dentro de si mesmo, acabando com suas amarras a tudo que o prende a algo menor do que seu ser purificado. Este é um processo que leva muitos anos e, algumas vezes, muitas vidas, para ser alcançado. Em sua manifestação mais elevada, representa a verdadeira Consciência de Cristo de trazer a mais pura forma de amor para a Terra.

Em menor proporção, normalmente, ele continua a eliminar de sua vida todos aqueles fatores que impedem o progresso de sua Alma e a expressão de seu Espírito.

O indivíduo com Plutão Retrógrado sente a luta da humanidade como uma luta pessoal dentro de si mesmo. Ele sente pessoalmente a necessidade de superar em si mesmo tudo que esteve ameaçando a consciência da sociedade em que vive. Assim, ele reage fortemente à desonestidade de outras pessoas para consigo mesmas, tomando isto como uma afronta pessoal ao seu progresso, que ele sente que precisa fazer pelo bem definitivo da civilização da qual ele é uma parte importante. Ele precisa aprender a se desprender um pouco mais dos padrões de hábitos e das características de comportamentos dos outros, cujas vidas realmente tem tão pouco a ver com a sua verdadeira identidade interior.

PLUTÃO RETRÓGRADO CARMA

O indivíduo com Plutão Retrógrado está vivendo o Carma de experimentar a consciência de massa dentro de si mesmo. Ele sente o impacto do pensamento do mundo, e está consciente de como este se relaciona com o pensamento do mundo através dos séculos. Nem sempre expressando exteriormente o que sabe, ele tende a ver os outros indivíduos como parte de um todo maior e mais inclusivo do que numa base contínua de pessoa a pessoa.

Em sua vida pessoal é muito menos importante o que faz do que o que pensa a respeito do que faz. A maior parte do tempo ele vive dentro de sua consciência, escolhendo a grande profusão de sentimentos que experimenta dentro de si mesmo.

O crescimento espiritual possível com Plutão Retrógrado é limitado apenas pela mente consciente do indivíduo se quiser. Ele pode literalmente se elevar acima de grande parte do Carma de toda sua raça.

Curiosamente, se tentar evitar elevar o seu Carma, sentirá os Carmas inferiores dos outros à sua volta, de qualquer maneira. Assim, se ele escolher elevar a si mesmo, ele verdadeiramente pode começar a viver a parábola de Jesus de "estar neste mundo mas sem ser dele". A fim de finalmente atingir isto, ele passa por afastamentos temporários durante a primeira metade da vida, até que aprenda a ser impessoal com a intensidade do mundo que percebe fora de si mesmo, para que finalmente chegue ao ponto de não mais senti-lo agindo dentro de si.