quinta-feira, 9 de junho de 2016

Os Aspectos entre Planetas, por Catherine Aubier

Trata-se de uma das áreas mais complexas e talvez mais ricas da astrologia, que, consequentemente, pede um estudo longo e detalhado. Antes de tudo, o que é um aspecto planetário?

Tecnicamente falando, é a distância angular entre dois planetas, tais como estão posicionados num Tema astral. De acordo com a tradição, os referidos planetas influenciam-se reciprocamente, e veem seu significado próprio modular-se e colorir-se diferentemente segundo a relação que têm com os outros, exatamente como um indivíduo cujas características se modificam em função das pessoas de que se cerca.

Existem dois tipos de aspectos: os aspectos maiores, que fazem sistematicamente parte da interpretação do Tema astral, e os aspectos menores, que, como o nome indica, têm um papel menos importante.

Atualmente, os astrólogos só levam em conta, em geral, os aspectos maiores, mas, no caso de uma interpretação refinada e complexa, o conhecimento dos menores pode ajudar a precisar um diagnóstico.

Os aspectos maiores são os seguintes:

1. CONJUNÇÃO

Dois planetas estão em conjunção quando se encontram na mesma longitude do círculo zodiacal, com uma orbe possível de + ou — 10°. A conjunção é um aspecto neutro, isto é, conforme os planetas em questão, pode haver uma influência positiva ou negativa. De fato, trata-se de um aspecto de fusão, de encontro. O que acontece, em química, quando dois elementos se encontram? Se estão em harmonia, o resultado é positivo; pode também haver uma explosão; ou, ainda, talvez os elementos se neutralizem mutuamente. O mesmo se dá com a conjunção. É por isso que se trata do aspecto planetário mais delicado de se interpretar.

2. OPOSIÇÃO

A oposição é um aspecto que liga planetas situados em oposição um ao outro no círculo zodiacal, isto é, a 180°, com uma orbe possível de + ou — 10°. Este aspecto representa um bloqueio, pois os planetas buscam, numa linguagem simbólica, aniquilar-se mutuamente: nenhum deles pode, portanto, exprimir-se livremente. Por vezes eles se manifestam, também, de modo paralelo e contraditório. A oposição é considerada pela tradição um aspecto maléfico: nós a qualificamos mais modestamente como negativa, porque é um elemento bloqueador para o indivíduo.

3. QUADRATURA

Uma quadratura liga dois planetas situados a 90° um do outro, com uma orbe possível de + ou — 7°. Seu significado tradicional o classifica entre os aspectos maléficos, mas a tendência é nos afastarmos cada vez mais dessa interpretação: com efeito, a quadratura representa seguramente um conflito, mas sobretudo um conflito aberto, que obriga a pessoa a reagir, a suplantar a dificuldade: é, portanto, uma fonte de progresso, resolução e evolução, através de uma crise.

4. TRÍGONO

É um aspecto que liga dois planetas situados a 120° um do outro, com uma orbe possível de + ou — 7°. Cria uma corrente harmoniosa, positiva entre os respectivos planetas: estes trabalham em função de um bem-estar e se apoiam mutuamente; em compensação, tal aspecto impele a um certo acomodamento. Como diz jocosamente um astrólogo, é como sentar-se numa poltrona sem que o outro tenha se levantado. Tradicionalmente considerado como benéfico, o trígono parece ter um efeito interior e atuar mais no plano pessoal, psicológico, do que no plano concreto.

5. SEXTIL

Aspecto que liga dois planetas situados a 60° um do outro, com uma orbe possível de + ou— 5°, também chamado de "benéfico". Seus significados são os mesmos que os do trígono, mas num plano mais real, mais concreto.

Nota: Quando um dos dois luminares (Sol ou Lua) está contido em um aspecto, podem-se acrescentar 2° à orbe indicada (por exemplo, + ou — 12° para a conjunção e a oposição).
Os principais aspectos menores são os seguintes:

Semi-sextil (distância de 30° entre dois planetas), fracamente benéfico. Semiquadratura (distância de 45° entre dois planetas), fracamente maléfico.

Sesquiquadratura (distância de 135° entre dois planetas), fracamente maléfico.

Quincôncio (distância de 150° entre dois planetas), de preferência benéfico.

Na prática, somente o quincôncio apresenta um interesse maior. De acordo com certos autores, tratar-se-ia de um aspecto essencialmente evolutivo, indicando uma capacidade, uma possibilidade "latente" que cabe ao indivíduo desenvolver, segundo sua vontade e seu livre-arbítrio.

Segundo outros autores, esse aspecto representa uma "questão colocada" ao possuidor do Tema — a ele cabe responder ou não, evoluir ou não —, envolvendo uma noção de escolha pessoal, de decisão interior.

O semi-sextil pode ser considerado importante em dois casos:

— Quando liga Mercúrio e o Sol, pois esses dois planetas nunca se afastam um do outro mais que 28°, os outros aspectos que não sejam conjunção e semi-sextil são impossíveis.

— Como a distância possível entre Vênus e o Sol é, no máximo, de 45°, somente os aspectos de conjunção, de semi-sextil e de semiquadratura são possíveis, o que dá importância a esses dois aspectos menores.