quinta-feira, 9 de junho de 2016

Tendência ao Assassinato, por Catherine Aubier

Seria um absurdo pensar que é possível, à simples vista de um Tema astrológico, descobrir-se um assassino. Trata-se, nesse caso, de uma posição extrema, de um resultado que não depende das posições planetárias, mas do encontro entre tendências psicológicas, o contexto (social, histórico, material, hereditário, etc...) e uma oportunidade. E mesmo quando todas essas condições estão reunidas, a pessoa pode não chegar às vias de fato: nem todos os que apresentam em seu Tema fatores de violência, quando colocados diante da mesma situação, acabam cometendo um crime.

Como ponto de partida, o Tema natal deve conter indícios de violência, destruição e extremismo: Marte muito mal aspectado, em particular por Plutão, a presença de signos fixos, Urano poderoso e outros. É necessário também que a pessoa tenha estado, de alguma maneira, submetida a frustrações e que o potencial positivo de seu Tema não tenha podido desabrochar na realidade. Para dar um exemplo, pode-se perguntar o que se teria passado se Adolf Hitler (20/4/1889, 18h30, Braunau), Sol em Touro, Marte e Vênus, com uma conjunção Urano Ascendente em Libra, tivesse podido seguir sua vocação, a pintura, ao invés de ter cumprido o serviço militar...